Publicidade

Estado de Minas MAIS UMA VÍTIMA

Com COVID-19, deputado estadual Douglas Melo é internado em BH

O parlamentar começou a sentir os sintomas da doença na quinta-feira e nessa segunda médicos diagnosticaram que 25% dos pulmões estavam comprometidos


01/12/2020 14:49 - atualizado 01/12/2020 15:48

Deputado está internado em hospital de Belo Horizonte junto com sua esposa, que apresenta sintomas e aguarda resultado de exame(foto: Redes sociais/Reprodução)
Deputado está internado em hospital de Belo Horizonte junto com sua esposa, que apresenta sintomas e aguarda resultado de exame (foto: Redes sociais/Reprodução)
O deputado estadual e ex-candidato à Prefeitura de Sete Lagoas, Douglas Melo (MDB), anunciou em suas redes sociais que está com COVID-19. Na cidade localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a média diária de casos cresceu 142% em novembro.

Segundo Melo, os sintomas começaram a aparecer na quinta-feira passada (26/11), quando passou a tossir muito e a sentir febre. No dia seguinte, a temperatura aumentou e, no sábado, foi submetido ao exame para detecção do coronavírus. No início da noite desta segunda-feira (30/11), o deputado confirmou que estava com a doença.

“Acaba de sair a confirmação que realmente fui infectado com o vírus. Já estou me tratando com antibiótico e remédio para controlar a febre. A sensação de desconforto causada é enorme, estou com febre, falta de paladar, diarreia, muita tosse e dor pelo corpo”, afirmou em post na internet. 

Ao Estado de Minas nesta terça-feira, Douglas Melo disse que, por recomendação médica, precisou ser internado, uma vez que 25% dos seus pulmões estavam comprometidos. Além disso, os médicos detectaram uma alteração no fígado. 

Ele explicou ainda que sua esposa se encontra internada no mesmo hospital, em Belo Horizonte. Ela está com sintomas da doença, realizou o exame, mas ainda aguarda o resultado. Seus filhos se encontram em casa e estão assintomáticos. 

Nas redes sociais, o deputado reforçou o pedido para que as pessoas continuem tomando as medidas protetivas contra a COVID-19. “Peço a todos para se cuidarem e continuarem a fazer sua parte, porque o vírus tem alta taxa de transmissão e os sintomas são terríveis. Use máscara, álcool em gel e faça sua parte contra o COVID”.

Números crescem

De acordo com o boletim epidemiológico municipal, emitido nesta terça-feira (1º/12), Sete Lagoas registrou 76 novos casos positivos da doença, sendo 35 mulheres e 41 homens, elevando o número de contaminados para 3.940 desde o início da pandemia. Entre eles, são 63 óbitos, 20 hospitalizados, 144 pessoas em isolamento domiciliar e 3.713 curadas.

Com um aumento de 1,75% nas notificações de novos casos suspeitos nas últimas 24 horas, a cidade tem hoje 1.232 pessoas em monitoramento. Os testes com resultado negativo para COVID-19 já somam 12.751 desde o início da pandemia. O monitoramento para casos de síndrome gripal inespecífica já foi encerrado para 1.831 suspeitos.

Ao todo são 35 pacientes hospitalizados na cidade por causas respiratórias, sendo 21 em enfermaria e 14 em UTI. Destes, 28 testaram positivo para COVID-19, um teve resultado negativo e nove aguardam resultado de exames. Dos 28 pacientes positivos internados, 20 são de Sete Lagoas. Os demais são de Pompéu, Baldim, Abaeté, Caetanópolis, Cachoeira da Prata, Santana de Pirapama e Governador Valadares.

Hoje são 15 pacientes internados no Hospital Municipal (sendo nove em UTI), dez internados no Hospital Nossa Senhora das Graças, sendo sete em enfermaria, dois em UTI e um em pediatria do SUS: uma criança de 4 anos. Há ainda dez pacientes internados no Hospital da Unimed (sendo três em UTI) e três na UPA, em enfermaria. A taxa de ocupação de leitos de UTI destinados exclusivamente a pacientes com COVID-19 na cidade, incluindo leitos do SUS e da saúde suplementar, é de 23%.

O telefone para informações e dúvidas sobre coronavírus em Sete Lagoas, o 3773-2576, está em novo horário. Agora ele funciona de 7h às 17h, de segunda a sábado.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade