Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2020

Pronunciamento da vitória de Kalil, reeleito prefeito de BH

Alexandre Kalil (PSD) foi reeleito em Belo Horizonte e seguirá como chefe do Executivo


15/11/2020 22:45 - atualizado 16/11/2020 00:19

Kalil foi reeleito com sobras no primeiro turno das eleições municipais de 2020(foto: Túlio Santos/EM/D. A. Press)
Kalil foi reeleito com sobras no primeiro turno das eleições municipais de 2020 (foto: Túlio Santos/EM/D. A. Press)
Prefeito reeleito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) fez um pronunciamento na noite deste domingo após resultado da contagem de votos que o reelegeu para mais quatro anos no poder do Executivo da capital mineira. Ele teve 63% dos votos válidos.


Após o resultado favorável à Kalil, o grupo desceu para a Praça Marília de Dirceu, onde foi improvisado um espaço para agradecer os apoiadores e falar com a imprensa.


O prefeito já se mostrava confiante ao votar na manhã deste domingo. Não é para menos. Pesquisas divulgadas desde o início das campanhas já o apontavam como reeleito. Nesse sábado, o Ibope e Datafolha deram vitória a Kalil no primeiro turno.

 

Veja, abaixo, o pronunciamento completo de Alexandre Kalil após a vitória: 

Sabíamos, claro, todos vocês sabiam, que as pesquisas indicavam um primeiro turno. Demorou tanto, vocês ficaram aí até de castigo, mas é hora de união da cidade. Não vamos polarizar eleição, não vamos fazer nada disso. Vem um período duro aí de chuvas, temos que estar prevenidos. Temos que fazer melhorar a vida dessa população, e é com muita humildade que recebo esse estupendo resultado. Um resultado amplo, consagrador, e só posso aqui, nesse momento tão difícil que vivemos nesses meses, agradecer à população de Belo Horizonte. Não saí da minha casa, não fui pedir um voto na rua. Não fiz nenhum evento que não fosse com distanciamento, e acho que estamos em uma hora boa em BH, uma hora tranquila, e que Deus nos abençoe nesses próximos anos para que tenhamos uma cidade unida. Cumprimento todos os candidatos, acho que fizemos uma campanha limpa, republicana, e é isso que importa. Não tem agora direita, não tem negócio de esquerda, não tem nada. Vamos continuar governando para todos e governando para quem precisa.

Sobre possível interesse na disputa do Governo de Minas, em 2022

 

Eu não fiz compromisso nenhum com ninguém. Eu não faço compromisso nem de construir viaduto ligando o Sion ao Belvedere e muito menos que vou ficar dois ou quatro anos. Eu não sento numa cadeira pensando em outra. Então, esse tipo de pergunta depois que está eleito é muito fácil fazer. Não a fizeram durante a campanha. Eu garanto que quando sentei no Atlético não pensei em prefeitura e quando eu sentei na prefeitura não pensei no Governo de Minas. Agora, não faço compromisso com ninguém. Não faço compromisso nem de uma poda de árvore. Mas nós vamos fazer o que for preciso, o que for melhor para Belo Horizonte. Isso eu garanto para todos.

 

Temor por um novo fechamento devido à pandemia 

 

Temos uma situação hoje muito confortável em Belo Horizonte. Temos baixa ocupação de leitos, na UTI não temos problemas de internação. Abrimos a cidade gradualmente, acho que no mesmo jeito que vieram aqui estudar, quando a Comissão Pan-Americana veio vá estudar como tínhamos feito, estamos reabrindo com calma para não ter que fechar. Que Deus nos ilumine e que a gente não tenha que fazer nada. Não há nenhum plano de fechamento da cidade, não passa em nenhum momento na cabeça de nós. Até porque seria de um cinismo e de uma sacanagem muito grande. Obviamente, se vier uma onda arrasadora em BH vou tomar as medidas que tenho que tomar e isso não tenho medo, já falei. Já falei para vocês que quando vinham buzinar e fazer arruaça na porta da minha casa, eu disse que quem tinha medo de buzina era cachorro assustado distraído no meio de rua. Então, a oposição é muito barulhenta e o apoio que tivemos foi muito silencioso.

 

Ajuda ao comércio 

 

Temos medidas, estão sendo estudadas, e esse é nosso plano, nosso objetivo, é o que temos que fazer no próximo mandato. Como fui reeleito, já posso começar a planejar desde agora. Não podia fazer plano para outro prefeito ou prefeita. Temos que saber que a hora é do comércio. Teve a hora do sacrifício, teve a hora da paulada na cabeça do prefeito, agora é hora… Agora que estou eleito, posso falar. Agora é hora de ajudar esse povo que quase quebrou. Se não fosse ajuda, ia quebrar. É simples assim.

 

Expectativa pelo resultado 

 

Estou acostumado em sofrer 90 minutos com o Atlético. Agora, três horas é a primeira vez. 

Durante a campanha

Kalil já havia dito que não estava 100% satisfeito com sua campanha, principalmente por causa da pandemia do novo coronavírus.

Defensor da ciência e da medicina, o prefeito, de 61 anos e considerado no grupo de risco para a COVID-19, não foi às ruas pedir votos nem participou de debates.

O máximo que fez, além de gravações em casa, foram reuniões com poucas pessoas, geralmente grupos específicos e significativos para BH.

Por outro lado, Kalil teve maior impacto nas redes sociais desde o início da propaganda eleitoral. Segundo levantamento do software voxRadar, parceiro do Estado de Minas, o reeleito concentra 36% de toda discussão nas redes que envolve os 14 nomes que concorriam ao comando do Executivo de BH.

Propostas

A campanha de Kalil não foi baseada em grandes propostas para a cidade, mas com destaque para o reforço das ações e projetos que ele implementou durante os primeiros quatro anos de mandato.

Recentemente, ele se mostrou estar disposto a alterar os serviços prestados por bancas de jornais e revistas, que entregaram a ele um manifesto de apoio à sua reeleição. O chefe do Executivo afirmou que vai buscar transformar esses estabelecimentos em espaços comerciais amplos.

O prefeito também acenou com medidas de apoio a bares, restaurantes e hotéis. Entre as principais propostas apresentadas por Kalil para um próximo mandato, está a adaptação dos espaços públicos, com revisão da legislação municipal, de forma a ampliar as possibilidades de uso pelos estabelecimentos, contemplando demanda da categoria.

Com relação à saúde, o prefeito faz questão de sempre enaltecer a atuação da saúde pública de Belo Horizonte no combate à pandemia do novo coronavírus. Ele, no entanto, já admitiu que o sistema tem falhas. A prioridade de Kalil, segundo o próprio, é fortalecer a atenção primária. Ele prometeu encerrar o ano com 40 novos centros de saúde, além de outros 38 em 2021.

Para a educação, o prefeito de BH disse que vai implantar o ensino de programação de computadores nas escolas municipais da capital. A inclusão da disciplina de TI no currículo escolar é uma reivindicação do Sindicato da Indústria de Software e de Tecnologia da Informação de Minas Gerais (Sindifor). A entidade estima haver um déficit de 10 mil programadores no mercado na capital. Prefeito diz também que, se for reeleito, vai ampliar atuação da Prodabel na área de tecnologia de informação.

Clique aqui para conhecer o Plano de Governo do prefeito reeleito.

Primeira eleição

Kalil viveu situação completamente diferente este ano em relação a 2016, quando venceu João Leite. Naquele ano, o ex-presidente do Atlético, que era filiado ao PHS, ficou em segundo lugar no primeiro turno, com 26,56% dos votos válidos, contra 33,40% do ex-goleiro do Galo.

A virada veio no segundo turno, quando Kalil levou a melhor, com 52,98% dos votos válidos, enquanto Leite teve 47,02% da preferência do belo-horizontino.

Com 100% dos votos apurados, a abstenção na capital mineira foi de 22,77% na eleição passada. Dos 1.488.488 eleitores que compareceram às urnas, 4,85% votaram em branco e 15,52% anularam o voto. No primeiro turno, Kalil havia somado 26,56% dos votos válidos, e João Leite ficou com 33,40%.

Kalil durante a pandemia

O prefeito Alexandre Kalil foi rígido nas medidas de combate ao novo coronavírus na capital. Logo em março, quando a doença sinalizou chegada no Brasil, foi criado o Comitê Municipal de Enfrentamento à Epidemia da COVID-19.

Fazem parte do grupo o Secretário de Saúde, Jackson Machado e os médicos infectologistas Carlos Starling, Estevão Urbano e Unaí Tupinambás – além do secretariado que auxilia nas decisões.

Através desse grupo são orientadas à população todas as medidas de segurança e de flexibilização do isolamento social.

Em monitoramento diário dos indicadores da pandemia na cidade, a prefeitura decide se abre ou não o comércio. Durante o período em que as atividades ficaram suspensas por orientação do comitê, o prefeito foi amplamente criticado por empresários que defendiam a reabertura mesmo em um cenário de alta lotação dos hospitais de BH por causa de internação por doenças respiratórias.

Enérgico ao se recusar a comentar política durante a crise da saúde pública, o chefe do Executivo municipal classificou opositores como “parasitas do vírus” e comparou por diversas vezes o controle da pandemia a uma guerra.

Alvo de manifestações contrárias ao isolamento social, Kalil rebateu dizendo que “quem tem medo de buzina é cachorro distraído”. A frase ficou famosa e ele repetiu em outros momentos.

Kalil e chuvas

Outro grande desafio durante o primeiro mandado de Kalil foi a sequência de chuvas que causaram enchentes, alagamentos e provocaram mortes na capital.

Em novembro de 2018 ele compareceu à Avenida Vilarinho, na Região de Venda Nova, um dia depois de mãe e filha terem morrido afogadas dentro de um carro e uma jovem de 16 anos ter sido sugada por um bueiro que teve a tampa levada pela força do temporal.

Na época, o prefeito assumiu a responsabilidade das mortes no temporal. "A responsabilidade é do prefeito. Ele é o culpado por tudo que aconteceu aqui. Estou muito triste e despreparado para a morte", afirmou naquele dia.

Depois disso, as obras foram reforçadas na região e ainda estão em andamento. Para minimizar a possibilidade de novas vítimas, foi implantado um programa da Defesa Civil que bloqueia as passagens mais arriscadas assim que os alertas de chuva são acionados.

Posteriormente, em janeiro de 2020, o prefeito se viu novamente enfrentando mais um caos pelo temporal. Dessa vez, embora a Região Centro-Sul tenha sido a mais atingida pelos estragos, o Barreiro registrou deslizamentos e soterramento de casas que deixaram ao menos sete vítimas.

Por causa do desastre pela cidade, a população chegou a cogitar o cancelamento do carnaval, mas Kalil preferiu manter a festa. “Vai ter carnaval, sim. O carnaval não tem dinheiro público. O povo é obrigado só a sofrer? Nós temos que limpar e cuidar desta cidade agora”, afirmou na época, além de anunciar R$ 31 milhões para reparos das chuvas.

Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia
Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia

Eleições 2020: como votar, datas e horários

O primeiro turno das eleições 2020 será em 15 de novembro e, caso seja necessário no seu município, o segundo turno será realizado em 29 de novembro de 2020. Nestas eleições, o horário de votação é das 7h às 17h. O horário entre 7h e 10h é preferencial para maiores de 60 anos.

Com as novas medidas diante da pandemia do coronavírus, preparamos um guia com tudo que você precisa saber para votar nas eleições 2020.

O que muda nas eleições 2020?

Muitas mudanças foram feitas pela Justiça Eleitoral para os candidatos a prefeito e vereador durante o período eleitoral de 2020. Além disso, os eleitores também terão de se adaptar às novas normas para os dias de votação, como a abertura antecipada das seções eleitorais e as regras de higiene que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  


Como justificar o voto nas eleições 2020?

Os eleitores poderão optar por justificar o voto de três formas: 
  • No dia das eleições: o eleitor que estiver fora de sua cidade pode justificar a ausência em qualquer local de votação, das 7h às 17h. O eleitor deverá ter o número do título, um documento oficial de identificação e o formulário de justificativa preenchido.

  • Depois das eleições: preenchendo o formulário de justificativa em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor em até 60 dias após a votação.

  • A justificativa também poderá ser feita pelo celular no aplicativo e-Título.

Eleições 2020 em Belo Horizonte

Na capital mineira, 15 candidatos disputam as eleições para prefeito. Conheça quem são os candidatos e o perfil de cada na corrida rumo à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Já para vereador, Belo Horizonte conta com mais de 1,5 mil candidatos. Alguns apostaram em apelidos e codinomes bem inusitados para conseguir votos.



Para acompanhar a cobertura completa das eleições em BH, acesse nosso especial

Para saber mais sobre as Eleições 2020 em Minas Gerais, leia também a cobertura completa das eleições na Grande BH e nas regiões Centro-OesteLesteNorteSul de MinasTriângulo Mineiro e Zona da Mata.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade