Publicidade

Estado de Minas VACINA

COVID: 25% de vacinados não voltaram para receber 2ª dose em regiões de MG

Secretário de Saúde lembrou que imunização só se completa com duas doses; é necessário vacinar 70% da população


15/06/2021 10:30 - atualizado 15/06/2021 13:16

Joaquim Rezende de Oliveira fez sua parte e foi receber a segunda dose da vacina(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Joaquim Rezende de Oliveira fez sua parte e foi receber a segunda dose da vacina (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
O secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, fez um apelo para que as pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a COVID-19 retornem para a aplicação da dose de reforço, a segunda.

 

Em entrevista coletiva, concedida à imprensa, na Cidade Administrativa, nesta terça-feira (15), o gestor afirmou que 1/4 dos imunizados com a primeira dose não tomou a segunda dose e lembrou que a pessoa vacinada pode contrair a doença, mas que o esquema vacinal completo pode reduzir a gravidade da doença. 

 

"A imunização, tirando a da Janssen que agora é uma novidade, é com duas, só com duas, a imunização é com duas doses. Muito importante. Temos que enfatizar que o governo do Estado vem fazendo campanhas para buscar a segunda dose. Nossas regionais vêm junto aos municípios tentando fazer essa divulgação ampla em rádios locais, mídias locais, é porque vem acontecendo realmente. Às vezes um quarto da população não buscou a imunização da segunda dose. É muito diferente das vacinações comuns, influenza por exemplo é dose única anual. Mas é muito importante esse reforço", afirmou.

 

Fábio Baccheretti durante entrevista coletiva nesta terça-feira(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Fábio Baccheretti durante entrevista coletiva nesta terça-feira (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
O secretário mostrou a queda no percentual de internação nas faixas etárias em que avançou a vacinação nas duas doses. No entanto, ressaltou que a vacinação cumprirá o papel de proteção coletiva quando atingir 70% da população vacinada. 

 

"Temos várias experiências de vários países que imunizou mais de 60% da população com a primeira dose, ou até 50% da segunda dose, e está no pior momento de infecção da doença. É importante ressaltar que a vacina diminui casos graves e internação, a gente vê isso. A gente vê que os óbitos vêm diminuindo mesmo com aumento de casos. No entanto, a pessoa vacinada pode contrair doença, pode transmitir a doença e ela também pode evoluir a óbito. Temos que continuar com todas as medidas, uso de máscara, distanciamento social, higienização das mãos, porque a vacinação só vai cumprir seu papel para que a gente volte à normalidade quando a gente atingir o tal da imunidade de rebanho, com 70% das duas doses. Estamos longe desse momento", disse.

 

Durante a coletiva, ele anunciou o cronograma de vacinação por idade no estado para pessoas acima de 18 anos. De acordo com o secretário, a expectatova é de que até outubro a população adulta já deverá ter recebido pelo menos a primeira dose.

 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.


Quais os sintomas do coronavírus?

Desde a identificação do vírus Sars-CoV2, no começo de 2020, a lista de sintomas da COVID-19 sofreu várias alterações. Como o vírus se comporta de forma diferente de outros tipos de coronavírus, pessoas infectadas apresentam sintomas diferentes. E, durante o avanço da pesquisa da doença, muitas manifestações foram identificadas pelos cientistas. Confira a relação de sintomas de COVID-19 atualizada.

O que é a COVID-19?

A COVID-19 é uma doença provocada pelo vírus Sars-CoV2, com os primeiros casos registrados na China no fim de 2019, mas identificada como um novo tipo de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro de 2020. Em 11 de março de 2020, a OMS declarou a COVID-19 como pandemia.


Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade