Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Operação impede acesso de banhistas ao Lago das Roseiras, em Divinópolis

Orla está interditada por força de decreto; moradores reconhecem necessidade de controle, mas alegam excesso


09/09/2020 14:43 - atualizado 09/09/2020 19:52

A operação foi realizada pela Vigilância em Saúde com suporte da Settrans e PM.(foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)
A operação foi realizada pela Vigilância em Saúde com suporte da Settrans e PM. (foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

Com a curva em crescimento dos casos de COVID-19 em Divinópolis, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, a Vigilância Sanitária resolveu intensificar a fiscalização. Um dos principais alvos foi o Lago das Roseiras. O local, também conhecido como “barragem”, está interditado por força de decreto municipal. A região é um dos principais destinos locais nos finais de semana e feriados. A operação desencadeada pegou moradores de surpresa.

 

Entre sexta-feira (4) e segunda-feira (8) uma barreira foi instalada na entrada assegurando o cumprimento da norma e impedindo o acesso de banhistas e de qualquer outra pessoa que não comprovasse ter residência no local. A operação seguiu determinação da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) a partir do decreto municipal 13.783/2020 que impede banhistas na orla da barragem.

 

Embora a medida seja preventiva para conter o avanço do contágio do novo coronavírus, ela desagradou uma parcela dos proprietários de casas e sítios da região. “Cada um tem um ponto de vista, mas entendemos que pegaram um pouco pesado. A filha de um proprietário foi embora por que não pôde entrar. Um convidado meu, que veio do Rio de Janeiro, também não pôde ir até a minha casa, mesmo eu indo na portaria de entrada”, relata o morador e membro da comissão de frente da associação do Lago das Roseiras, Aguimar Santiago.

 

Para ele, as medidas estão excessivas. “Deve ser feito o controle, adotar restrições. As praias estão liberadas, Escarpas está liberada”, destaca. O acesso às casas dos moradores foi liberado, segundo Santiago, após as 16h, e os visitantes eram acompanhados pelos policiais. 

 

Em nota, a diretoria da associação disse que a operação pegou alguns moradores de surpresa e que alguns protocolos deverão ser corrigidos para as próximas ações. “Pelo que fomos informados, a operação foi realizada por determinação da vigilância sanitária, dentro da normalidade, tendo em vista a atual situação da pandemia em nosso município. Houve alguns contratempos, tendo em vista o desconhecimento dos moradores e visitantes quanto a operação, mas nada que não possa ser corrigido nas próximas operações”, afirma. 

Interditado

Apesar dos relatos de moradores, a assessoria de comunicação da prefeitura negou que haja impedido de acesso de moradores, familiares e convidados. Afirmou ainda que a passagem foi liberada, por exemplo, para quem alugou imóvel durante o feriado. O órgão também informou que a fiscalização ocorreu nos últimos dois finais de semana e que vai se repetir. 

 

A Polícia Militar confirmou a operação e disse que ela foi idealizada e desencadeada pela prefeitura, com a presença dos agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans) e fiscais da Vigilância Sanitária.


“A triagem de quem poderia ou não acessar o local foi realizada pelos agentes municipais, com base no Decreto Municipal nº 13.783/2020. Os policiais militares se fizeram presentes para garantir o exercício do poder de polícia dos agentes municipais”, informou. 

Fiscalização

A orla está interditada devido a pandemia do novo coronavírus .(foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)
A orla está interditada devido a pandemia do novo coronavírus . (foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)
Outros dois bairros foram alvos de fiscalização ao longo do feriado prolongado. O balanço foi divulgado, nesta quarta-feira (9), pela Secretaria de Saúde. Ao todo, foram 52 inspeções com 20 infrações detectadas. Houve sete interdições de estabelecimentos comerciais e cinco notificações. Os bairros Esplanada e Niterói foram os principais alvos.

 

As averiguações são realizadas com base nas denúncias recebidas pelo aplicativo da prefeitura, o AppDivinópolis. Para abrir o chamado basta selecionar a opção “Coronavírus”.  

Aumento de casos

Ao longo do feriado prolongado, Divinópolis confirmou mais duas mortes por COVID-19. Entre 1º de agosto e 7 de setembro, o número de óbitos aumentou 100%, passando para 44. Os casos confirmados também não param de subir. Desde o início da pandemia já são 1.151.  O último boletim registra 10.771 notificações suspeitas.

 

Embora haja aumento dos casos de COVID-19, a taxa de ocupação de leitos exclusivos para tratamento da doença continua na faixa de 36,5%. Das 84 vagas em unidade de terapia intensiva (UTI), 35 estão ocupadas. Outros 45 pacientes estão internados em enfermarias.

 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade