Publicidade

Estado de Minas VELOCIDADE

COVID-19: taxa de transmissão em Minas está abaixo de um, o que indica controle

O secretário-adjunto de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, afirmou que os números altos de mortes confirmadas, nesta semana, não indicam o pico da curva


07/08/2020 14:07 - atualizado 07/08/2020 14:14

(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)
(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)
A taxa que indica a velocidade de transmissão do novo coronavírus, o Rt, está abaixo de um,  0,93, em Minas. A informação foi repassada pelo secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, em entrevista coletiva nesta sexta (7).
 
A permanência da taxa neste patamar pode indicar tendência de queda dos casos. O Rt entre 1 e 2 aponta crescimento nas transmissões; entre 2 e 3 mostra um descontrole. A taxa demonstra para quantas pessoas um paciente contaminado transmite o vírus ou seja, se a taxa é de 1, significa que uma pessoa contaminada passa a doença para uma outra.
 
Por três dias consecutivos, Minas registrou número de mortes acima de 100. No entanto, Marcelo Cabral afirmou que não se trata de uma elevação no número de mortes, mas sim, a consolidação de dados enviados pelas prefeituras, que estavam represados. O secretário-adjunto foi categórico ao dizer que os três dias de alta não são considerados o pico da curva da doença, quando é registrado o ápice  de casos e mortes.  

"Não se tratou de recorde de mortes. É preciso olhar a data do óbito e não a data da confirmação. O pico não se deu 15 dias depois do previsto. Nossos dados são bem assertivos", afirmou.
 
Pela terceira vez desde o início do enfrentamento à COVID-19, em março, o governo mudou a metodologia de notificação junto aos municípios. Desde o início da semana, as prefeituras devem registrar as mortes diretamente no Sistema de Informação de Vigilância da Gripe  (Sivep Gripe). Marcelo Cabral afirmou que  a SES tem "feito todos os esforços junto aos municípios para ajuste desses dados."
 
O Rt é um dos indicadores usados para fazer a classificação da fase do município conforme o programa Minas Consciente. "É importante destacar que temos outras referências, diante do dinamismo da pandemia e do aprendizado que tivemos até agora, para que possamos identificar a situação em cada localidade", completou. O governo leva em conta a taxa de ocupação de leitos em enfermarias e em unidades de terapia intensiva.
 
O chefe de gabinete da SES, João Pinho, afirmou que, com a reformulação do Minas Consciente, os prefeitos têm mais opções para decidirem qual o melhor caminho  para o município seguir. Antes, os municípios poderiam aderir ou não ao Minas Consciente. Caso optassem pela não-adesão, deveriam seguir a deliberação 17, com medidas de isolamento social mais restritivas - conforme determinação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.
 
Com o novo Minas Consciente, os municípios podem escolher, caso optem pela adesão, se seguirão a classificação para a macrorregião ou o  para a microrregião. João Pinho deu exemplos de macrorregiões que podem estar na onda vermelha, apenas com liberação dos serviços essenciais, mas a microrregião pode estar na onda amarela, com a possibilidade de funcionamento de vários serviços, além dos essenciais.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 






receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade