Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Tô sem fazer cocô: por que algumas pessoas não vão ao banheiro fora de casa

A dificuldade do humorista e empresário brasileiro Abdiás Melo, que viralizou nas redes sociais, não é frescura e tem explicação


06/07/2022 16:31 - atualizado 06/07/2022 17:58

Mulher usando o banheiro pela manhã
Complicações podem aumentar quando a pessoa fica muito tempo sem ir ao banheiro (foto: Freepik/Divulgação)

O humorista e empresário brasileiro Abdiás Melo viralizou nas redes sociais após uma entrevista no aeroporto de Lisboa, em Portugal, na qual expressava sua indignação pelo atraso dos voos. Ao ser perguntado pela jornalista da emissora portuguesa 'RTP' sobre sua situação, o comediante respondeu que estava preso com a mesma cueca há seis dias e sem conseguir ir ao banheiro.

 

"Eu não tomei banho, tô fedendo. Um absurdo. Meu sovaco está fedendo. E eles não fazem nada. Simplesmente falam assim: 'Vamos resolver'. Aí, botam um voo, dá o cartão de embarque, cancela. Eu só faço cocô em casa. Eu tô preso, sem fazer cocô."

 

Apesar da forma indignada, porém engraçada que Abdiás fala, a dificuldade de ir ao banheiro fora de casa é um problema sério que afeta milhares de pessoas e, se não tratado, pode acarretar problemas mais graves.

 

"Popularmente chamado de 'síndrome do intestino tímido', essa dificuldade de ir ao banheiro fora de casa pode ocorrer por uma série de fatores, mas, principalmente, fatores psicológicos. Em alguns casos, fatores fisiológicos também contribuem", explica Diogo Umann, da área de clínica médica e diretor médico da Imedato Consultas e Exames.

 

Mais comum entre as mulheres, esse problema pode ter diferentes causas, mas, de acordo com o profissional, os fatores psicológicos são os mais significativos, como estar num ambiente muito diferente do habitual de casa, ou até mesmo o próprio constrangimento ligado ao ato de evacuar.

 

"Existem também alguns fatores fisiológicos, principalmente em viagens. Mudanças de rotina, rotina de sono, de alimentação, fuso horário, alterações no nível de atividade física", completa Umann.

 

Riscos

 

Diogo esclarece que o principal risco é que, com o tempo, essa dificuldade interfira no hábito, levando à dificuldade crônica de evacuar, mesmo em casa. O mau funcionamento intestinal acaba interferindo numa série de outros aspectos da saúde do corpo, como a absorção de nutrientes, metabolismo, sensação de inchaço constante, dores na região abdominal, entre outros.

 

Leia também: Evitar a irritação do intestino é fundamental para quem está emagrecendo

Tratamento

"Devemos lembrar que o hábito de evacuar é natural e essencial para a saúde. Lembre-se que todos vão ao banheiro", declara.

 

O clínico deixa claro que se necessário existem produtos no mercado no mercado que podem ser usados para bloquear o odor das fezes. "Se a pessoa já identificou que isso é um constrangimento para ela, pode andar com um produto desses no carro ou na bolsa, por exemplo."

 

Leia também: 5 formas de melhorar a saúde do intestino 

 

Em viagens, Umann recomenda incluir alimentos com fibras no dia a dia e, se não for possível, procurar levar suplementos com fibras para utilizar. "E não se esqueça de se hidratar corretamente, pois o nível de hidratação também influencia na produção de fezes", finaliza Diogo.

 

* Estagiária sob supervisão da editora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade