Publicidade

Estado de Minas SEM ESTRUTURA

Baccheretti diz que falta o básico para criação de leitos em Carmo da Mata

Secretário de Saúde de Minas rebateu críticas sobre o hospital vazio; ampliação de vagas são analisadas no Hospital Regional de Divinópolis


30/03/2021 15:35 - atualizado 30/03/2021 17:06

O secretário de estado de Saúde, Fábio Baccheretti, confirmou a possibilidade de abertura de leitos em Divinópolis(foto: Reprodução/Ses)
O secretário de estado de Saúde, Fábio Baccheretti, confirmou a possibilidade de abertura de leitos em Divinópolis (foto: Reprodução/Ses)

A falta de estrutura da Santa Casa de Carmo da Mata, região Centro-Oeste de Minas Gerais, para receber pacientes com COVID-19 foi reafirmada pelo secretário de estado de Saúde, Fábio Baccheretti. Ele rebateu as críticas após viralizar nas redes sociais vídeos mostrando a unidade vazia em plena pandemia.

 

A unidade não integra o plano de contingência do estado por ter perfil de atendimento de baixa complexidade hospitalar. Ela não conta com recursos humanos, rede de gás medicinal hospitalar (que possibilita a chegada de oxigênio a pacientes, por exemplo), respiradores e monitores em quantidade suficiente. 

 

“Este hospital que foi mostrado neste vídeo não tinha nenhuma dessas estruturas, faltava o básico para abertura de leitos”, afirmou.

 

Baccheretti disse, em um vídeo publicado nas redes sociais, que o governo vem se esforçando para abrir mais leitos de terapia intensiva e enfermaria.

“Essa abertura depende de vários fatores e um dos principais é que o hospital tenha estrutura complexa para abrir esses leitos. Isso inclui equipamentos, rede de gases, especialmente oxigênio, recursos humanos”, reforçou.

 

Na região Centro-Oeste, desde o início da pandemia, o estado abriu 153 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Agora, está em estudo a instalação de mais 40 vagas de enfermaria e outras 20 de terapia intensiva. 

 

“Na macrorregião Oeste, estamos, sim, tentando abrir novos leitos, como no Hospital Regional de Divinópolis. Temos todo o compromisso de, além de expandir leitos, expandir com qualidade, que não gere nenhum risco assistencial ao cidadão que precisa neste momento da ajuda de um leito hospitalar”, informou.

 

Para abertura deverão ser investidos R$ 3,6 milhões para a estrutura e equipagem. As obras da unidade estão paralisadas há cerca de cinco anos. O hospital de campanha seria instalado em uma ala mais avançada, porém, que ainda necessita ser concluída.

O custeio mensal deve ficar próximo de R$ 950 mil, segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis.

 

A gestão, caso se confirme a abertura dos leitos, deverá ser transferida para o Cis-Urg – consórcio responsável pela administração do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu – Oeste). O hospital de campanha terá condições de funcionar 30 dias após a liberação do dinheiro, ainda sem previsão.

 

No vídeo, o secretário disse que, a partir do plano de contingência, o estado avalia todos os fatores que envolvam a existência de um leito hospitalar. Abertura de novas vagas está condicionada à estrutura básica mínima exigida. 

 

Qualquer unidade hospitalar que atenda aos requisitos mínimos pode manifestar interesse em abrir leitos para tratamento da COVID-19 pela rede pública. 

“Caso haja qualquer hospital que o gestor queira abrir leitos para COVID, o estado contribui com todo o seu equipamento, com o financiamento e com alguns insumos, mas o recurso humano, que é o básico, tem que vim deste prestador”, explicou.

 
Santa Casa sem Certidão Negativa de Débito

A Santa Casa de Carmo da Mata tem ainda outro obstáculo. Sem a Certidão Negativa de Débito (CND), ela não pode receber recursos estaduais. 

 

O próprio diretor administrativo, Antônio Afonso Bernardo Junior, reconhece as deficiências estruturais. Ele descarta a abertura de leitos COVID e diz que a unidade só teria capacidade para receber pacientes com outras comorbidades de baixa complexidade. 

 

Entretanto, isso demandaria adequações e aporte financeiro. Um escritório de advocacia analisa a situação fiscal para emissão da certidão. O débito chega a R$ 1,5 milhão e vem de 20 anos.

 

*Amanda Quintiliano especial para o EM

 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade