Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÃO

Kalil chama saúde pública em BH de 'robusta', mas admite falhas: 'É ruim, podia ser muito melhor'

Em campanha pela reeleição, prefeito se reuniu com associações médicas; ele prometeu diálogo com expositores da Feira Hippie


19/10/2020 17:40 - atualizado 19/10/2020 18:09

Kalil lidera as pesquisas na corrida pela Prefeitura de Belo Horizonte.(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Kalil lidera as pesquisas na corrida pela Prefeitura de Belo Horizonte. (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Candidato à reeleição, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) enalteceu, nesta segunda-feira, a atuação da saúde pública de Belo Horizonte no combate à pandemia do novo coronavírus. Ele, no entanto, admitiu que o sistema tem falhas. A declaração foi dada após encontro com representantes do Conselho Regional de Medicina (CRM-MG) e outras entidades médicas.

“(A saúde pública) é ruim, podia ser muito melhor, mas dentro da realidade nacional, e como profissionais do ramo, (os representantes do setor médico) entendem que a saúde de Belo Horizonte é robusta, e que muito dinheiro é investido nela”, afirmou, em breve entrevista coletiva.

A prioridade de Kalil, segundo o próprio, é fortalecer a atenção primária. Ele prometeu encerrar o ano com 40 novos centros de saúde, além de outros 38 em 2021.

Diálogo com feirantes e cautela ante pandemia


Questionado sobre os pedidos de expositores da Feira de Arte e Artesanato da Avenida Afonso Pena, a Feira Hippie, para expansão do espaço destinado aos barraqueiros, Kalil garantiu que a flexibilização vai ocorrer conforme os números da COVID-19 na cidade.

“Estão achando que a pandemia acabou. Na hora que a pandemia tiver acabado ou existir uma vacina, vamos sentar e conversar sobre o assunto. A pandemia não passou. Pela população de Belo Horizonte ter entendido a gravidade da pandemia, é que estamos conseguindo viver este novo mundo”, sustentou, dizendo que a ideia da administração municipal é evitar recuos nos avanços graduais.

O prefeito prometeu auxílio aos setores mais impactados pelos efeitos econômicos impostos pela pandemia, mas voltou a pregar cautela à população. “Estamos no caminho certo. Agora estamos flexibilizando, mas lembrando da máscara, de ficar em casa e lembrando que nada passou. Se a gente quer chegar ao natal do jeito que estamos e não tivermos esse cuidado, vai ser muito difícil. Não queremos ter retrocesso como está acontecendo na Europa”, pontuou.


Imbróglio com João Vítor Xavier


Nesta segunda, a Justiça Eleitoral suspendeu liminar que concedia direito de resposta a Kalil, em virtude de propaganda veiculada por João Vítor Xavier (Cidadania). O pessedista exigiu e conseguiu, na Justiça, réplica utilizando o tempo de propaganda eleitoral de rádio e TV de João Vítor Xavier. A denúncia apontava falhas em dados expostos pela político do Cidadania nos programas.

Na peça, João Vítor aborda as mortes causadas pelas chuvas. Contudo, o programa diz que elas ocorreram em 2019, sem citar um recorte até março de 2020. Segundo a denúncia do candidato do PSD, o número de 14 mortes no ano passado, apresentado durante o programa eleitoral do político do Cidadania, está errado.

Após a agenda desta segunda, Kalil comentou o tema. “Fake news não pode. É mentira. Não tivemos 14 mortes em 2019. Simples assim. Entramos (com o direito de resposta) porque é mentira. Mentira é fake news. Não dou importância para isso”.

Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia
Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia

Eleições 2020: como votar, datas e horários

O primeiro turno das eleições 2020 será em 15 de novembro e, caso seja necessário no seu município, o segundo turno será realizado em 29 de novembro de 2020. Nestas eleições, o horário de votação é das 7h às 17h. O horário entre 7h e 10h é preferencial para maiores de 60 anos.

Com as novas medidas diante da pandemia do coronavírus, preparamos um guia com tudo que você precisa saber para votar nas eleições 2020.

O que muda nas eleições 2020?

Muitas mudanças foram feitas pela Justiça Eleitoral para os candidatos a prefeito e vereador durante o período eleitoral de 2020. Além disso, os eleitores também terão de se adaptar às novas normas para os dias de votação, como a abertura antecipada das seções eleitorais e as regras de higiene que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  


Como justificar o voto nas eleições 2020?

Os eleitores poderão optar por justificar o voto de três formas: 
  • No dia das eleições: o eleitor que estiver fora de sua cidade pode justificar a ausência em qualquer local de votação, das 7h às 17h. O eleitor deverá ter o número do título, um documento oficial de identificação e o formulário de justificativa preenchido.

  • Depois das eleições: preenchendo o formulário de justificativa em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor em até 60 dias após a votação.

  • A justificativa também poderá ser feita no aplicativo e-Título.

Eleições 2020 em Belo Horizonte

Na capital mineira, 15 candidatos disputam as eleições para prefeito. Conheça quem são os candidatos e o perfil de cada na corrida rumo à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Já para vereador, Belo Horizonte conta com mais de 1,5 mil candidatos. Alguns apostaram em apelidos e codinomes bem inusitados para conseguir votos.



Para acompanhar a cobertura completa das eleições em BH, acesse nosso especial

Para saber mais sobre as Eleições 2020 em Minas Gerais, leia também a cobertura completa das eleições na Grande BH e nas regiões Centro-OesteLesteNorteSul de MinasTriângulo Mineiro e Zona da Mata.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade