Publicidade

Estado de Minas IRREGULARIDADES NA VACINAÇÃO

Vacinas desviadas e insumos geram 22 denúncias por dia ao MPMG

A média se baseia nas 2.582 denúncias recebidas pelo MP em Minas Gerais por fura-filas e desvios desde o início da vacinação


15/05/2021 10:14 - atualizado 15/05/2021 11:49

Enquanto vacinas são desviadas, imunização dos profissionais da linha de frente ainda não está completa(foto: Getty Images)
Enquanto vacinas são desviadas, imunização dos profissionais da linha de frente ainda não está completa (foto: Getty Images)
Um volume de 2.582 denúncias de irregularidades na vacinação contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em Minas Gerais foi protocolada no Ministério Público (MPMG) desde o nício do processo. A média é de 22 queixas por dia desde a aplicação da primeira dose, em 18 de janeiro de 2021.

São denúncias variadas que segundo o MPMG podem ser levadas aos promotores de justiça, desde fura-filas, "desrespeito à ordem de prioridade da vacinação, extravio de insumos (seringas, luvas, agulhas, etc) e extravio de vacinas".

Para se ter uma ideia do volume de denúncias, se cada um representar uma dose perdida ou desviada, daria para se fazer a aplicação em todos os habitantes do Bairro Primeiro de Maio (2.421 moradores), na Região Norte de BH, que tem sérios problemas de vulnerabilidade social.

Daria também para conferir a imunidade parcial da primeira dose a todos que moram no Mangabeiras (2 mil habitantes), bairro da Região Centro-Sul com grande concentração de idosos.

Os desvios de vacinas ou extravio de insumos e mesmo furar a fila da vacinação pode configurar diversos tipos de crime, segundo o MPMG, como abuso de autoridade, corrupção ativida ou passiva, peculato e concussão.

O órgão recomenda que as denúncias sejam feitas à Ouvidoria do MPMG por ligação gratúita pelo telefone 127, pelo site do MPMG ou pessoalmente em uma Promotoria de Justiça do estado. O denunciante precisará relatar o fato com todas as informações que tiver, como data, nomes dos envolvidos, local, irregularidade. "Caso tenha, anexe ou apresente documentos, mensagens, vídeos, áudios ou fotos que comprovem o fato e auxiliem as investigações".

Em Belo Horizonte, as denúncias também podem ser feitas no site da PBH. O governo de Minas também tem canais para esse tipo de desvio na Ouvidoria-Geral do Estado ou Disque-Saúde (136).

Parlamentares integrantes da CPI dos Fura-Filas investigam quem recebeu vacina antes do devido(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Parlamentares integrantes da CPI dos Fura-Filas investigam quem recebeu vacina antes do devido (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)


CPI dos Fura-filas 


Denúncias de desvios de vacinas destinadas a grupos prioritários como os de enfrentamento à pandemia para autoridades da secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) e até funcionários em teletrabalho deram origem na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em 11 de março de 2021, à chamada CPI dos Fura-fila.

Os trabalhos apuram possíveis irregularidades na aplicação de vacinas contra a COVID-19 em servidores e também sobre o montante de recursos aplicados pelo governo nas ações de combate ao vírus.

As denúncias levaram o governador Romeu Zema (NOVO) a exonerar o então secretário de estado de saúde, Carlos Eduardo Amaral e outros funcionários públicos que foram vacinados de forma indevida.

Ao todo uma lista com 828 servidores foi divulgada pela SES-MG para a apreciação dos parlamentares, que vão decidir quais deles receberam doses indevidas e que poderão ser punidos pelos desvios.

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas



 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade