Publicidade

Estado de Minas Pandemia

CDL pede ao MP que comércio de BH permaneça aberto

Entidade vai enviar ofício nesta segunda-feira (10) ao Ministério Público reforçando apoio à flexibilização e contra adesão da capital ao Minas Consciente


09/08/2020 13:27 - atualizado 09/08/2020 16:36

Reabertura do comércio em Belo Horizonte corre risco de recuar com adesão ao Minas Consciente(foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)
Reabertura do comércio em Belo Horizonte corre risco de recuar com adesão ao Minas Consciente (foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) vai enviar um ofício ao Ministério Público (MP) nesta segunda-feira (10) para que comércio de BH permaneça aberto. O documento é contra a adesão da capital ao Minas Consciente, programa do Governo de Minas que orienta as prefeituras sobre a flexibilização do comércio.


O prefeito Alexandre Kalil (PSD) permitiu a reabertura parcial da cidade, no entanto, a orientação da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) é de que as cidades da Região Central liberem o funcionamento apenas dos serviços essenciais.

Segundo a CDL/BH, dois fatores devem ser levados em consideração na análise do Ministério Público: ocupação de leitos e taxa de transmissão da doença. Nessa semana, a Prefeitura de Belo Horizonte decidiu incluir os leitos de UTI da rede suplementar para o tratamento da COVID-19.



 

“Por causa dessa medida, que já deveria ter sido tomada há mais tempo, os índices de ocupação de leitos de UTI estão em queda e devem continuar caindo”, disse o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

 

Souza e Silva diz que Belo Horizonte estaria vivendo “a maior quarentena do mundo” e que mais de 7 mil empresas já foram fechadas. Além do comércio aberto entre quarta e sexta-feira, a CDL pede a reabertura de outros setores. “Como bares, restaurantes e academias. É importante que o Ministério Público leve em consideração a situação das pessoas que estão impedidas de trabalhar”.

 

Reabertura em risco 

flexibilização do comércio em Belo Horizonte está em risco porque, em reunião com a prefeitura na tarde de sexta-feira (7), o Ministério Público recomendou ao Executivo municipal a adesão ao programa Minas Consciente do governo do estado. De acordo com a PBH, houve divergências entre as partes durante o encontro. Contudo, a prefeitura não detalhou quais diferenças foram essas.

 

A adesão ao Minas Consciente, contudo, vai depender da PBH. Isso porque o MP deve recomendar a entrada de BH no programa do governo Romeu Zema (Novo), em vez de mover uma decisão judicial.

 

As cidades que não aderirem ao programa do governo Zema precisam respeitar uma deliberação do Comitê Extraordinário COVID-19, também da administração estadual. 


Regras mais rígidas 

Essa norma tem mais restrições que o Minas Consciente, o que força os municípios, na maioria das vezes, acatarem o planejamento do governo estadual. 

 

Assim, a prefeitura pretende analisar a recomendação da promotoria e encaminhar uma resposta ao órgão. O prazo, porém, vai até quarta-feira (12/8).

 

Caso a PBH acate a recomendação, a cidade terá que regredir na reabertura do comércio. Isso porque tanto a macrorregião (Centro) e microrregião onde está localizada a capital mineira estão na zona vermelha, aquela que só permite o funcionamento de serviços essenciais.

 

Serviços que poderão funcionar se BH aderir ao Minas Consciente:  

  • Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;
  • Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);
  • Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;
  • Serviços de ambulantes de alimentação;
  • Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;
  • Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;
  • Vigilância e segurança privada;
  • Serviços de reparo e manutenção;
  • Lojas de informática e aparelhos de comunicação;
  • Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;
  • Construção civil e obras de infraestrutura;
  • Comércio de veículos, peças e acessórios automotores. 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir



VIDEO1]

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:





receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade