Publicidade

Estado de Minas EUFORIA

Alunos da rede estadual voltam às escolas em BH: 'Muita adrenalina!'

Secretaria de Estado de Educação estima 50% de adesão dos estudantes nas 800 cidades liberadas ao retorno; em BH, 121 instituições reabriram as portas


12/07/2021 09:11 - atualizado 12/07/2021 15:22

Ansiosos, alunos do Ensino Fundamental da rede estadual de Minas retornam às salas de aula nesta segunda-feira (12/7)(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
Ansiosos, alunos do Ensino Fundamental da rede estadual de Minas retornam às salas de aula nesta segunda-feira (12/7) (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
Nem parece segunda-feira na entrada da Escola Estadual Professor Batista Santiago, no Bairro Santa Mônica, Região da Pampulha. Na instituição, reaberta após mais de mais de um ano de aulas remotas, o clima entre os estudantes é de recreio. 


As atividades presenciais foram retomadas a partir desta segunda (12/7) em 121 escolas estaduais da capital mineira para jovens do 1° ao 5° ano. De a cordo com a Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG), as unidades reúnem 34 mil crianças e adolescentes, além de 1,5 mil professores. Em todo o estado, mais de 800 municípios foram autorizados a reabrir as portas à comunidade escolar. 

Laura Gabriela, de 11 anos, chegou correndo à porta do colégio. "Não via hora de voltar. Pena que a gente não pode abraçar ninguém!", lamentou a menina, empogada ao rever as funcionárias que recebiam os alunos na porta da instituição.

O pai da garota conta que a euforia começou ainda no domingo. "Ficou o dia inteiro falando no retorno. Hoje acordou mais cedo que eu, me chamando para ir à padaria para comprar os pães do café da manhã. Estava com medo de se atrasar", relata o técnico de manutenção. 

Híbrido

Volta às aulas na rede estadual: Cada sala acomoda oito alunos. O distanciamento entre as carteiras é de dois metros, marcado por faixas zebradas.(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Pressv)
Volta às aulas na rede estadual: Cada sala acomoda oito alunos. O distanciamento entre as carteiras é de dois metros, marcado por faixas zebradas. (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Pressv)
A subsecretária de desenvolvimento da educação básica, Izabella Cavalcante Martins, estima que metade dos 308 mil alunos das escolas reabertas em Minas voltarão às salas de aula nesta segunda (12/7). Ela explica que a retomada ocorre no formato híbrido, no esquema de revezamento semanal. Ou seja: uma semana de atendimento presencial seguido de uma semana de atendimento remoto. 

Cada sala acomoda, no máximo, oito alunos. O distanciamento entre as carteiras é de dois metros, marcado por faixas zebradas. O intervalo, assim como o lanche, é feito dentro da sala. O empréstimo de material é vetado entre as crianças. O uso de máscaras é obrigatório para todos os presentes no ambiente escolar. 

"Há muita segurança, as escolas estão preparadas. Todas elas seguiram um checklist que foi elaborado pela secretaria de Educação, a partir dos protocolos de saúde, e receberam recursos de manutenção e custeio para compra de material, manutenção do espaço e também para pequenos reparos onde fosse necessário", ressalta Cavalcante.

Para as famílias que não se sentem seguras para o retorno, a subsecretária pondera que a alternativa é continuar usando as ferramentas remotas disponibilizadas pelo estado. No caso, o aplicativo Conexão Escola, o programa de TV Se liga na Educação, exibido todas as manhãs na Rede Minas, bem como o material impresso e on-line.

Municípios mineiros

(foto: Governo de MG/Divulgação)
(foto: Governo de MG/Divulgação)
A SEE-MG calcula que, a partir desta segunda (12/7), 751 colégios do estado serão reabertos. Oitocentos municípios estão autorizados à retomada, mas apenas 127 adeririram à proposta até o momento. Não ficou claro se as demais 673 prefeituras impuseram restrições ao retorno, que não é obrigatório

Das 14 macrorregiões mineiras, 4 estão na onda vermelha (fase mais restrita da flexibilização) e, portanto, autorizadas a retomar as aulas presenciais do 1° ao 5° ano. São elas: Nordeste, Noroeste, Triângulo do Sul e Sul, com 301 escolas estaduais, espalhadas por 45 cidades.

A região Leste do Sul, que abrange 53 municípios, também está na fase vermelha, mas manterá as escolas fechadas, pois apresenta cenário epidemiológico e assistencial desfavorável.

As regiões Centro, Centro-Sul, Jequitinhonha, Leste, Norte, Oeste, Triângulo do Norte, avançaram na semana passada para a onda amarela. Com 297 escolas distribuídas por 56 cidades, as localidades já podem iniciar as atividades do 1° ano 9° fundamental, o que deve ocorrer de forma gradativa. 

Na macrorregião Sudeste, que já estava na onda amarela há mais tempo, e no Vale do Aço, que já migrou para a onda verde, estágio mais avançado da flexibilização, as aulas presenciais foram ampliadas a partir de hoje, com retorno dos discentes do 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio. Juntas, as duas áreas abarcam 26 municípios, com 153 escolas.

A retomada foi anunciada pelo Governador Romeu Zema (Novo) em 1º de julho, depois da avaliação do Comitê Extraordinário COVID-19. De acordo com o mandatário, a decisão se deu com base na queda de 22% da incidência da doença na última quinzena de junho e de 9% na última semana. Na ocasião, ele também citou a redução de 22% nas solicitações de internações.

Belo Horizonte

A capital mineira não aderiu ao Minas Consciente. Os atuais indicadores da cidade, contudo, a posicionam na onda amarela, que possibilita retorno dos jovens do 1° ano fundamental ao 3º ano do ensino médio. Nesta segunda (12/7), foram convocadas apenas as crianças do 1° ao 5° ano. A SEE-MG não informou quando as demais turmas serão admitidas. 

Na rede municipal, a Prefeitura já autorizou a reabertura para educação infantil e para o ensino fundamental. Os institutos privados já acolhem alunos até o 9º ano. Na rede pública, estudantes até o 5º ano já voltaram a frequentar as escolas. Os discentes do 6° ao 9° serão chamados a partir de 5 de agosto.

***


Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade