Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Itaúna não segue Minas Consciente e abre academias, clubes, salões e bares

Prefeito Neider Moreira (PSD) acusa o governo estadual de incoerência e omissão no enfrentamento da pandemia ao anunciar que vale o decreto municipal


07/06/2021 16:45 - atualizado 07/06/2021 17:20

Itaúna está classificada na onda vermelha do Minas Consciente com alta nos números de COVID-19(foto: Prefeitura de Itaúna/Divulgação )
Itaúna está classificada na onda vermelha do Minas Consciente com alta nos números de COVID-19 (foto: Prefeitura de Itaúna/Divulgação )
O prefeito de Itaúna, no Centro Oeste de Minas, Neider Moreira (PSD), declarou que não vai seguir as orientações do Plano Minas Consciente – que entrou em vigor a partir desse domingo (6/6) – e criticou o governo estadual. 

“O município não fará adesão às últimas recomendações propostas pela Secretaria Estadual de Saúde por entender que as mesmas não têm coerência e mostram mais uma omissão do governo estadual no enfrentamento da pandemia", afirmou em nota por meio da assessoria de comunicação da prefeitura.
 
De acordo com a nova orientação do governo estadual, passam a vigorar nas cidades classificadas na onda vermelha com situação de emergência a proibição de eventos atrativos culturais e naturais; a proibição de abertura de academias, clubes e salões de beleza; a restrição de alimentação em bares e restaurantes após as 19h, com apenas delivery depois deste horário, sem retirada em balcão.
 
A classificação de uma macrorregião nestes cenários, de acordo com o governo de Minas, foi feita a partir de metodologia proposta pela Sala de Situação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em que os territórios em onda vermelha passam por análise ainda mais minuciosa dos indicadores Incidência e Espera por Atendimento, para identificar as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

“Esta gradação dentro da onda vermelha é importante, pois estamos em um momento heterogêneo da pandemia no estado, com cenários diferentes, porém críticos. Dentro destas diferenças, ressaltamos a necessidade de medidas mais restritivas, ainda, para evitar o estresse do sistema de saúde”, explicou o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, ao anunciar as novas medidas na semana passada.

Baccheretti alertou que o momento ainda é de incidência alta da COVID-19 no estado.
 

Incidência e Espera por Atendimento

A combinação dos indicadores Incidência e Espera por Atendimento resultou na classificação dos cenários, que podem variar: Epidemiológico Desfavorável, Assistencial Desfavorável ou Assistencial e Epidemiológico Desfavorável.

Em todos eles, inclusive na macrorregião Oeste, na qual está a microrregião de Itaúna, passou a vigorar, desde domingo (6/6), as seguintes medidas:

  • Proibição de eventos, de atrativos culturais e naturais;
  • Proibição de academias, clubes e salões de beleza;
  • Alimentação em Bares e Restaurantes – limitados até 19h; após este horário, apenas delivery, sem retirada em balcão.
 

Em Itaúna vigora o decreto municipal

A possibilidade de fechamento de academias e salões gerou revolta em Itaúna desde o anúncio do decreto estadual e os proprietários destes estabelecimentos começaram a pressionar o prefeito.

A prefeitura não fez uma comunicação oficial sobre a questão, mas confirmou ao Estado de Minas que o município não vai aderir às novas diretrizes do governo estadual.

De acordo com a prefeitura, continua valendo o decreto municipal publicado na terça-feira (2/6) pelo prefeito Neider Moreira, e que entrou em vigor na quarta-feira (3/6).
 
Na resposta da prefeitura de Itaúna, foi feita ainda uma crítica ao governo estadual: "A Prefeitura de Itaúna mantém funcionando o atual decreto municipal que tem vigência desde o último dia 2/6. O município não fará adesão às últimas recomendações propostas pela secretaria estadual de Saúde por entender que as mesmas não têm coerência e mostram mais uma omissão do governo Estadual no enfrentamento da pandemia."
 
Prefeito de Itaúna, Neider Moreira (PSD) critica o governo estadual no enfrentamento da pandemia(foto: Prefeitura de Itaúna/Divulgação )
Prefeito de Itaúna, Neider Moreira (PSD) critica o governo estadual no enfrentamento da pandemia (foto: Prefeitura de Itaúna/Divulgação )
 
O decreto municipal prevê que as atividades comerciais podem funcionar até 22h30, com proibição do consumo de bebidas alcóolicas em bares, restaurantes e locais públicos.

Também estão proibidas as festas e eventos em qualquer local e a prática de esportes coletivos não profissionais.

Outro ponto do decreto municipal é o rodízio de clientes nos supermercados de acordo com o final do número do CPF.

Em um dia poderão frequentar os supermercados os clientes com CPFs terminados em números ímpares e no outro as pessoas com CPFs terminados em números pares.

A prefeitura não determinou os dias e cada supermercado está definindo a frequência dos clientes.
 
 
 

Recorde de casos e hospital lotado

Na semana anterior ao decreto municipal, Itaúna apresentou recorde semanal no número de casos com 590 novos pacientes diagnosticados com COVID-19.

A prefeitura e o Hospital Manoel Gonçalvevs, que além de Itaúna atende também aos moradores de Itaguarda, Itatiaiuçu e Piracema, emitiram comunicados de alerta sobre a superlotação hospitalar e a falta de condições de aumento de atendimentos.

De acordo com o comunicado, o hospital estava operando com capacidade de 160% dos leitos de COVID, com todos os pontos de oxigênio ocupados e sem condições físicas de aumento desses pontos, e também com esgotamento da capacidade de atendimento dos funcionários.

Na semana passada, devido ao feriado de Corpus Christi na quinta-feira (3/6) e do ponto facultativo no serviço público na sexta-feira (4/6), não houve divulgação do boletim de novos casos.

Nesta segunda-feira (7/6), a expectativa é de anúncio de um grande número de registros, uma vez que serão somados os resultados de exames positivos de quinta, sexta, sábado, domingo e segunda-feira.

O Hospital Manoel Gonçalves emitiu boletim de ocupação de leitos na sexta-feira (4/6), apontando ocupação ainda acima da capacidade máxima – com 54 leitos de enfermaria ocupados, quando o reservado para COVID seriam 42 – e ocupação total dos 20 leitos de UTI.
 
Boletim do Hospital Manoel Gonçalves, que atende Itaúna, Itatiaiuçu, Itaguara e Piracema, aponta superlotação(foto: Divulgação Hospital Manoel Gonçalves)
Boletim do Hospital Manoel Gonçalves, que atende Itaúna, Itatiaiuçu, Itaguara e Piracema, aponta superlotação (foto: Divulgação Hospital Manoel Gonçalves)



Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade