UAI
Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM BH

Transmissão da COVID em BH desacelera e fica próxima do nível de controle

Índice registrou a maior queda nesta sexta-feira (24/9) desde que entrou na zona intermediária de alerta. Ocupação de leitos de UTI também tem baixa


24/09/2021 18:28 - atualizado 24/09/2021 21:03

Índice de transmissão da COVID-19 em BH teve queda considerável nesta sexta-feira (24/9)
Índice de transmissão da COVID-19 em BH teve queda considerável nesta sexta-feira (24/9) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A transmissão da COVID-19 em Belo Horizonte teve uma queda acentuada registrada nesta sexta-feira (24/9). Foi o principal declive desde que o indicador entrou na zona de alerta, em 15 de setembro, ficando próximo de estar na zona de controle, representada pela cor verde. Além disso, a ocupação de leitos de terapia intensiva também teve desaceleração.

 

 


De acordo com o informe, o fator RT, como também é chamado o índice de transmissão, passou de 1,06 para 1,02. Nos últimos boletins, o indicador estava flutuando entre 1,06 e 1,08. Apesar de ainda estar na zona intermediária de alerta, representada pela cor amarela, o RT está próximo de ficar no verde, que é quando o número fica abaixo de 1.
 
 

Os leitos de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 em BH também tiveram queda na demanda, segundo o informe desta sexta. O documento indicou que a ocupação caiu de 43,5% para 42,8%. O detalhe é que não houve mudança na oferta de unidades, ou seja, o declive do indicador foi natural.
 
 

Já os leitos de enfermaria para pacientes com coronavírus na capital mineira sofreram um pequeno aumento de demanda, saindo de 30,5% e indo para 30,7%. Também não houve alteração na oferta de vagas.

Vale lembrar que os indicadores que aferem a ocupação de leitos em BH abrangem os hospitais das redes pública e privada.

Belo Horizonte tem apenas um indicador no nível de alerta
Belo Horizonte tem apenas um indicador no nível de alerta (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)


Casos e mortes

A Secretaria Municipal de Saúde, assim como nos últimos boletins, também teve dificuldades para levantar os dados de casos e mortes em BH por conta de mudanças no servidor do Ministério da Saúde. Ao todo, foram mais 421 casos confirmados de COVID-19 adicionados ao boletim e 14 mortes pela doença.

Com isso, Belo Horizonte confirmou, até o momento, 281.676 casos de COVID-19 e 6.697 mortes provocadas por complicações da doença.

Vacinação

Belo Horizonte também contabilizou mais 18.004 doses de vacinas aplicadas, em relação ao boletim divulgado nessa quinta-feira (23/9). Foram 1.380 de primeira dose, enquanto 15.514 pessoas receberam a segunda dose. Outras 1.100 doses de reforço também foram utilizadas. Já em relação à dose única, que é a vacina fabricada pela Janssen, foram aplicadas mais 10 doses.

Agora, BH soma 1.945.575 vacinações de primeira dose, 1.174.006 de segunda, 59.262 de dose única e 25.352 de reforço.

Ao todo, 82,4% do público-alvo já recebeu a primeira dose da vacina em Belo Horizonte, enquanto 50,7% completou o esquema vacinal.

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade