Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Cursos de idiomas e pré-vestibulares estão autorizados a funcionar em BH

Se o retorno às aulas do ensino infantil tem levantado debate entre os profissionais da educação, o anúncio sobre a volta dos cursinhos foi feito sem alarde


26/04/2021 17:32 - atualizado 26/04/2021 19:14

Cursos podem funcionar de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário(foto: Pixabay/ Reprodução)
Cursos podem funcionar de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário (foto: Pixabay/ Reprodução)
Além do retorno às aulas de educação infantil, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) autorizou a volta das escolas para ensino de esportes, música, arte e cultura; escolas de idiomas; centro de formação de condutores e cursos preparatórios.

O anuncio foi feito em 19 de abril em coletiva de imprensa e, desde a quinta-feira (22/4), essas atividades estão autorizadas conforme o decreto Nº 17.593. Os serviços são permitidos de segunda-feira a sábado – sem restrições de horários. 

 

Devem seguir, no entanto, medidas gerais para prevenção à pandemia da COVID-19, entre elas manter em trabalho remoto ou em afastamento colaboradores do grupo de risco; afastar imediatamente e por, no mínimo, 14 dias o colaborador que apresentar sintoma comprovar ou ocorrência de caso em pessoa que vive na mesma residência; além de comprovar a vacinação contra influenza de profissionais e colaboradores que se enquadram nos critérios de elegibilidade do Ministério da Saúde.

Estão vedadas, de acordo com a administração municipal, a disponibilização de bebedouros coletivos de jato inclinado; o uso de toalhas de tecido para secagem das mãos e a degustação de alimentos e bebidas. 

De acordo com o decreto, a empresa precisa afixar cartazes informando a lotação máxima, as medidas recomendadas e sinalizando áreas comuns com informações sobre distanciamento de pessoas, orientações de segurança e medidas de prevenção à COVID-19.

Também é necessário controlar o fluxo de entrada e saída de pessoas no estabelecimento e organizar filas internas e externas, observando o distanciamento mínimo de 2m e restringir em 50% a lotação dos elevadores, com demarcação de lugares no piso.


Ventilação


Em relação ao ar condicionado, a administração municipal informou que eles devem ficar desligados em ambientes com ventilação natural.

"Caso necessário manter o ar condicionado em funcionamento, garantir o plano de manutenção. As respectivas comprovações devem estar disponíveis para fiscalização", informa a PBH. 

Outra questão importante diz respeito à limpeza. O estabelecimento é responsável por limpar e desinfetar "sistematicamente as áreas, objetos e superfícies comuns, como pisos, banheiros, balcões, bancadas, corrimãos, esteiras, caixas registradoras, calculadoras, com produtos sanitizantes regularizados no órgão competente".

Também precisa disponibilizar para os colaboradores e para os clientes meios para higienização das mãos com álcool 70% e instruir os funcionários sobre a obrigatoriedade do uso e da correta utilização da máscara.

Vale ressalar que o "Protocolo Geral de Vigilância Sanitária", enviado pela PBH, não especifica as orientações por modalidades autorizadas.

Educação


Se o retorno às aulas do ensino infantil tem levantado debate entre os profissionais da educação, o anúncio sobre a volta dos cursinhos foi feito sem alarde.

Ao questionar a PBH sobre o retorno das aulas preparatórias para concursos fixado entre as atividades autorizadas a funcionar presencialmente, a administração respondeu que a decisão foi tomada "pelo fato de não serem de presença obrigatória como o ensino regular."

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas



 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade