Publicidade

Estado de Minas NORTE DE MINAS

COVID-19: Espinosa fecha o comércio e decreta toque de recolher

"Material a gente recupera. Agora, a vida não tem como recuperar", diz prefeito da cidade, situada na divisa de Minas com a Bahia


01/03/2021 18:18 - atualizado 01/03/2021 18:48

Comércio fechado em Espinosa em plena segunda-feira(foto: Wagner Oliva/Divulgação)
Comércio fechado em Espinosa em plena segunda-feira (foto: Wagner Oliva/Divulgação)
A prefeitura de Espinosa, no Norte de Minas, decretou o fechamento de todo o comércio, bancos e casas lotéricas da cidade a partir desta segunda-feira (1º/3) numa tentativa de frear o avanço do coronavírus, diante do agravamento da COVID-19 na região. Também foi determinado o toque de recolher, com a proibição de circulação de pessoas nas ruas da cidade entre 20h e 5h.

O lockdown parcial foi decretado no município por nove dias. Espinosa está situada a 10 quilômetros da divisa com a Bahia, onde o governador Rui Costa (PT), desde sexta-feira (26/2), determinou uma série de restrições às atividades econômicas, diante do agravamento da pandemia.

O prefeito de Espinosa, Milton Barbosa (PT), afirma que decidiu pelo endurecimento das medidas restritivas por causa da superlotação dos hospitais da região e do aumento de casos da doença  e de óbitos provocados pela COVID-19 no município.

Desde a semana passada, o Norte do estado entrou na onda vermelha, a fase mais crítica da situação da pandemia dentro do Programa Minas Consciente, do governo estadual.

De acordo com o secretário de Saúde de Espinosa, Paulo Mozart Fernandes, nos primeiros 59 dias deste ano foram registrados na cidade 16 mortes causadas pelo coronavírus, mais do que os 13 óbitos decorrentes da doença ocorridos no município durante o ano de 2020.

Desta forma, Espinosa (31,6 mil habitantes) alcançou 29 mortes provocadas pela COVID-19, com o total de 770 pessoas contaminada pela doença até agora – na ultima semana, foram registrados 101 novos casos.

O prefeito Milton Barbosa, em um vídeo, pediu desculpas aos comerciantes locais pelos prejuízos provocados em função do fechamento dos estabelecimentos, determinado pelo decreto municipal. Ele justificou que não tem outra saída para salvar vidas diante do aumento do número de casos e falta de vagas nos hospitais.

“Peço desculpas aos empresários, aos comerciantes, que acabam sofrendo os reflexos do decreto. Porém, isso é necessário. São somente nove dias (de fechamento do comércio). O retorno será muito grande: a vida das pessoas”, afirmou Barbosa. "Nada paga a vida. Material a gente reconquista, recupera. Agora, a vida não tem como recuperar”, completou.

O chefe do executivo de Espinosa disse que a cidade norte-mineira, por ficar muito próxima da Bahia, acabou sentindo os reflexos da suspensão das atividades econômicas no estado vizinho. “Como parou tudo lá (na Bahia), o povo vem prá cá”, afirmou Barbosa.

De acordo com o decreto municipal, até 9 de março todo o comércio de Espinosa deverá permanecer com as portas fechadas. São permitidas as vendas pelo sistema delivery ou drive thru apenas por estabelecimentos do comércio essencial, como supermercados e farmácias. Bares, restaurantes e padarias também podem fazer entregas, mas somente até às 23h.

O autoatendimento (dos caixas eletrônicos) das agências bancárias poderá ser mantido, mas em horário reduzido: até às 18h.
 

Todos os leitos ocupados 

O secretário de Saúde de Espinosa, Paulo Mozart Fernandes, informou que o Hospital Municipal da cidade dispõe de atendimento voltado para atenção básica (“hospital de retaguarda”), contando somente com sete leitos para pacientes da COVID-19. Todos eles estão ocupados.

Fernandes salientou que os casos graves de coronavírus de Espinosa são encaminhados para outras cidades da região, com hospitais de referência para internações de pacientes com coronavirus (Montes Claros, Janaúba e Porteirinha). Mas, as unidades hospitalares das três unidades de referência enfrentam superlotação. Em Montes Claros, cidade-polo do Norte de Minas, foi iniciado o toque de recolher desde quinta-feira (24/02).

Em outras cidades da região também foram decretadas medidas mais restritivas, com o objetivo de diminuir a propagação do coronavirus. Em Monte Azul (distante 30 quilômetros de Espinosa), as restrições valem por nove dias, a partir desta terça-feira (2/3).

As medidas adotadas em Monte Azul (20,6 mil habitantes) são muito parecidas com as restrições impostas em Espinosa. Foi toque de recolher na cidade, com a proibição da circulação de pessoas nas ruas das 22h às 5h, exceto para os entregadores do sistema delivery.

O atual prefeito da cidade, Paulo Dias Moreira (MDB), foi contaminado pela COVID-19 no segundo semestre de 2020 e teve o quadro agravado, permanecendo internado em Montes Claros e Belo Horizonte durante boa parte da campanha eleitoral. Depois, conseguiu se recuperar.
 
De acordo com o ultimo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Monte Azul, o município já teve 827 casos confirmados de pessoas contaminadas pelo coronavírus e 15 mortes provocadas pela doença.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade