Publicidade

Estado de Minas SUPERFERIADO

Entenda o que fez Governo e ALMG desistirem de antecipar feriado em Minas

Projeto previa que os feriados estaduais de 21 de abril de 2021, 2022 e 2023, referentes a Tiradentes, fossem antecipados para 5, 6 e 7 de abril deste ano


30/03/2021 12:06 - atualizado 30/03/2021 12:56

21 de abril é comemorado tradicionalmente na Praça Tiradentes, em Ouro Preto(foto: 21/04/2017 - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press )
21 de abril é comemorado tradicionalmente na Praça Tiradentes, em Ouro Preto (foto: 21/04/2017 - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press )
A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e o Governo de Minas recuaram e desistiram de implementar o “superferiado” em Minas Gerais. A ideia era estender o recesso, que terá início na sexta-feira (2/4), até quarta-feira (7/4), para aumentar o isolamento social no estado, na tentativa de conter o avanço da COVID-19.

No entanto, especialistas da área da saúde alertaram que a folga prolongada poderia aumentar a disseminação do novo coronavírus, já que as pessoas mantêm o hábito de viajar e aglomerar, como ocorreu no Carnaval e no fim do ano passado, durante o Natal e o Réveillon

Para estender o feriado, o projeto, de autoria do presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), previa que os feriados estaduais de 21 de abril de 2021, 2022 e 2023, referentes a Tiradentes, fossem antecipados para 5, 6 e 7 de abril deste ano.

Depois de desistir da decisão, Patrus destacou, em nota conjunta divulgada na manhã desta terça-feira (30/03), que “a eficácia desta medida requer maior embasamento fático e estatístico, por isso, a proposta foi retirada do projeto”

O infectologista Unaí Tupinambás, professor de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, acredita que a desistência em antecipar as folgas foi uma medida correta do ponto de vista epidemiológico.

“A gente tem que parar de ficar “passando pano”, temos que dar nome aos bois: o que nós precisamos é de um lockdown. Essa história de antecipar um feriado, o sinal que vamos pôr para a população é outro: ‘então é feriado e vou pra praia, vou pra hotel fazenda, cachoeira, visitar meus parentes no interior’. Não é um momento de viajar, de pegar avião, de ter feriadão. É momento de lockdown. Diminuir a mobilidade urbana, caso contrário, essa tragédia de gente morrendo à espera de leito vai se estender até o final de maio, início de junho”, alerta o especialista.



Defensor de medidas mais rígidas no combate à pandemia do novo coronavírus, Tupinambás alerta que é preciso ficar em casa, sair somente se necessário, evitar aglomerações e lugares fechados.

“Não podemos usar o termo ‘feriadão’, mesmo porque é um peso a mais para o trabalhador, antecipar os feriados. O que precisamos é restringir ainda mais a mobilidade. Fazer como, por exemplo, Araraquara, tem dados muito emblemáticos. Lá fizeram lockdown e conseguiram reduzir pela metade em 15 dias. Precisamos disso, não de ficar passando panos quentes e tapar o sol com a peneira”, conclui.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade