Publicidade

Estado de Minas SEMANA SANTA

Divinópolis antecipa feriado até de 2022 para conter circulação de pessoas

Quatro datas comemorativas serão adiantadas para a próxima semana; medida dividiu opiniões e teve votação acirrada na Câmara


26/03/2021 18:54 - atualizado 26/03/2021 21:07

Os feriados na cidade foram antecipados para a Semana Santa(foto: Divulgação/PMD)
Os feriados na cidade foram antecipados para a Semana Santa (foto: Divulgação/PMD)
Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas Gerais, vai antecipar a partir desta segunda-feira (29/3) quatro feriados. O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) tratou a medida como “extrema” para conter a circulação de pessoas nas ruas da cidade devido à pandemia do novo coronavírus.

Para justificar a medida, ele citou a alta taxa de ocupação hospitalar, que chegou a 389% no hospital de campanha nesta sexta-feira (26/3).

 

Serão considerados feriados os dias 29, 30 e 31 de março e 1º de abril (segunda a quinta-feira) da Semana Santa. A sexta-feira (2 de abril) já é feriado de Paixão de Cristo.

 

Com essa decisão, serão antecipados os seguintes feriados: Aniversário de Divinópolis e Dia de São Firmino (1º de junho), Corpus Christi (3 de junho) e o Dia de Imaculada Conceição, 8 de dezembro, de 2021 e de 2022.

Esses feriados constam na Lei Municipal nº 744 de abril de 1967.

 

A medida “não se aplica aos serviços públicos de saúde, às unidades de saúde, aos serviços de segurança pública, de fiscalização e de serviço funerário, além de outras atividades que não podem sofrer descontinuidade”.

 

Votação acirrada

 

A antecipação passou primeiro pelo crivo dos vereadores. Em votação acirrada, nesta sexta-feira (23/3), o presidente da Câmara, Eduardo Print Jr (PSDB), definiu o resultado com o voto de minerva. O placar terminou em 9 a 8. 

 

Durante discussão acalorada, o vereador Rodrigo Kaboja (PSD) pediu sobrestamento. Entretanto, foi negado por Print Jr. Para ele, a antecipação é “assoada, temerária” e pode gerar “mais problemas do que soluções”.

 

“Traremos mais incertezas para os trabalhadores, para os empresários e principalmente para as indústrias. As pessoas terão grande dificuldade para pagar suas contas e cumprirem seus compromissos. (...) Os empresários já estão com água no nariz, e essa medida irá afogá-los ainda mais”, argumentou.

Ele ainda questionou o cumprimento do isolamento. “Quem garante que em vez de estarem protegidos no trabalho não estarão em sítios?”, indagou.

 

Na mesma linha, o presidente da Comissão de Saúde, Israel da Farmácia (PDT), disse que antecipar o feriado seria dar “carnaval para a turma”.

Ele ainda acusou o governo de fazer vista grossa para a falta de fiscalização: “No governo passado era um saco, era fiscalização sábado, domingo, feriado. Agora não tem”.

 

O vereador Flávio Marra (Patriotas), sem usar máscara, classificou a Onda Roxa como “lockdown mentiroso”. Disse que a aprovação do projeto representaria o fechamento da cidade e que até o momento não houve impacto positivo na ocupação hospitalar.

“Antes, a UPA estava com 98% de ocupação, agora está com 300%”, declarou, apelando ao prefeito: “Quem a gente está querendo enganar aqui? O Zema é um cagão. Não seja um cagão, prefeito. Não feche a cidade”.

 

A vereadora Lohanna França (Cidadania) foi a favor do projeto. Entretanto, criticou a falta de planejamento do governo ao lidar com o setor empresarial. “Os empresários poderiam ter sido mais respeitados. Faço coro a isso. Avisamos no dia 10 de março (risco de colapso). A prefeitura poderia ter feito um plano de fechamento em que eles (empresários) pudessem ter se preparado”, afirmou.

 

Rodyson do Zé Milton (PV) também foi favorável. Alegou que o projeto é uma “ajuda aos pequenos empresários” que poderão abrir as portas nas datas oficiais dos feriados. Ele citou que, mesmo sem a antecipação, o comércio não poderia funcionar normalmente na próxima semana.

 

*Amanda Quintiliano especial para o EM

 

 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade