Publicidade

Estado de Minas COMÉRCIO

COVID-19: a empresários, Kalil diz que BH ainda não retomará abertura

Segundo presidente do Sindicato dos Lojistas de Belo Horizonte (Sindilojas-BH), prefeito afirmou, em reunião com comerciantes, que ainda não é possível retomar processo de flexibilização do isolamento social


15/07/2020 16:08 - atualizado 15/07/2020 17:27

Prefeito Alexandre Kalil falou sobre reabertura do comércio de Belo Horizonte(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Prefeito Alexandre Kalil falou sobre reabertura do comércio de Belo Horizonte (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Em reunião com empresários na tarde desta quarta-feira (15), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) disse que Belo Horizonte ainda não retomará o processo de abertura do comércio. A decisão do chefe do Executivo municipal foi revelada pelo presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas) da capital, Nadim Donato, em entrevista coletiva logo após o encontro, que durou quase duas horas.

"Os números ainda não são bons, infelizmente. Não vai haver reabertura na próxima semana, mas a prefeitura ficou de estudar um ‘quatro por três’ proposto por nós. O Sindilojas fez uma proposta, junto com outros sindicatos, de abertura de ‘quatro dias por três’. Seriam quatro dias em que todo o comércio abriria as portas, e três dias fechados", disse Nadim.

Desde 29 de junho, BH está na chamada 'Fase Zero' do processo de abertura do comércio, em que apenas serviços considerados essenciais podem funcionar. A proposta do Sindilojas será analisada pela administração municipal. Porém, ainda não há data prevista para a flexibilização do isolamento social.

“Estamos vivenciando o pior período da pandemia em Belo Horizonte e em Minas Gerais (até agora). Nós não sabemos nem se chegamos ao pico. E se chegamos ao pico, não sabemos quanto tempo este platô durará. Então, acho que é um erro, uma irresponsabilidade, programar datas (para reabertura) quando os nossos indicadores estão no pior momento e não sabemos como vai ser o comportamento (da curva de infecções) amanhã ou depois de amanhã, muito menos na próxima semana”, avaliou o presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estêvão Urbano, que integra o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da COVID-19 de BH.

Além de Kalil, representaram a prefeitura na reunião especialistas do comitê e os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis; da Fazenda, João Fleury Teixeira; e de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Beato.

Representantes da PBH deram entrevista coletiva após reunião com comerciantes(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Representantes da PBH deram entrevista coletiva após reunião com comerciantes (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Líderes de diferentes setores do comércio estiveram no encontro, em especial daqueles que não podem funcionar desde a implementação das primeiras medidas de isolamento social na cidade, em março. A principal ausência foi da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), que alegou não ter sido convidada por Kalil. A relação do prefeito com a entidade se desgastou nas últimas semanas por conta de discordâncias sobre flexibilizar ou não o isolamento social na capital em meio à pandemia do novo coronavírus.

Baseado em análises de especialistas do comitê, Kalil defende que ainda não é hora de retomar a reabertura do comércio. A CDL, por outro lado, cobra da administração municipal ampliação na estrutura hospitalar da cidade para, assim, permitir a flexibilização do isolamento mesmo num momento de disseminação acelerada da doença.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) também não participou do encontro. Questionado sobre os motivos de essas duas entidades terem ficado de fora, o secretário André Reis garantiu que não há falta de diálogo.

"Fora deste espaço, a gente vem se encontrando com muita gente o tempo todo. Conversamos com Abrasel e CDL também. Nesta reunião - e foi o que o prefeito pensou -, buscamos setores que não abriram até agora. Todo mundo que estava aqui é de setores que não abriram (desde março)", disse.

Representantes do comércio de Belo Horizonte se reuniram com integrantes da administração municipal nesta quarta-feira(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Representantes do comércio de Belo Horizonte se reuniram com integrantes da administração municipal nesta quarta-feira (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


Além do presidente do Sindilojas, participaram outros seis representantes do empresariado da capital: Alfredo Aparecido Modesto, da Lojas Pernambucanas; Fernanda Thibau, vice-presidente da Associação Mineira de Empresas de Moda (Amem); Fábio Freitas, coordenador regional da Associação Brasileira de Shopping Center (Abrasce); Paulo César Pedrosa, presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhorb); Marco Polo, diretor da Associação de Lojistas do Barro Preto (Ascobap); e o Sindicato do Comércio Atacadista de Tecidos Vestuário e Armarinhos (Sincateva).

Avaliação


De acordo com boletim epidemiológico publicado na manhã desta quarta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde, Belo Horizonte é a cidade de Minas Gerais com maior número de casos e óbitos. A capital soma 12.123 pacientes com diagnósticos positivos para a COVID-19, dos quais 296 morreram.

No processo de tomada de decisão sobre a abertura ou o fechamento do comércio, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) conta com o auxílio dos especialistas que integram o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da COVID-19 na capital. Além do total de casos e mortes, o grupo analisa diariamente três indicadores com atenção especial: o número médio de transmissão por infectado (Rt) e as taxas de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e leitos de enfermaria.

Segundo dados publicados pela PBH nessa terça-feira e que se referem ao dia anterior, BH tem 84% das 390 UTIs específicas para pacientes com COVID-19 ocupadas. Nas enfermarias - que somam 1.072 destinadas a pessoas que contraíram o vírus -, a taxa está em 76%. De acordo com os parâmetros estabelecidos pelo comitê, os índices estão no nível vermelho (acima de 70%) de alerta.

Já a divulgação mais recente do Rt foi feita na última sexta-feira (10). Na ocasião, o índice estava em 1,11, no patamar amarelo de alerta (entre 1 e 1,2). Ou seja, cada 100 pacientes transmitiam a doença para outros 111.

O comitê que auxilia Kalil é chefiado pelo secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto. Também fazem parte do grupo outros três especialistas: o presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estevão Urbano; o pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Unaí Tupinambás; e o infectologista Carlos Starling, integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir



VIDEO1]

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade