Publicidade

Estado de Minas PIOR ÍNDICE DESDE ABRIL

COVID-19: Bom Despacho registra 225 casos confirmados em 11 dias

'As pessoas se acostumaram com a situação e perderam o medo da doença', afirma presidente do comitê de enfrentamento à doença


05/01/2021 20:32 - atualizado 05/01/2021 20:58

A cidade já contabiliza mais de 1,3 mil casos de COVID-19(foto: Facebook Prefeitura de Bom Despacho)
A cidade já contabiliza mais de 1,3 mil casos de COVID-19 (foto: Facebook Prefeitura de Bom Despacho)

Em 11 dias, Bom Despacho, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, registrou 225 casos confirmados de COVID-19. O número é o mais alto registrado desde abril do ano passado. Para tentar frear o avanço da doença, novas medidas restritivas foram adotadas, porém insuficientes. A aglomeração e ausência do uso de máscaras são dois fatores apontados pelo Comitê de Enfrentamento à doença como responsáveis pela piora dos indicadores.

 

O presidente do comitê, o médico Humberto de Paula e Silva alerta e diz que o aumento de casos é reflexo do afrouxamento e da falta de medo da população. “É nítido que as pessoas se acostumaram com a situação, perderam o medo da doença e relaxaram, principalmente as que têm entre 20 e 59 anos. Não por acaso é a faixa etária que trabalha e também tem vida social mais ativa”, destacou.

 

A cidade de pouco mais de 51 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já soma 1.325 confirmações do novo coronavírus. Desde o início da pandemia, 24 pessoas perderam a vida em decorrência da doença, conforme publicado no boletim mais recente divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde.

 

Embora a macrorregião Oeste esteja na onda vermelha do programa Minas Consciente a microrregião de Bom Despacho continuam na amarela. Mesmo com o cenário negativo, o município optou em permanecer da etapa com menos restrições. Entretanto, o médico alertou sobre o risco da cidade avançar para a fase mais restritiva caso não haja conscientização.

 

“A vida é prioridade nesse momento. Se as pessoas não se conscientizarem, entraremos rapidamente na mais restritiva, a onda vermelha. Toda a macrorregião já está nela”, alertou Dr. Humberto.

 

Caso isso ocorra, significará o fechamento da maior parte da atividade econômica, podendo funcionar apenas os serviços essenciais, como supermercados, farmácias, bancos, lotéricas, para citar alguns. Cidades da região, como Divinópolis e Itapecerica já determinaram a suspensão do alvará dos estabelecimentos não essenciais.

Restrições 

Medidas mais restritivas foram imposta a partir de um decreto publicado no dia 30 de dezembro. Foram suspensas a realização de festas, eventos sociais e de lazer que aglomerem pessoas.

Já os estabelecimentos como bares restaurantes, lanchonetes, padarias, pizzarias e afins, deverão proibir self-service e a entrada de pessoas sem máscara. Eles também deverão controlar a entrada de clientes, manter o distanciamento mínimo exigido entre as pessoas. Músicas ao vivo, som mecânico e qualquer outro tipo de entretenimento estão proibidos.

 

“Essas medidas serão necessárias para evitar um mal maior. Infelizmente, as pessoas estão se acomodando e deixando de adotar medidas como uso de máscara e desinfecção das mãos. Estão se aglomerando e participando de festas como se não estivéssemos enfrentando uma pandemia. Só vamos vencer esse vírus se todos fizerem sua parte”, destacou o prefeito Dr. Bertolino.

 

As atividades religiosas presenciais poderão ocorrer, desde que não ultrapassem o tempo máximo de uma hora por cerimônia e o limite máximo de uma pessoa por 4 m².

 

*Amanda Quintiliano especial para o EM

 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 

 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp


Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
  

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade