Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Com mais casos que BH, Uberlândia soma 100 mortes por COVID-19

Secretaria de Saúde atribui altos números ao índice de exames feitos; 'Uma das cidades que mais testa no Brasil', diz responsável pela rede de urgência


postado em 26/06/2020 20:18 / atualizado em 26/06/2020 22:40

Segundo a saúde municipal, Uberlândia tem 6.060 casos de coronavírus. (foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press - 6/5/11 )
Segundo a saúde municipal, Uberlândia tem 6.060 casos de coronavírus. (foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press - 6/5/11 )
Uberlândia, no Triângulo, é a cidade de Minas Gerais com mais casos do novo coronavírus. Segundo o boletim divulgado pela prefeitura local nesta sexta-feira, o município soma 6.060 infecções, além de 100 mortes em decorrência da doença. O número de testes feito por Uberlândia é a justificativa para a alta quantidade de diagnósticos positivos. Todos os leitos de UTI da rede municipal estão ocupados.

Belo Horizonte, por sua vez, tem 4.977 casos e 109 óbitos. Os dados da capital são do levantamento feito pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Em todo o estado, mais de 38 mil pacientes já testaram positivo.

Segundo o assessor técnico de urgência e emergência da Secretaria de Saúde de Uberlândia, Clauber Lourenço, a cidade faz 3,4 mil testes a cada 100 mil habitantes.

“Uberlândia é uma das cidades que mais testa no Brasil. Testamos, por 100 mil habitantes, mais que 24 estados brasileiros. Quem testa mais, vai encontrar mais o vírus”, afirmou.

De acordo com Lourenço, a cidade instalou respiradores em leitos de enfermarias e na sala de estabilização do Hospital Municipal para desafogar o sistema. A ideia é habilitar 10 novas vagas de UTI na rede uberlandense.

Em 24 horas, o município contabilizou 95 novos casos. Há, ainda, 738 suspeições.

Medidas restritivas

Na semana passada, o prefeito Odelmo Leão (PP) baixou decreto autorizando o funcionamento, apenas, dos serviços considerados essenciais. Ao Estado de Minas, Clauber Lourenço disse que os impactos da medida serão sentidos a partir da próxima semana.

“O efeito do fechamento vai se mostrar na próxima semana. O decreto vale até a próxima sexta, quando teremos os números e, aí sim, saberemos se o fechamento foi totalmente efetivo ou se será preciso endurecer ainda mais”, declarou.

As 100 mortes fizeram o Executivo municipal decretar luto oficial de três dias.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade