Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Mandetta rebate acusação de Bolsonaro: 'Talvez estivesse sob efeito de medicamento, sofrendo de delírio'

Ex-ministro da Saúde respondeu presidente, que o havia acusado de 'inflar' números da COVID-19 no Brasil


postado em 14/07/2020 16:03 / atualizado em 14/07/2020 16:16

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (d) criticou o presidente Jair Bolsonaro (d)(foto: Sergio Lima/AFP)
Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (d) criticou o presidente Jair Bolsonaro (d) (foto: Sergio Lima/AFP)
Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) rebateu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que o havia acusado de inflar os números da COVID-19 no Brasil. Para o médico ortopedista, o chefe do Executivo federal poderia estar ‘sob efeito de algum medicamento, sofrendo de algum delírio” quando deu a declaração.

“Acho que talvez ele estivesse sob efeito de algum medicamento, sofrendo de algum delírio, alguma coisa fora do seu estado de normalidade. Um homem submetido a muito estresse, a muita pressão, às vezes toma algum medicamento para dormir, não se sente bem... Ou comeu alguma comida estragada, aí falou uma bobagem dessas. Tem que perdoar, coitado”, disse Mandetta, em entrevista publicada nesta terça-feira (14) pela Deutsche Welle Brasil.

Bolsonaro acusou o ex-ministro de ‘inflar’ os números nacionais da pandemia em entrevista no dia 11 de junho. Na ocasião, o país havia ultrapassado as marcas de 40 mil mortes e 800 mil casos confirmados de coronavírus. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde nessa segunda, os números chegam a 72.833 óbitos e 1.884.967 casos.

“Levando-se em conta o ministro anterior, esses números eram fictícios. E ele todo dia estava vendendo o peixe de ‘fique em casa’, ‘não saia, a curva tem que amansar’, ‘ciência, foco, foco na OMS (Organização Mundial da Saúde)’. Olha o vexame da OMS aí. Gosto do Mandetta como pessoa, mas ali ele deu uma escorregadinha na questão da pandemia. Deu uma inflada”, declarou Bolsonaro.

Em outro momento da entrevista, Mandetta voltou a criticar o ex-chefe. “Ele se expôs ao ridículo de ir à rede nacional de televisão dizer que o coronavírus seria só uma ‘gripezinha’ que não mataria ninguém”, disse, em referência a declarações feitas por Bolsonaro em março.

O presidente tratou a COVID-19, que já matou mais de 570 mil pessoas pelo mundo, como uma ‘gripezinha’ em pelo menos duas oportunidades. Em 20 de março, fez menção à facada que sofreu durante a campanha eleitoral, em 2018: “Depois da facada, não vai ser uma 'gripezinha' que vai me derrubar", disse.

Apenas quatro dias depois, voltou a falar sobre o tema, desta vez em pronunciamento transmitido em rede nacional. “Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria acometido, quando muito, de uma 'gripezinha' ou resfriadinho”, afirmou.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade