Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Justiça permite greve de 20% do transporte coletivo de Uberaba

Sindicatos resolveram optar pela greve após, segundo eles, uma falsa promessa da Prefeitura de Uberaba em vacinar a categoria contra a COVID-19


11/05/2021 18:25 - atualizado 11/05/2021 18:33

Motoristas do transporte coletivo durante manifestação em frente à Prefeitura de Uberaba, na manhã desta terça-feira (11/5)(foto: Jairo Chagas/Jornal da Manhã)
Motoristas do transporte coletivo durante manifestação em frente à Prefeitura de Uberaba, na manhã desta terça-feira (11/5) (foto: Jairo Chagas/Jornal da Manhã)
Após o Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (Sintracol) de Uberaba comunicar às autoridades locais que os motoristas de ônibus da cidade entrariam em greve nesta terça-feira (11/5), por causa da falsa promessa da prefeitura em vacinar a categoria contra a COVID-19, a Justiça não considerou a paralisação inconstitucional, mas determinou que 80% da frota permaneça em circulação, sob pena de multa diária de R$ 100 mil pelo descumprimento.
A Prefeitura de Uberaba nega que houve a promessa de data de início da vacinação contra a COVID-19 para os motoristas de ônibus ainda neste mês de maio.

Segundo o secretário Municipal de Defesa Social, Glorivan Bernardes, o que houve foram conversas com o pessoal do Sintrol Uberaba para incluir os motoristas em projeto de pesquisa sobre vacinas, sendo que não foi combinado prazo para vacinação.
 
“A Prefeitura é obrigada a seguir as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e toda a remessa de vacinas já chega com os grupos prioritários a serem atendidos”, declarou.
 
Em busca de uma solução para o impasse, Bernardes e sua equipe se reuniram, nesta terça-feira, com os dirigentes sindicais Roberto Alexandre Vieira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (Sintracol) de Uberaba, André Campos, presidente da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Uberaba (Transube), entre outros representantes sindicais.

No entanto, após a reunião nada foi resolvido e a greve de 20% da frota de transportes coletivos de Uberaba continua por tempo indeterminado.
 
A expectativa da categoria era de que após a reunião fosse resolvido o fim da paralisação, a partir de uma definição de data para vacinar os motoristas do transporte coletivo contra a COVID-19.

Mas esta data não foi repassada pelo secretário de Defesa Social de Uberaba, Glorivan Bernardes.  
 
“De acordo com o Programa Nacional de Imunização, a partir desse mês de maio nós já estamos nesse rol de prioridades. Agora vai demandar do poder Executivo para organizar a vacinação para nossa categoria”, afirmou Vieira, em entrevista à Rádio JM.
 
O secretário de Defesa Social, Glorivan Bernardes, declarou que o governo municipal vem se empenhando junto ao governo federal para inclusão dos motoristas entre os grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização. Além disso, ele se comprometeu a levar ao conhecimento do estado e do Ministério da Saúde a inclusão desses profissionais em projeto de pesquisa sobre vacinas da UFTM.
 

 Vacinação contra H1N1 e teste da COVID

Após o Sintrol sinalizar a greve no último final de semana, a Prefeitura de Uberaba emitiu nota declarando que os trabalhadores das empresas Líder e Viação São Geraldo Sacramento, representados pelo Sintracol, seriam vacinados contra o vírus H1N1 a partir desta segunda-feira, 10 de maio.
 
Também a partir desta data, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) começou a testagem de COVID-19 em toda a categoria.
 
A testagem e a vacinação ocorreram nesta segunda e terça-feira (10 e 11/5), na garagem da Líder Empresa de Transportes Ltda.
 

Dez primeiros dias de maio em Uberaba já foram piores que o mesmo período de abril

Segundo informações do Observatório COVID Uberaba, nos 10 primeiros dias de abril, 62 pessoas morreram na cidade e foram registrados 1.331 novos casos.

Já nos 10 primeiros dias de maio, foram contabilizadas no município 71 mortes causadas pela COVID-19 e 1.464 novos casos.
 
A situação da ocupação dos leitos hospitalares/COVID também continua preocupante e perto do colapso, principalmente os de UTI. Assim como nos meses de março e fevereiro, esta ocupação, tanto pública como privada, continua no limite ou perto disto.
 
Segundo último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura de Uberaba, dos 103 leitos de UTI para pacientes com COVID-19 disponíveis na cidade, 89 estão ocupados, sendo que, de 60 existentes na rede pública, 49 estão com pacientes.

Dos 43 da rede privada, há 40 pessoas em estado grave.
 
Já em relação às ocupações de leitos de enfermaria para pacientes com COVID-19, de 205 disponíveis, 169 estão ocupados; de 142 da rede pública, há 123 pacientes; e de 63 da rede privada, 46 estão ocupados.
 
Desde o início da pandemia, já foram contabilizados em Uberaba 25.668 casos positivos, sendo que destes 845 pessoas morreram e 21.563 se recuperaram.

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas



 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade