Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS NO BRASIL

Resultado de exame de Bolsonaro dá positivo para COVID-19

Presidente afirmou que está bem, após ter febre alta, mal-estar e indisposição, sintomas de coronavírus que começaram a se manifestar no último domingo


postado em 07/07/2020 12:09 / atualizado em 07/07/2020 13:27

Bolsonaro disse que primeiros sintomas da doença apareceram no domingo, se agravando nessa segunda-feira(foto: Reprodução/TV Brasil)
Bolsonaro disse que primeiros sintomas da doença apareceram no domingo, se agravando nessa segunda-feira (foto: Reprodução/TV Brasil)
O exame feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nessa segunda-feira constou positivo para coronavírus. O resultado saiu no começo da tarde desta terça. Bolsonaro passou pela detecção da COVID-19 após sentir sintomas da doença, como febre de 38,5ºC, conforme informou o canal CNN ontem. O presidente deu início ao tratamento utilizando hidroxicloroquina e azitromicina ainda ontem, tomando a segunda dose dos medicamentos nesta manhã, embora nenhum deles tenha eficácia comprovada no combate ao vírus.

De acordo com Bolsonaro, a febre caiu para 36,5ºC nesta terça. O presidente contou que os primeiros sintomas apareceram no último domingo, como mal-estar e cansaço. Já nessa segunda, os sinais da COVID-19 foram agravados com um aumento de temperatura, que chegou na casa dos 38,5ºC.

"Estou bem, estou normal, em comparação a ontem, estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas, por recomendação médica, não farei", disse o presidente, que seguirá o protocolo de isolamento e fará reuniões por meio de vídeoconferência.

Além do exame para detecção da COVID-19, Bolsonaro fez uma ressonância magnética dos pulmões. Ambos os procedimentos foram feitos no Hospital das Forças Armadas. No retorno ao Palácio da Alvorada, o presidente conversou com apoiadores e disse que não havia nada nos pulmões e que a oxigenação do seu sangue dele estavam em 96%.

Familiares de Bolsonaro que vivem com ele no Alvorada, bem como funcionários que tiveram contato com o presidente, passarão por exames. Segundo o chefe do Executivo, a primeira-dama Michelle Bolsonaro fez o teste nesta manhã.

Vale lembrar que o chefe do Executivo faz parte do grupo de risco de pacientes com COVID-19, uma vez que ele tem 65 anos. Sua agenda para o restante da semana foi cancelada desde que os primeiros sintomas do coronavírus apareceram. O presidente faria viagens para a Bahia e Paracatu, no Noroeste de Minas.

Ao final da entrevista coletiva, Bolsonaro se afastou dos repórteres, tirou a máscara e garantiu estar bem de saúde.

"Vamos tomar cuidado, em especial com o mais idosos e que têm comorbidade, os mais jovens tomem cuidado, mas se forem acometidos do vírus, fiquem tranquilos que para vocês a possibilidade de algo mais grave é próximo de zero", concluiu.

Encontro com ministros


Apesar de ter cancelado a agenda para o restante da semana, Bolsonaro, nessa segunda, se reuniu com diversos ministros, como Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), entre outros. O presidente também esteve reunido com o General Augusto Heleno, do Gabinete Insitucional de Segurança. Heleno foi infectado pelo coronavírus ainda em março.

Distanciamento zero


Nos últimos dias, Bolsonaro, assim como na maior parte da pandemia, desrespeitou o isolamento social e não seguiu a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o uso de máscara. Na sexta, Bolsonaro almoçou com um grupo de empresários no Palácio da Alvorada, sem o uso do item de segurança, desrespeitando, também, o limite de 2 metros entre as pessoas. Entre os convidados estava o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.
 
No dia seguinte, Bolsonaro e alguns ministros estiveram em um almoço na casa do embaixador dos Estados Unidos em Brasília, Todd Chapman, para celebrar o Dia da Independência Americana. Novamente, não houve respeito ao distanciamento social e ao uso da máscara.

No dia 27 de junho, Bolsonaro esteve em Araguari, no Triângulo Mineiro, onde se encontrou com apoiadores, mais uma vez, promovendo aglomerações. O presidente, sem utilizar máscara, chegou a carregar uma criança.



Vetos


Ainda em relação às máscaras, Bolsonaro, nos últimos dias, publicou vários vetos no Diário Oficial da União desobrigando o uso do item em alguns lugares. 

Na última sexta, o presidente dispensou a utilização de máscaras em igrejas, comércio e escolas, alegando de que o projeto de lei poderia configurar "violação de município". 

Já nessa segunda, Bolsonaro abriu mão da exigência em presídios e unidades de cumprimento de medidas socioeducativas, desobrigando, também, órgãos, entidades e estabelecimentos de afixar cartazes sobre orientação do uso correto da máscara e o número máximo de pessoas permitidas dentro do estabelecimento.

Testes


Este foi o quarto exame de Bolsonaro para a COVID-19. Os outros testes haviam sido feitos em março, logo depois do retorno do presidente e sua comitiva dos Estados Unidos.

Pelo menos 23 pessoas da cúpula que desembarcaram em Brasília testaram positivo para o novo coronavírus. Bolsonaro, na época, alegou que todos os seus resultados deram negativo.

Ele utilizou nome falso para ser submetido aos testes. O diagnóstico confirmado só veio a público por causa de uma decisão do Supremo Tribunal Federal, atendendo a uma ação ingressada pelo Jornal O Estado de S. Paulo.

Frases de Bolsonaro sobre a COVID-19


20/3
“Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar, não”


24/3
“Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou teria. Quando muito, seria acometido por uma gripezinha ou um resfriadinho”


30/4
“ Eu, talvez, já tenha pegado esse vírus no passado, talvez, talvez, e nem senti”

2/6
"Eu já peguei 20 vezes este vírus, talvez, ou o vírus não quer papo comigo. É uma realidade. (...) Vai pegar, e a grande maioria nem vai saber que pegou. Talvez é o meu caso. Assintomático”



O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte. 
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade