Publicidade

Estado de Minas COVID 19

Montes Claros: comerciantes temem desemprego com toque de recolher

Donos de bares e restaurantes alegam que serão perdidos centenas de empregos na cidade; prefeitura diz que medida foi 'extremamente necessária'


25/02/2021 16:41 - atualizado 25/02/2021 17:31

Com o toque de recolher, o delivery está proibido em Montes Claros entre 22 h e 5h(foto: Luiz Ribeiro/D.A Press)
Com o toque de recolher, o delivery está proibido em Montes Claros entre 22 h e 5h (foto: Luiz Ribeiro/D.A Press)
Montes Claros, no Norte de Minas, iniciou, nesta quinta-feira (25/2), o toque de recolher, adotado pela prefeitura com o objetivo de frear o avanço da COVID-19, em meio ao aumento de mortes e à reclamação de donos de bares e restaurantes de que o endurecimento das restrições vai provocar centenas de demissões no setor. As restrições foram adotadas por 10 dias.
 
De acordo com o Decreto Municipal 4.176, a partir desta quinta-feira está proibido o funcionamento de quaisquer atividades econômicas, assistenciais, culturais e religiosas no horário das 22h às 5h, com o serviço de entregas delivery suspenso no mesmo horário. Além disso, está proibida a circulação de pessoas e veículos nas vias públicas entre 22h30 e 5h. Supermercados, lojas de conveniência, bares, restaurantes e similares também não poderão funcionar entre 21h30 e 6h.
 
Por ocasião da assinatura do decreto, na terça-feira (23/2), a secretária Municipal de Saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta, informou que o endurecimento das medidas restritivas foi sugerida pelo Comitê de Enfrentamento da COVID-19 no município, diante do aumento de casos da doença e da superlotação dos hospitais da cidade.
 
Nesta quinta-feira (25/2), data do início do toque de recolher, Dulce Pimenta divulgou um dado alarmante: de que, em 24 horas, foram registradas em Montes Claros 12 mortes em decorrência da COVID-19, sendo o maior número de óbitos provocados pela doença em um único dia na cidade, até então.
 
De acordo com as informações da prefeitura, são 18.452 casos confirmados de coronavírus e 292 mortes causadas pela doença respiratória. Ainda conforme o último boletim divulgado, a taxa de ocupação dos leitos hospitalares clínicos na cidade atingiu 90% na noite de quarta-feira (24/2), enquanto o percentual de ocupação de vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) chegou a 70%. 

Donos de bares e restaurantes alegam desemprego

O presidente regional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no Norte de Minas, Rodrigo de Paula, disse que o aumento das restrições ao funcionamento dos estabelecimentos vai elevar o desemprego no setor.
 
Segundo ele, o “toque de recolher” deverá provocar a perda de 1.300 a 1.500 postos de trabalho nos bares, restaurantes e similares do município nos próximos 10 dias. Alegou também que muitos negócios estão sendo fechados. 

“Desde o início da pandemia, os bares e restaurantes já vinham enfrentando muitas dificuldades para se manter. Agora, com esse toque de recolher, vai começar a demissão em massa”, declarou Rodrigo.   

Ele alegou que uma das restrições mais prejudiciais ao setor está sendo a proibição do funcionamento do serviço delivery entre 22 h e 5h. Rodrigo de Paula relatou que procurou a Câmara de Vereadores local, numa tentativa de conseguir alguma medida da municipalidade para amenizar os prejuízos sofridos pelos bares e restaurantes. Mas não obteve retorno.
 
“Não somos contra as medidas preventivas que visam garantir a vida. Mas queremos alguma contrapartida para a manutenção dos negócios”, afirma o presidente regional da Abrasel. 

O procurador-geral de Montes Claros, Otávio Batista Rocha, disse que reconhece que as restrições das atividades dos restaurantes e bares acarretam “danos econômicos” ao setor, mas que a prefeitura se viu obrigada a adotar as medidas para conter o avanço da pandemia.

“Ninguém faz isso por querer. As medidas restritivas à circulação de pessoas estão sendo adotadas, porque realmente são necessárias para impedir o aumento de casos da doença. Não queremos que a situação do coronavírus em nosso município chegue a uma situação de caos como vimos em Manaus, por exemplo”, argumenta o procurador. Ele lembrou ainda que Montes Claros é o polo regional e “tiver um colapso nos hospitais da cidade,isso vai refletir em toda região do Norte de Minas”.
 
Hospitais de Montes Claros receberam também pacientes graves de outras cidades de Minas que enfrentam uma situação caótica com o aumento de casos da COVID-19, como Coromandel, no Alto Paranaíba. 
 
Otávio Rocha reclamou das pessoas, sobretudo dos jovens, que insistem em promover aglomerações e participar de festas clandestinas, aumentando os riscos de propagação da COVID-19. “Se essas pessoas tivessem respeito e responsabilidade em relação às outras pessoas, inclusive com seus pais e avós, talvez não seriam necessárias as medidas mais restritivas.” 
 
Ouvido pela reportagem nesta quinta-feira, o prefeito de Montes Claros, Humberto Souto (Cidadania), declarou que ainda não recebeu nenhum pedido formal para mudanças no toque de recolher para o atendimento à reclamação dos bares e restaurantes. Porém, ele alegou que as medidas restritivas foram adotadas porque foram “extremamente necessárias” para conter o avanço da COVID-19 diante da superlotação dos hospitais do município.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade