Publicidade

Estado de Minas LITERATURA

Os livros mais marcantes da década, por Andréa Soares Santos

Vinte críticos, jornalistas e gestores culturais indicam os livros nacionais - romances, contos, poemas - que marcaram suas leituras nos últimos dez anos


16/04/2021 04:00 - atualizado 16/04/2021 07:32



Andréa Soares Santos
Professora do Departamento de Linguagem e tecnologia do Cefet-MG 

“É agora como nunca: antologia incompleta da poesia contemporânea brasileira”, organização Adriana Calcanhotto (Cia das Letras, 2017).
Em que pesem todos os riscos envolvidos na empreitada de organizá-las, antologias são sempre uma ótima opção quando se deseja um passeio pela multiplicidade de autores, temas recursos e possibilidades da cena literária de um determinado momento. Esta, organizada por Adriana Calcanhoto, resulta em um volume agradabilíssimo de se ler. 

Leia: Os livros brasileiros de ficção mais marcantes da última década

“O livro das semelhanças”, de Ana Martins Marques (Cia das Letras, 2015)
Das excelentes coletâneas da autora até então, "O livro das semelhanças" chama a atenção pelo modo como, nele, a qualidade de cada poema em si se amplifica e se articula na inteligente e sensível estruturação do livro como um todo. 

“Parte da paisagem”, de Adriana Lisboa (Iluminuras, 2014)
O livro de estreia, na poesia, da autora de romances consagrados como “Sinfonia em branco” e “Azul corvo” revela sua habilidade para equacionar, via depuração pela linguagem poética, modos de escrita –reflexões, narrativas, interlocuções, cenas – e temáticas que vêm atravessando sua produção até o momento presente. 

“Formas do nada”, de Paulo Henriques Britto (Cia das Letras, 2012)
Os poemas de “Formas do nada”, com o design formal que notabiliza a produção de Britto, são perfeitos para todos os tempos e momentos em que a vida se torna árida. 

“Amora”, de Natália Borges Polesso (Não Editora, 2015) 
Uma edição primorosa, com narrativas saborosas para entender o universo das mulheres que amam mulheres. 

“Olhos d’água”, de Conceição Evaristo (Pallas, 2014)
Outra trabalho editorial primoroso para entender e experienciar, via narrativas, a condição da mulher negra no Brasil. 

“Você vai voltar para mim e outros contos”, de Bernardo Kucinski (Cosac Naify, 2014)
Narrativas poderosas, vazadas com precisão de linguagem e domínio do gênero, formando um retrato da ditadura militar brasileira por meio das vivências experimentadas pelos personagens. 

“A resistência”, de Julián Fuks (Cia das Letras, 2015)
Outro livro indispensável sobre o tema das ditaduras e das forças de resistência, suas marcas nas vidas, nos destinos e nos corpos, vazado num romance de estrutura narrativa surpreendente. 

“Anatomia do Paraíso”, de Beatriz Bracher (Editora 34, 2015)
Para os que se interessam por tradução literária e pelo poema “Paraíso perdido”, de John Milton, “Anatomia do Paraíso”é um livro muito interessante. Mas o é mais e sobretudo pelos contrastes e enlaces que estabelece entre os protagonistas Félix e Vanda, encenando tensões entre diferentes classes sociais e modos de vida, no cenário de céu e inferno da cidade do Rio de Janeiro. 

“Como se estivéssemos em palimpsesto de putas”, de Elvira Vigna (Cia das Letras, 2016)
Romance instigante, pela estrutura narrativa, e provocante, pela discussão que promove das relações de gênero.

CLIQUE E CONFIRA A LISTA DE CADA UM DOS CONVIDADOS

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade