Publicidade

Estado de Minas

BH tem novo protesto contra isolamento e moradores de prédio reagem

Pelo segundo dia consecutivo, empresários saíram às ruas em carreata para pedir a reabertura do comércio durante a pandemia do novo coronavírus. Na Rua da Bahia, populares gritaram contra o grupo


postado em 28/03/2020 18:35 / atualizado em 28/03/2020 20:42

Protesto contra o isolamento e favorável ao retorno ao trabalho nas ruas de Belo Horizonte(foto: Elian Guimarães/EM/D.A Press)
Protesto contra o isolamento e favorável ao retorno ao trabalho nas ruas de Belo Horizonte (foto: Elian Guimarães/EM/D.A Press)

Empresários voltaram a protestar em Belo Horizonte neste sábado (28/03) contra o confinamento imposto para conter a transmissão do novo coronavírus. Assim como na sexta-feira, houve uma carreata nas ruas da capital. Até o momento, Minas Gerais tem 205 pessoas com a COVID-19.  

Vídeos registrados nesta manhã mostram os veículos passando pelo Centro da capital com bandeiras do Brasil, balões verde e amarelo e buzinaço. Os veículos eram acompanhados por viaturas da Polícia Militar (PM). Um dos registros mostra moradores de um prédio na Rua da Bahia reagindo contra a manifestação. "Assassinos", gritam alguns.



As manifestações também vêm ocorrendo em outros municípios de Minas Gerais e do restante do país. Os comerciantes alegam prejuízos se a quarentena continuar, pois há decretos municipais e estaduais exigindo o fechamento dos estabelecimentos, autorizando somente serviços essenciais, como farmácias e supermercados.

Eles também citam trabalhadores autônomos nas reivindicações e defendem a o isolamento vertical, no qual só pessoas do grupo de risco, como idosos, ficariam em quarentena. Essa modalidade é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na última quarta-feira, o Estado de Minas ouviu o infectologista Carlos Starling sobre o assunto. Na avaliação do diretor da Sociedade Mineira de Infectologia e responsável pelos estudos de progressão da COVID-19 em Minas, muitas pessoas entre 40 e 60 anos morrerão se a quarentena não for respeitada.  

A recomendação do Ministério da Saúde, secretarias e da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que as pessoas permaneçam em casa, em isolamento social, para evitar a contaminação. O objetivo é "achatar" a curva do crescimento de casos, cujo pico é esperado para o mês de abril no país.

No protesto de ontem em Belo Horizonte, 50 veículos foram autuados pela Guarda Municipal por estacionamento irregular nas imediações da sede da prefeitura, na Avenida Afonso Pena, Hipercentro da cidade.



Nesta sexta-feira (27/03), o governador Romeu Zema (Novo) admitiu que passará a estudar na próxima semana a abertura de alguns setores do comércio. Zema afirmou que está otimista na reativação de algumas áreas, mas condicionou a ação aos números de casos do novo coronavírus no estado

Por sua vez, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), defende o isolamento social e usou o Twitter para fazer um alerta nesta semana. "Estão relaxando??? Segundo os técnicos e especialistas, o pior começa na quarta-feira”, escreveu. Kalil recorreu a dados da Europa para defender a continuidade da quarentena. "No ritmo atual, se não levarem o isolamento a sério, o número de mortes crescerá entre quarta-feira e sábado da semana que vem. Já são 1.500 mortes por dia na Europa. Não vamos brincar”, afirmou no dia 26. 

Já o governo federal apagou pelo menos três publicações com o slogan "O Brasil não pode parar", defendendo o fim do isolamento social. A campanha gerou repercussão negativa e ações judiciais, sendo que uma delas resultou na suspensão. 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Especial: Tudo sobre o coronavírus 

Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade