Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Vacinação geral começa em BH: veja o cronograma desta semana

Até sábado, a Prefeitura de Belo Horizonte vai imunizar contra o coronavírus quem tem entre 59 e 56 anos. Nesta fase, serão aplicadas doses da AstraZeneca


07/06/2021 06:00 - atualizado 07/06/2021 07:48

A vacinação dessa faixa etária em Belo Horizonte ocorre com o avanço na imunização dos grupos prioritários contemplados no PNO(foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
A vacinação dessa faixa etária em Belo Horizonte ocorre com o avanço na imunização dos grupos prioritários contemplados no PNO (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)

A vacinação segue a passos lentos, mas na capital mineira o ritmo é um pouco mais rápido que na maior parte de Minas e do Brasil. Com taxa de vacinados em relação à população superior à média do estado e do país, a Prefeitura de Belo Horizonte começa a vacinar hoje o público adulto que não faz parte dos grupos prioritários. A vacinação se estende a pessoas de 59 a 56 anos sem comorbidades, o que corresponde a 96 mil pessoas. Também segue nesta segunda-feira o cadastramento dos caminhoneiros para que possam ser vacinados no sábado (12/06).

A Secretaria Municipal de Saúde informou, por meio de nota, que as doses para os grupos contemplados nesta etapa da campanha estão garantidas e orientou que as pessoas não precisam chegar aos locais de vacinação antes do horário inicial.Nesta etapa, serão aplicadas vacinas da AstraZeneca.

A Capital recebeu, até o momento, 1.671.985 doses de todas as fabricantes de vacinas e aplicou 875.525 primeiras doses, o que corresponde a 43% da população com mais de 18 anos, o público-alvo da campanha de vacinação. Foram aplicadas 398.694 segundas doses, 19,6% desse público.

A vacinação de pessoas com idade de 59 anos ou menos ocorre com o avanço na imunização dos grupos prioritários contemplados no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19.

Na capital, os idosos com mais de 60 anos receberam 461.439 primeiras doses e 301.706 segundas doses;  trabalhadores da saúde (180.699 e 92.657). O grupo formado por pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas recebeu 167.534 primeiras doses e nenhuma pessoa desse grupo recebeu a segunda ainda.

As forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdades receberam apenas primeiras doses (16.802); trabalhadores de educação receberam 39.043 doses. Outro grupo não especificado recebeu 10.004 primeiras doses e 4.189 segundas doses.

Grupos prioritários

A campanha de imunização se estende, também, a grupos prioritários. No decorrer desta semana, serão vacinados motoristas do transporte coletivo municipal e auxiliares de bordo, trabalhadores da limpeza urbana e do manejo de resíduos sólidos, além de funcionários do sistema metroferroviário.

Para a vacinação por faixa etária, o cidadão precisa apresentar comprovante de residência em BH e documento de identificação. É necessário não ter sido imunizado previamente contra a COVID-19, não ter tido sintomas da infecção no último mês e não ter recebido a injeção antigripal nas duas semanas anteriores.

As recomendações valem, também, para os grupos profissionais prioritários. Eles devem comprovar vínculo empregatício em empresa sediada na capital mineira, com especificação da função por meio de documentos como carteira de trabalho, contracheque dos últimos três meses, contrato de trabalho ou declaração de vinculação ativa.

Até o último dia 4, sexta-feira, Belo Horizonte registrou 212.178 casos de COVID-19 e 5.182 mortes.

Cronograma da semana

  • Hoje: 59 anos completos até 30 de junho

  • Amanhã: 58 anos completos até 30 de junho

  • Quarta-feira, 9/6: 57 anos completos até 30 de junho

  • Quinta-feira, 10/6: motoristas do transporte coletivo municipal e cobradores, trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, além de funcionários do sistema metroferroviário

  • Sexta-feira, 11/6: 56 anos completos até 30 de junho

  • Sábado, 12/6: caminhoneiros

Minas registra 41.610 mortes

Minas Gerais confirmou 5.019 casos de infecção e 131 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas. De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado ontem pela Secretaria de Estado da Saúde, 1.621.895 pessoas se contaminaram com o novo coronavírus. E, desse total, 41.610 morreram desde o começo da pandemia.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas


 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade