Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Araxá vai vacinar profissionais de educação e saúde até dia 18/6

Com a vacinação dos professores, munícipio trabalha com possíveis datas para a volta às aulas no modelo híbrido


11/06/2021 22:22 - atualizado 11/06/2021 22:22

Imunização na próxima semana vai abranger cerca de 2,5 mil profissionais da educação e saúde(foto: Prefeitura de Araxá / Divulgação )
Imunização na próxima semana vai abranger cerca de 2,5 mil profissionais da educação e saúde (foto: Prefeitura de Araxá / Divulgação )
Araxá, no Triângulo Mineiro, pretende concluir a aplicação da primeira dose das vacinas contra a COVID-19 para profissionais de educação e saúde até a próxima sexta-feira (18/6). A expectativa é que mais de 2,5 mil trabalhadores destas áreas sejam imunizados.
 
Segundo a prefeitura, este é um passo importante para a volta às aulas no munícipio. A previsão é que as escolas particulares retomem no modelo híbrido (presencial e on-line) no dia 1º de julho. E as escolas da rede pública, 15 dias depois, no mesmo modelo.
 
Todavia, estas datas só serão confirmadas na última semana de junho, quando será feita uma análise sobre o número de casos e a situação da pandemia na cidade.
 
O cronograma de imunização dos educadores acontece pela ordem alfabética do nome de cada escola e será executado a partir de segunda-feira (14/6) em dois locais: no Ginásio Dom Bosco e Expominas, das 8h às 16h.
 
A Secretaria Municipal de Saúde exige no momento da vacinação a cópia (xerox) dos seguintes documentos: CPF, RG, comprovante de residência, cartão de SUS (se tiver) e o comprovante de vínculo empregatício na escola. 
 
Desde a chegada do primeiro lote de imunizantes contra  a COVID-19, em 20 de janeiro, Araxá recebeu 43.949 vacinas. Destas, 38.188 foram aplicadas e 5.761 estão em processo de aplicação. Quanto ao número de pessoas imunizadas, 25.949 já receberam a primeira dose e 12.194, a segunda.
 
Profissionais de saúde
 
Os trabalhadores de saúde que ainda não foram vacinados também serão contemplados a partir de segunda-feira.
 
O município exigirá pelo menos um dos seguintes documentos comprobatórios do exercício da função: carteira de trabalho, carteira funcional ativa (2021), contrato de prestação de serviço, comprovante de microempreendedor individual (MEI) ou holerite. A vacinação deste grupo ocorre também no Ginásio Dom Bosco e Expominas, das 8h às 16h. 
 
Em paralelo aos profissionais, na terça-feira (15/6), exclusivamente na unidade de saúde Unisa, será aplicada a 1ª dose para pessoas com comorbidades, incluindo grávidas e puérperas; portadores de síndrome de down e de deficiência permanente (com ou sem BPC), a partir de 18 anos.
 
Situação da pandemia esta semana
 
Araxá registrou desde segunda-feira 516 novos casos de pessoas infectadas pela COVID-19 e 15 óbitos.
 
A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 90%. Das 20 vagas, apenas duas estão disponíveis. Já a porcentagem dos leitos clínicos é de 84,62%, com 22 ocupados e quatro livres.
 
Ao todo, foram confirmados na cidade 12.062 casos e 193 óbitos. Atualmente 1.020 pessoas estão em recuperação.
 
Na quarta-feira (9/6), o município anunciou a prorrogação do decreto municipal vigente desde o dia 31 de maio, e impôs novas medidas restritivas a alguns setores, como padarias, transporte e igrejas. O toque de recolher também continua valendo de 21h às 5h.
 
Em entrevista à "Rádio Cidade de Araxá" na tarde de quinta (10/6), o prefeito Robson Magela foi enfático ao reafirmar o que já havia dito em uma coletiva de imprensa realizada no dia 28 de maio. Ele disse que se caso a curva da COVID-19 voltar a crescer novamente na cidade, decretará lockdown.
 
“Mantenho minha posição. Se eu tiver que voltar a falar sobre restrições a respeito da COVID, vai ser lockdown. Vai parar tudo! Vão parar mineradoras, transporte público, para tudo! É literalmente tudo mesmo”, declarou Robson.
 
Vacinômetro divulgado pela Prefeitura mostra o avanço da imunização em Araxá(foto: Prefeitura de Araxá / Divulgação)
Vacinômetro divulgado pela Prefeitura mostra o avanço da imunização em Araxá (foto: Prefeitura de Araxá / Divulgação)
 


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade