Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Saiba quanto tempo o coronavírus sobrevive em superfícies

Pesquisas iniciais mostram que o Covid-19 pode sobreviver por até 24 horas em embalagens de papelão e até três dias em plásticos e aço inoxidável


postado em 19/03/2020 14:00 / atualizado em 19/03/2020 15:06

Se alguém infectado com o coronavírus espirrar no elevador que entrei, posso ficar doente? Se a pessoa portadora do vírus tocar na maçaneta da porta, por quanto tempo depois o vírus pode continuar lá? Tocar em dinheiro que tocou alguém doente, tem problema? Muitas dúvidas surgiram por causa do novo coronavírus e uma delas é relacionada ao tempo de sobrevivência do Sars-Covid2 (Covid-19) fora do corpo humano.


Pesquisas iniciais mostram que o vírus pode sobreviver no ar por até três horas e, segundo um estudo publicado pelo “New England Journal of Medicine”, o novo coronavírus pode sobreviver por quatro horas em superfícies de cobre, por um dia no papelão e até três dias no plástico e no aço inoxidável. Estes são dados preliminares, ainda em fase de testes.

Segundo Rachel Graham, infectologista da Universidade da Carolina do Norte e coordenadora do estudo, superfícies lisas e não porosas são mais eficazes no transporte de vírus em geral. Dinheiro e tecidos, por serem porosos, impedem que o vírus sobreviva por muito tempo. Os pequenos espaços prendem o vírus fazendo com que ele não se desloque. Entretanto, o dinheiro já é sujo, porque passa na mão de muitas pessoas, necessitando que, mesmo em tempos sem pandemias, tomemos precauções no pós-manuseamento. 


O invólucro dos vírus também é a explicação de porque eles podem sobreviver em locais onde a temperatura é mais baixa. Eles têm uma invólucro de gordura que ajuda as partículas a se transportam no ar de forma mais eficiente. Locais com umidade mais alta e onde há temperaturas mais moderadas, pouco vento e superfícies sólidas facilitam a propagação do novo coronavírus.

Estudiosos do “Journal of Hospital Infection” descobriram que o Covid-19 pode não ser infeccioso nas superfícies se elas forem limpas com soluções contendo de 62% a 71% de etanol, 0,5% de peróxido de hidrogênio ou 0,1% de hipoclorito de sódio.

Formas de transmissão do coronavírus:

  • gotículas de saliva
  • espirro
  • tosse
  • catarro
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos

Os desinfetantes precisam atuar de cinco a seis minutos para matar todas as partículas virais presentes nas superfícies. Os álcool em gel, este usados para higienizar as mãos, não são ideais para limpar as áreas contaminadas, porque, segundo a professora Rachel Graham, eles têm um teor de álcool mais baixo por serem indicado para retirar somente as partículas virais, sem tirar os óleos e a umidade da pele. 

O coronavírus é transmitido pelo contato contato pessoal com secreções contaminadas. Ou seja, quando uma pessoa doente tosse ou espirra, pessoas saudáveis podem inalar ou ter contato com partículas virais que poderão cair em superfícies.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade