Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM MINAS

COVID-19: Minas se aproxima de 90% dos municípios com casos confirmados

Nove cidades do interior de Minas já ultrapassaram a marca de mil pacientes infectados, enquanto outras quatro estão próximas de romper a triste barreira


10/07/2020 13:10 - atualizado 30/07/2020 17:11

Aumento expressivo de casos reflete na pressão ao sistema de saúde do estado(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Aumento expressivo de casos reflete na pressão ao sistema de saúde do estado (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Minas Gerais está próximo de completar a triste marca de 90% dos municípios com pelo menos um caso confirmado de coronavírus. Ao todo, 752 cidades já registraram infecções da doença. Em nove localidades do interior do estado, a COVID-19 já atingiu mais de mil pessoas. Mas de acordo com os últimos boletins epidemiológicos da Secretaria Estadual de Saúde (SES/MG), outros quatro lugares devem atingir o índice nos próximos dias. 

O levantamento a seguir mostra as situações das cidades, divididas por regiões, que ultrapassaram a marca de mil casos e aquelas que estão próximas de chegar ao fatídico índice. Os dados foram extraídos do boletim epidemiológico da SES/MG desta sexta.

Municípios com mais de 1 mil casos de COVID-19

Grande BH

Dos municípios da Região Metropolitana de BH que estão na lista, Betim lidera. A cidade tem 1.364 casos confirmados, dos quais 45 resultaram em óbitos. No boletim da SES/MG do dia 10 de junho, a localidade tinha 309 ocorrências da doença. O aumento em um mês é de 341%. Já em relação aos óbitos, há um mês eram 14 vidas perdidas. Hoje são 45, representando um acréscimo de 221%.
Contagem tem 1.276 casos confirmados, dos quais 72 resultaram em óbitos. Há um mês, eram 488 notificações da doença, o que representa um aumento de 161%. O número de mortes, por outro lado, subiu 323%. No dia 10 de junho, o boletim estadual indicava 17 óbitos na cidade.

Ribeirão das Neves também faz parte dos municípios com números superiores a mil em relação ao número de casos. O Estado de Minas já havia mostrado a aceleração de casos na cidade, que teve uma alta de quase 500% em um mês. Neves registrou 1.017 pessoas infectadas, elevando para 556% o índice de alta em 30 dias. No dia 10 de junho, tinham sido registradas 155 ocorrências. Naquela ocasião, foram contabilizados três óbitos. Hoje são 10, ou seja, um aumento de 233%.

Triângulo Mineiro

Está no Triângulo Mineiro a cidade do interior de Minas que contabiliza o maior número de casos confirmados de coronavírus. É Uberlândia, com quase 700 mil habitantes, que já registrou 8.625 pacientes infectados, dos quais originaram 136 óbitos causados por complicações da doença. 

A principal cidade do Triângulo Mineiro chegou a ultrapassar Belo Horizonte em número de casos, mas a capital teve a aceleração de contágio acelerada e hoje está próxima de bater a marca de 10 mil infectados. 

Uberlândia também está em uma triste escalada rumo aos 10 mil casos. No dia 10 de junho, a cidade tinha 1.406 pacientes infectados. Um aumento de 513% em um mês. Naquela época, 30 óbitos haviam sido registrados. Hoje são 136 vidas perdidas. Um acréscimo de 353%.

Uberaba também ultrapassou a triste marca de mil casos. Já são 1.012, dos quais 32 resultaram em óbitos. Há um mês, eram 305 ocorrências da doença - com nove óbitos -, aumentos de 231% 255%, respectivamente.

Vale do Aço

Outro município que se destaca negativamente em relação aos novos números de casos diários de COVID-19 é Ipatinga, no Vale do Aço. O boletim estadual já registrou 3.313 infecções por coronavírus na cidade, dos quais 55 resultaram em mortes provocadas pela doença. Há um mês, eram 546 ocorrências, com 11 resultantes em óbitos, aumentos de 506% e 400%, respectivamente.

Zona da Mata

A Zona da Mata mineira tem duas cidades com mais de mil casos de coronavírus. A primeira delas é Juiz de Fora, com 2.414 pacientes infectados, com 68 mortes. Há um mês, o número de pessoas com COVID-19 no município era de 763, o que representa 216% de aumento. Na época, 37 óbitos haviam sido considerados, número que subiu para 68, representando um acréscimo de 83%.

Muriaé passou a fazer parte da triste lista nesta semana. Nesta sexta, o boletim estadual aponta 1.117 ocorrências na cidade, dos quais 27 resultaram em óbitos, um aumento de 290% e 170%, respectivamente, em um mês, quando o município tinha 286 infectados e 10 mortes provocadas pela doença.

Vale do Rio Doce

Governador Valadares é a única cidade do Vale do Rio Doce que superou a marca de mil casos. O município superou o triste índice de 2 mil notificações da doença, com 2.008 registros. Há um mês, eram 320 ocorrências. Um aumento de 527%.

Outro destaque negativo é em relação ao número de mortes. Em junho, o Estado de Minas já havia mostrado que os óbitos na cidade haviam quadruplicado em um mês. No dia 10 de junho, eram sete vidas perdidas para a COVID-19. Agora são 53. Aumento de 657%.

Leia mais: Interiorização da COVID-19 em Minas preocupa cidades-polo, como Ipatinga e Valadares

Municípios próximos de atingir mil casos


Triângulo Mineiro

Município vizinhos de Uberlândia e Uberaba, Araguari está próximo de entrar na lista de municípios com mais de mil casos.

Entre os municípios citados pela reportagem, Araguari é a cidade que apresenta o maior aumento em número de casos em um mês, chegando a 2.050%. Isso porque há um mês, a cidade tinha 38 notificações da doença. Hoje são 817. No dia 10 de junho, um óbito por COVID-19 havia sido confirmado. Atualmente são 10 vidas perdidas, ou seja, um acréscimo de 900%.

Vale do Aço

Assim como a vizinha Ipatinga, tudo indica que Coronel Fabriciano deve entrar na lista dos municípios com mais de mil casos de COVID-19 nos próximos dias. Até o momento, de acordo com o boletim estadual, a cidade contabilizou 971 notificações. Há um mês, eram 173. Um aumento de 461%. No dia 10 de junho, Fabriciano não registrava óbitos. Atualmente, a cidade tem 11 mortes pela doença.

Vale do Mucuri

Com 906 casos, Teófilo Otoni é mais um município mineiro a se aproximar da triste marca das mil ocorrências de COVID-19. Com 406 notificações em 10 de junho, a cidade registrou um aumento de 123%. Mas o maior acréscimo, infelizmente, está nos óbitos. Há um mês eram 10. Hoje, 38. Ou seja, 220% a mais de vidas perdidas.

Região Central

Já na Região Central está Itabira, que apresentou o menor índice de aumento de casos entre os municípios citados pela reportagem, com 89%. Isso porque há um mês, eram 441 casos. Hoje, são 837. De lá para cá, houve dois óbitos. Ao todo, a cidade já registrou três mortes por COVID-19.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte. 
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade