Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

'Situação caótica. Tudo lotado', diz prefeito de Alfenas sobre a COVID-19

Alfenas atingiu 110% da ocupação de UTIs e prefeitura precisou improvisar leitos; prefeito usou as redes sociais para alertar a população


05/06/2021 20:00 - atualizado 05/06/2021 20:11

Santa Casa esta superlotada e não tem condições de receber novos pacientes(foto: Gilson Leite/divulgação)
Santa Casa esta superlotada e não tem condições de receber novos pacientes (foto: Gilson Leite/divulgação)
O avanço da COVID-19 em Alfenas, no Sul de Minas, está preocupando a prefeitura da cidade, que precisou improvisar leitos de enfermaria para atender os pacientes infectados pelo novo coronavírus. O prefeito Luiz Antônio da Silva usou as redes sociais para alertar a população depois que o município atingiu 110% de ocupação das UTIs na Santa Casa de Alfenas.
 
A prefeitura publicou nota de esclarecimento e apelo à população na tarde deste sábado (5/6). “Estamos vivendo o pior momento desde o início da pandemia. Os hospitais estão cheios, temos fila de espera de pacientes aguardando leitos, e os profissionais estão no limite do seu estado físico e psicológico”, diz.
 
Alfenas soma 7.633 pessoas infectadas pela COVID-19 e 158 óbitos confirmados. Nos últimos 10 dias, foram mais de mil registros positivos e oito mortes em decorrência da doença. Neste cenário, a cidade atingiu 110% de ocupação da UTI da Santa Casa de Alfenas e comprometeu o atendimento. A prefeitura precisou improvisar leitos de enfermaria para tentar diminuir o impacto. Mas o município não tem mais condições de receber novos pacientes.
 
“Estamos de corpo e alma fazendo o nosso melhor, improvisando leitos de enfermaria para não vermos vidas sendo perdidas por falta do mínimo de assistência”, explica a nota.
 
O prefeito Luiz Antônio Silva usou as redes sociais para explicar sobre o atendimento na cidade e alertar a população. “Situação caótica na Santa Casa. Tudo lotado. Atenção: Agora, o Pronto Socorro Geral da Santa Casa receberá apenas pacientes oncológicos e em hemodiálise. Todos os outros serão encaminhados para o Hospital Alzira Velano. No PS Geral estão sendo instalados leitos COVID. O PS Gripal/COVID continua normalmente. Agradecemos equipes e direções de ambos os hospitais pela luta solidária. Só Deus para recompensar a vocês que salvam vida”, alerta.
 
A prefeitura ainda pediu a consciência de todos em relação ao combate do novo coronavírus. “E nesse momento, a única coisa que pode fazer com que esse cenário mude, é a consciência de cada um. Não se aglomerem em festas clandestinas, não saiam de casa sem necessidade. Respeitem a vida”, ressalta.
 
Medidas restritivas
 
No fim do mês passado, uma festa com 100 pessoas em um hotel referência na cidade repercutiu na região. Muitos moradores não entenderam como a prefeitura permitiu aglomerações na semana em que o novo coronavírus estava avançando mais uma vez no município.
 
Na época, o prefeito Luiz Antônio explicou, por telefone, que o decreto que estava vigente ainda não tinha sido alterado e permitia reunião com até 100 pessoas.
 
“Não, a consciência não é a ÚNICA coisa a se fazer. Se tivéssemos tido uma atuação decente em maio, com restrições a bares, restaurantes, clubes, festas e aulas presenciais, e não a liberação total que houve, nunca teria chegado neste estado lamentável. Espero que o prefeito aprenda a lição”, diz morador nas redes sociais.
 
Um novo decreto começa a valer neste domingo (6/6) e proíbe festas e aglomerações. A prefeitura restringiu o horário de funcionamento de bares, restaurantes e conveniências para as 23h. O documento fechou clubes, academias e campos de futebol.
 
“As novas medidas serão reavaliadas na próxima semana para ver se surtiram efeitos. Se precisar, vamos pensar em novas regras”, afirma prefeito.
 


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade