Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

COVID-19: Uberaba não adotará de imediato regras da onda vermelha

Prefeitura vai debater com o Legislativo quais medidas serão adotadas no município, após o programa Minas Consciente elevar restrições sanitárias na região


04/06/2021 11:08 - atualizado 04/06/2021 11:22

Desde o início da pandemia, 1.007 pessoas morreram vítimas da COVID-19 em Uberaba(foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação)
Desde o início da pandemia, 1.007 pessoas morreram vítimas da COVID-19 em Uberaba (foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação)
Após o governo de Minas Gerais anunciar nesta quinta-feira (5/6) a necessidade da região do Triângulo Sul seguir as medidas mais restritivas da onda vermelha a partir do próximo domingo (6/6), a Prefeitura de Uberaba informou nesta sexta-feira (5/6) que, como esta fase do programa Minas Consciente não é impositiva, o município dialogará primeiro com o Legislativo, na próxima semana, para ambos os poderes analisarem e discutirem juntos as próximas medidas a serem adotadas no enfrentamento da COVID-19 no município. 
 
Ainda segundo a prefeitura, Uberaba não pretende adotar de imediato a segunda versão da onda vermelha do estado determinada para o Triângulo Sul. De acordo com as novas medidas restritivas da onda vermelha, a partir deste domingo (6/6), cidades do Triângulo do Sul, do Sul, do Oeste, do Leste do Sul e do Centro Sul não devem organizar eventos culturais e naturais e também não liberar o funcionamento das academias, dos clubes e dos salões de beleza.
 
Outra mudança solicitada pelo estado é voltada para os donos de bares e restaurantes, ou seja, para eles funcionarem somente até às 19h, sendo que em horários posteriores fica autorizado apenas o delivery, sem retirada em balcão. Segundo o governo de MG, o cenário epidemiológico nos locais motivou o endurecimento das regras.

Alerta sobre risco de nova onda

A recomendação para endurecer as restrições veio do Comitê Extraordinário instituído para tratar do combate ao coronavírus. A incidência da doença e o tempo de espera por atendimento são levados em consideração, pois podem denotar tendência de piora na transmissão e aumento da demanda por vagas de internação.
 
“Esta gradação dentro da onda vermelha é importante, pois estamos em um momento heterogêneo da pandemia no estado, com cenários diferentes, porém críticos. Dentro destas diferenças, ressaltamos a necessidade de medidas mais restritivas, ainda, para evitar o estresse do sistema de saúde”, declarou o secretário de Estado de Saúde de MG, Fábio Bacchereti.
 

UTI/COVID lotada e mais de 1 mil mortes

Nas últimas 24 horas, segundo o último boletim epidemiológico da COVID-19, em Uberaba, divulgado na noite de quinta-feira (3/6), foram registrados cinco óbitos e mais 131 novos casos da doença na cidade.
 
Desde o início da pandemia, foram contabilizados em Uberaba 29.831casos positivos, sendo que destes, 25.911 se recuperaram. Ainda segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, dos 103 leitos de UTI para pacientes infectados pelo novo coronavírus disponíveis na cidade, 98 estão ocupados.

Dos 60 existentes na rede pública, 58 estão com pacientes e dos 43 da rede privada, há 40 pessoas em estado grave.
 
Já em relação aos leitos de enfermaria para pacientes com COVID-19, de 209 disponíveis, 157 estão ocupados – de 142 da rede pública, há 118 pacientes; e de 67 da rede privada, 39 estão ocupados.
 

Maio foi o mês com mais casos

A segunda onda da COVID-19 vem crescendo de forma exponencial em Uberaba, desde janeiro deste ano, sendo que os novos casos aumentam consideravelmente e rapidamente a cada mês.
 
Segundo boletins epidemiológicos da COVID-19 no município, maio fechou como o mês com mais registros de novos casos (5.351). Até então, abril era o mês com mais casos positivos da doença, com 4.847.
 
O crescimento acelerado se iniciou entre dezembro do ano passado, que havia registrado 839 novos casos. Em janeiro, pulou para 2.511. A partir de então foram contabilizados 2.918 novos casos em fevereiro, depois 3.861 em março e em torno de 5 mil nos dois meses seguintes.

Entre setembro e dezembro do ano passado, em Uberaba, foi o período em que aconteceu a redução da primeira onda da COVID-19.

Após setembro registrar 2.540 casos positivos, em outubro caiu para 1.914, novembro contabilizou 1.209 e em dezembro quase 900 casos.
 
Com relação aos casos da COVID em Uberaba, em 2020, foram contabilizados quatro em abril, quatro em maio, 652 em junho, 931 em julho e 16.638 em agosto.
No que diz respeito ao número de óbitos de cada mês deste ano no município, houve pequena queda entre abril e maio (os meses com mais mortes causadas pela doença), mas o patamar continua alto para a cidade.

Em abril, foram registradas 233 mortes e, em maio, 214.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade