Publicidade

Estado de Minas ASSEMBLEIA FISCALIZA

COVID-19: 170 policiais civis não quiseram se vacinar, diz chefe da PCMG

Chefe da Polícia Civil, Joaquim Francisco Neto e Silva ainda divulgou números de servidores imunizados durante audiência na Assembleia Legislativa de Minas


28/06/2021 16:32 - atualizado 28/06/2021 19:07

Joaquim Francisco Neto e Silva, chefe da Polícia Civil, durante prestação de contas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais(foto: Assembleia MG/Reprodução)
Joaquim Francisco Neto e Silva, chefe da Polícia Civil, durante prestação de contas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (foto: Assembleia MG/Reprodução)

A vacinação contra a COVID-19 foi recusada por 170 policiais civis em Minas Gerais. O número foi divulgado nesta segunda-feira (28/6) pelo chefe da Polícia Civil, Joaquim Francisco Neto e Silva, durante audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

 

“Nós tivemos 170 que se recusaram a vacinar e, no total, 1.952 que não se vacinaram. O que nós fizemos foi proceder a uma recomendação para levantamento nominal daqueles que ainda restam a ser vacinados. Essa foi a primeira medida, depois há de vir outras medidas”, informou Joaquim.

 

Segundo o chefe da PCMG, 9.138 servidores da instituição foram vacinados e 115 cidades mineiras tiveram 100% dos policiais civis imunizados.

Ao todo, 12 servidores morreram vítimas da COVID-19. No ano passado, segundo o chefe da PCMG, um policial civil morreu vítima da COVID e outras seis mortes são suspeitas de vítimas da doença, mas ainda está em apuração. Neste ano, foram 11 óbitos, sendo que também houve um servidor do setor administrativo e um caso suspeito ainda não confirmado.

Polícia Militar

Em Minas, profissionais das forças de segurança começaram a se vacinar em abril, antes mesmo de professores, motoristas ou garis.

 

Apesar disso, – como Estado de Minas mostrou no último dia 16 – a vacina contra a COVID-19, principal bloqueio para a disseminação do novo coronavírus, foi recusada por 300 policiais militares no estado. 

A reunião

A reunião, que começou às 14h, no Auditório José Alencar, faz parte do Assembleia Fiscaliza, que ocorre semestralmente. O tema é a segurança pública, com direcionamento da Comissão de Segurança Pública da ALMG. As comissões de Defesa dos Direitos da Mulher e de Direitos Humanos também foram convidadas.

O objetivo é prestar informações sobre a gestão da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Militar e da Polícia Civil. Desta vez, o destaque é para as ações adotadas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e a mitigação de seus impactos.

Ações na pandemia

Durante a sessão, o delegado ressaltou as ações da Polícia Civil durante a pandemia, como a prorrogação dos prazos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e do Certificado de Registro e Licenciamento Anual de Veículos (CRLV).

Além disso, Joaquim ressaltou as ações da instituição durante a Operação Anticorpos, deflagrada no mês passado, com o objetivo de investigar a suspeita de desvio de recursos públicos, em valor superior a R$ 1 milhão, destinados ao combate da pandemia da COVID-19 no município de Luislândia (6,7 mil habitantes), na Região Norte do estado.

Segurança pública em foco

Confira a programação da participação do Assembleia Fiscaliza desta segunda-feira (28/6):
  • 14h: comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Rodrigo Sousa Rodrigues
  • 15h: chefe da Polícia Civil do Estado, Joaquim Francisco Neto e Silva
  • 16h: comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, Edgard Estevo da Silva
  • 17h: secretário de Estado da Sejusp, Rogério Greco

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.


Quais os sintomas do coronavírus?

Desde a identificação do vírus Sars-CoV2, no começo de 2020, a lista de sintomas da COVID-19 sofreu várias alterações. Como o vírus se comporta de forma diferente de outros tipos de coronavírus, pessoas infectadas apresentam sintomas diferentes. E, durante o avanço da pesquisa da doença, muitas manifestações foram identificadas pelos cientistas. Confira a relação de sintomas de COVID-19 atualizada.

O que é a COVID-19?

A COVID-19 é uma doença provocada pelo vírus Sars-CoV2, com os primeiros casos registrados na China no fim de 2019, mas identificada como um novo tipo de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro de 2020. Em 11 de março de 2020, a OMS declarou a COVID-19 como pandemia.


Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade