Publicidade

Estado de Minas VACINA 'BRASILEIRA'

''Espetáculo'': epidemiologista explica eficácia da Coronavac e viraliza

Em uma série de tuítes, o epidemiologista Marcio Bittencourt explica como as vacinas funcionam e detalha os resultados da Coronavac


12/01/2021 17:11 - atualizado 12/01/2021 18:12

A Coronavac é a vacina contra COVID-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan(foto: Sinovac/Reprodução)
A Coronavac é a vacina contra COVID-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan (foto: Sinovac/Reprodução)
Uma série de tuítes feitos pelo epidemiologista Marcio Bittencourt viralizou nas redes sociais nesta terça-feira (12/01). Nos posts, o médico explica os resultados da Coronavac, vacina contra COVID-19 produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e garante que o imunizante tem resultados “muito bons”. Ele classificou a vacina como um "espetáculo".

 
Na quinta-feira passada, a gestão João Doria (PSDB) afirmou que o imunizante tem 78% de eficácia contra casos leves da doença e 100% contra os quadros graves e moderados.

 

De acordo com Bittencourt, os resultados apresentados pelo Butantan nesta terça são excelentes. “Os resultados têm impactos na estratégia de uso, eles têm limitações, mas eles são bons mesmo. Muito melhores que a 'pataquada' da comunicação oficial”, explicou.
 
 

“De forma simples, uma vacina é feita para ensinar seu corpo a se defender de um inimigo que você nunca viu. Quando o inimigo chegar, você vai estar mais preparado do que se não tivesse sido vacinado. Tem vacina que te ensina tudo, tem vacina que te ensina menos.”

Segundo o epidemiologista, a Coronavac “passou na prova”. “A próxima pergunta é se a vacina é segura. Sim, a Coronavac é”, afirmou.

Márcio também explicou sobre a fase 3 dos estudos que comprovaram a eficácia de 50,38%. “Como já foi dito, muitas vezes, a COVID-19 é só uma gripinha, às vezes ela é uma gripona e às vezes ela mata. Por isso, criamos uma classificação de gravidade em 10 níveis que podem ser agrupados em leve, moderadao e grave”, explica. 

Ele informa que no caso da vacina do Butantan, o grupo que “não treinou”, ou seja recebeu placebo, 0,7% (31 em 4.653) precisou de assistência médica por COVID-19. O grupo que “treinou” com vacina estava mais bem preparado, somente 0,15% (7 em 4.599) precisou de assistência médica.

“E os 100% contra casos graves? O problema é estatístico. Não tivemos ainda número suficiente para ter certeza. Com poucos casos pode acontecer por acaso, dizemos que não foi estatisticamente significativo.”

Para o médico, para uma vacina desenvolvida em um ano, que pode ser produzida em larga escala localmente e distribuída facilmente sem problemas, a Coronavac é “um espetáculo”.

“A melhor vacina é a vacina que está disponível mais rápido. A melhor vacina é a vacina que pode vacinar mais gente. A melhor saída da pandemia é ter uma vacina razoavelmente eficaz. E a Coronavac é”, concluiu.


 
 
Para conferir todos os tuítes clique aqui 
 

A velocidade da tecnologia

A velocidade com que as primeiras vacinas contra a COVID-19 foram desenvolvidas é considerada  extraordinária por todos os estudiosos. A produção de imunizantes nessa rapidez nunca havia ocorrido na história do desenvolvimento de vacinas. 

A vacina contra o sarampo, por exemplo, foi descoberta com relativa rapidez: levou apenas 10 anos. Mas para a febre tifoide levou mais de um século e, para algumas doenças, como a malária, ainda não foi encontrada uma vacina eficaz.

Para entender e acompanhar a velocidade da produção clique aqui e aqui 
 
 

Veja a lista de países que já começaram a vacinação contra COVID-19

  1. Alemanha - 26/12/2020
  2. Arábia Saudita - 17/12/2020
  3. Argentina - 29/12/2020
  4. Áustria - 27/12/2020
  5. Barhrein - 16/12/2020
  6. Bélgica - 28/12/2020
  7. Bielorussia - 29/12/2020
  8. Bulgária - 27/12/2020
  9. Canadá - 14/12/2020
  10. Chile - 24/12/2020
  11. China - julho de 2020
  12. Chipre- 27/12/2020
  13. Costa Rica - 24/12/2020
  14. Croácia - 27/12/2020
  15. Dinamarca - 27/12/2020
  16. Emirados Árabes - 14/09/2020
  17. Escócia - 8/12/2020
  18. Eslováquia - 26/12/2020
  19. Eslovênia - 27/12/2020
  20. Espanha - 27.12/2020
  21. Estônia - 27/12/2020
  22. EUA - 14/12/2020
  23. Finlândia - 27/12/2020
  24. França - 27/12/2020
  25. Grécia - 27/12/2020
  26. Hungria- 26/12/2020
  27. Inglaterra - 08/12/2020
  28. Irlanda - 29/12/2020
  29. Irlanda do Norte - 08/12/2020
  30. Islândia - 29/12/2020
  31. Israel - 19/12/2020
  32. Itália - 27/12/2020
  33. Kuwait - 24/12/2020
  34. Letônia - 28/12/2020
  35. Lituânia - 27/12/2020
  36. Luxemburgo - 28/12/2020
  37. Malta -27/12/2020
  38. México - 24/12/2020
  39. Noruega - 27/12/2020
  40. Omã - 27/12/2020
  41. País de Gales - 08/12/2020
  42. Polônia - 27/12/2020
  43. Portugal - 27/12/2020
  44. Qatar - 23/12/2020
  45. República Tcheca - 27/12/2020
  46. Romênia - 27/12/2020
  47. Rússia - 05/12/2020
  48. Sérvia - 24/12/2020
  49. Suécia - 27/12/2020
  50. Suíça -27/12/2020
Fonte: Imprensa Internacional
 

Veja a lista de países que já anunciaram as datas do ínicio da imunização


  1. Austrália: 20 de março de 2021
  2. Colômbia: fevereiro de 2021
  3. Egito: janeiro de 2021
  4. Holanda: 8 de janeiro de 2021
  5. Índia: janeiro de 2021
  6. Nova Zelândia: 2º trimestre de 2021
  7. Paraguai: entre março e abril de 2021
  8. Turquia: até 15 de janeiro de 2021
  9. Indonésia:13 de janeiro de 2021

Lista de vacinas aprovadas no mundo

  1. Sputinik V - Rússia (aplicada na Rússia, Argentna e Belarus)
  2. Sinophramp - Pequim - China (aplicada apenas na China)
  3. Moderna - Estados Unidos (aplicada nos EUA, Reino Unido, Canadá e Israel)
  4. CanSino - China - (uso limitado apenas para militares na China)
  5. Vector - Rússia (aplicada na Rússia)
  6. Sinophramp-Wuhan - China (aplicada na China e Emirados Arabés)
  7. Coronavac -Brasil/China (China e Indonésia)
  8. Pfizer- BioTech - EUA/Alemanha  - (RUA, Reino Unido, Chile, Costa Rica, E.A.U, Kuwait, Equador, México, Panamá, Isarel, Cingapura, Bahrein, Colômbia, Argentina, Guiana Francesa, União Europeia para uso emergencial e Canadá e Arabía Saudita para uso definitivo)
 
Fonte: Ministério da Saúde dos países  
 

E o Brasil?

 
                           Acesse o plano de vacinação brasileiro aqui. 
 
Brasil enfrenta em 2021 um novo capítulo no combate ao novo coronavírus: a vacinaçãoEnquanto 50 países já estão imunizando e mais de 17 milhões de pessoas já receberam a vacina, o Estado brasileiro continua enfrentando uma difícil questão fiscal. ´

Para que a vacinação comece, é preciso que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) libere a imunização. Na última sexta-feira (08/01), o Instituto Butantan e a Fiocruz entraram com o pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca, respectivamente.

Em entrevista coletiva na tarde de quinta-feira (07/01), o ministro da SaúdeEduardo Pazuello, garantiu, em um cenário otimista, que a vacinação em solo brasileiro comece até 25 de janeiro. 
 
 

Imunização


A ampla maioria dos países está distribuindo o imunizante criado em parceria pela alemã BioNTech e a americana Pfizer. Apenas os EUA aprovaram e distribuíram a vacina da americana Moderna. 

Outras 17 vacinas estão em desenvolvimento no mundo. Destas, três foram aprovadas para uso definitivo e cinco foram liberadas para uso emergencial e limitado em diversos países. 

Além disso, há cerca de 64 vacinas em fases anteriores de testes em humanos no mundo e pelo menos 85 em fases pré-clínicas.
 
*Estagiária sob supervisão

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte. 

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade