Publicidade

Estado de Minas EM ALERTA

COVID-19: ocupação de leitos de UTI volta a subir em Sete Lagoas

Comemorações e festas ligam sinal de alerta das autoridades de saúde, uma vez que pouco mais de 70% dos leitos de UTI se encontram ocupados atualmente na cidade


24/02/2021 16:41 - atualizado 24/02/2021 16:49

Nesta quarta-feira, 39 leitos de UTI em Sete Lagoas se encontram ocupados por pacientes com COVID-19(foto: Prefeitura Municipal de Sete Lagoas/Divulgação)
Nesta quarta-feira, 39 leitos de UTI em Sete Lagoas se encontram ocupados por pacientes com COVID-19 (foto: Prefeitura Municipal de Sete Lagoas/Divulgação)
Sete Lagoas, cidade localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vive um momento de apreensão em relação à ocupação dos leitos de UTI destinados a pacientes com COVID-19. Apesar de não se encontrar em uma fase crítica como em meados de dezembro, quando não havia leitos de UTI disponíveis, desde o último dia 16 o município vem acompanhando um aumento progressivo na ocupação dos leitos de UTI.

Segundo o mais recente boletim epidemiológico municipal, divulgado nesta quarta-feira (24/02), 70,9% dos leitos de UTI próprios para pacientes com COVID-19 se encontram ocupados. Há uma semana, esse índice era de 47,27%. Hoje 39 pessoas estão ocupando esses leitos contra 26 no dia 16, um salto de 50%.

Para o secretário municipal de Saúde, Flávio Pimenta, a maior internação se deve a vários fatores, dentre eles a maior circulação do vírus e o relaxamento das medidas protetivas por parte da população.

“Uma doença infecciosa, quando o vírus circula mais, quando se tem um alto nível de contaminação, é esperado um crescimento exponencial. A gente percebe que cada nova onda chega com mais gravidade. Além disso, há um descuido, sim da população. As pessoas estão perdendo um pouco do medo, deixando de usar máscaras, de tomar os cuidados. A gente tem visto eventos na cidade, nos bares, com grandes aglomerações. Tentamos fiscalizar, mas temos limitações. Houve também ações da Polícia, mas as pessoas têm um comportamento de enfrentamento”, analisou o secretário.

Pimenta garante que a elevação dos casos graves de internação não se deve ainda à circulação da nova variante do coronavírus. “Não temos nova cepa identificada na nossa região. Nada nos foi colocado ainda pela Coordenação da Macrorregião Central de Belo Horizonte. Pode ser que até esteja circulando, mas a gente não tem essa confirmação”.

Na comparação entre janeiro e fevereiro há uma redução de casos confirmados e de mortes. Entre os dias 1º e 24 deste mês, foram registrados 1.554 novos casos confirmados da doença contra 2.629 no mesmo período de janeiro, uma redução de 40%.

No caso dos óbitos, há uma ligeira queda de 5,4%. Enquanto que neste mês foram confirmadas 35 mortes decorrentes de complicações da COVID-19, em janeiro foram anotados 37 registros.

Mais números da COVID-19 em Sete Lagoas

O boletim epidemiológico municipal desta quarta-feira informa que a cidade tem 10.520 casos confirmados de coronavírus, com 172 mortes. Foram vacinadas com a primeira dose 7.017 pessoas até esta terça-feira, sendo 5.168 trabalhadores da saúde e 1.849 idosos. Destes, 3.497 receberam a segunda dose do imunizante.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade