Publicidade

Estado de Minas IMUNIZAÇÃO

BH: 'Vacinas acabaram, isso é grave', diz comerciante em reunião com Kalil

Prefeito de Belo Horizonte está apreensivo com a falta de imunizantes, afirmou o presidente da ACMinas, José Anchieta da Silva


20/01/2021 16:28 - atualizado 20/01/2021 19:11

Presidente ACMinas, José Anchieta da Silva, participou de reunião com outros representantes de entidades empresariais(foto: Tulio Santos/EM/D.A. Press)
Presidente ACMinas, José Anchieta da Silva, participou de reunião com outros representantes de entidades empresariais (foto: Tulio Santos/EM/D.A. Press)

O presidente da Associação Empresarial e Comercial em Minas (ACMinas), José Anchieta da Silva, participou de reunião na tarde desta quarta-feira (20) com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), e apontou a inquietação do chefe do Executivo municipal com relação à imunização contra a COVID-19 na capital.

“O prefeito nos passou a preocupação de que não há mais vacinas a caminho da Prefeitura de Belo Horizonte. É preciso que novos estoques sejam liberados”, disse José Anchieta. “As vacinas que vieram já foram aplicadas e não há estoque. Isso é grave”, reforçou.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que, até o momento, 59.561 doses já foram distribuídas a hospitais públicos, filantrópicos, privados e serviços de urgência (UPAs e Samu) da capital. A pasta prevê que a primeira dose seja aplicada nos profissionais de saúde até sexta-feira (22/01). Ao todo, a capital mineira recebeu 128.388 mil doses de CoronaVac.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a Unidade Regional de Saúde de Belo Horizonte recebeu 178.080 doses da vacina contra COVID-19. Desse total, 135.720 são pertinentes à Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e o restante foi encaminhado às cidades da região metropolitana.

A reportagem do Estado de Minas também entrou em contato com o Ministério da Saúde para apurar a previsão de nova distribuição do imunizante e não obteve retorno até a publicação desta matéria.
 

Flexibilização 

A intenção da reunião na prefeitura era viabilizar a reabertura do comércio e solicitar a isenção e redução de impostos municipais. O representante do empresariado, no entanto, disse que o compromisso do prefeito é abrir a cidade com segurança.

“Pedimos um pouco mais de paciência aos empresários. Todos nós queremos abertura com segurança. A abertura já está no caminho”, disse José Anchieta. Na próxima semana haverá uma nova reunião. A expectativa é de que haja o anúncio da flexibilização com funcionamento intercalado do comércio, abrindo três dias e fechando quatro.

O presidente da ACMinas disse que não concorda com a ação movida pelo deputado estadual Bruno Engler (PRTB), que pede a reabertura do comércio. “A ideia da judicialização é a pior de todas. De fato quem deve resolver são os empresários e a autoridade executiva”, acrescentou José Anchieta.
 
Na semana passada, a ACMinas já havia se reunido com representantes da prefeitura e se dispôs a oferecer leitos gratuitos para a Secretaria Municipal de Saúde. A PBH informou que a limitação para ativação de leitos no momento não é financeira e, sim, da disponibilidade de profissionais de saúde para trabalharem na linha de frente.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade