Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Isole os boatos sobre o coronavírus e fique por dentro do que é verdade e mentira

Estado de Minas consultou microbiologistas da UFMG sobre mensagens ligadas a COVID-19 que vêm circulando nas redes sociais


postado em 17/03/2020 04:00 / atualizado em 17/03/2020 13:40

Pode tomar antibiótico? O vírus é transmitido pelas fezes? Se eu prender a respiração consigo saber se estou doente? Crianças pegam coronavírus? Falsas informações crescem à medida que o coronavírus se espalha pelo mundo. Pensando em combater as conhecidas fake news, um projeto de extensão da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) trabalha intensivamente na produção de conteúdo para redes sociais com vídeos elucidativos sobre o novo vírus.

A conta no Instagram (@microufmg) contabiliza mais de 800 seguidores. A rede foi criada antes da explosão de casos de pacientes com COVID-19 e viu a necessidade de esclarecer sobre riscos, sintomas e cuidados com a doença. “O cientista tem que educar e mostrar o papel da ciência. É nossa expertise”, afirma a professora Viviane Alves, microbiologista do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

No projeto de extensão, Viviane participa da criação e produção dos vídeos. O time de divulgação das ações ainda conta com o professor Jônatas Abrahão e as professoras Betânia Drumond e Giliane Trindade. Juntos, eles unem a experiência como microbiologistas a outros fatores para encontrar respostas e desmentir boatos.

Cronologia do coronavírus: da origem à chegada ao Brasil


“A gente conversa sempre para ter a resposta mais adequada. Não utilizamos a mídia comum. Sempre buscamos respostas na literatura científica, em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e no Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, que são referências em relação a doenças epidêmicas”, explicou Viviane. Os vídeos publicados pelo projeto estão disponíveis para download no link bit.ly/2U9jMvc.

O Estado de Minas levantou uma série de afirmações que circulam nas redes sociais e perguntou aos especialistas o que é verdade e o que não passa de boato. Confira as respostas:

  • Remédios reduzem o poder do sistema imunológico e devem ser evitados. Entre eles, paracetamol, medicamentos para pressão, diabetes e tireoide

MENTIRA
Paracetamol é indicado e seguro para tratar a febre e os sintomas leves da COVID-19. Todos os medicamentos para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes devem ser mantidos. Os únicos que devem ser evitados são os anti-inflamatórios, como ibuprofeno e cortisona, pois os dados científicos mostram que estes podem agravar os sintomas.

  • Álcool gel pode ser substituído por lavagem das mãos com água e sabão

VERDADE
A lavagem das mãos com água e sabão é eficaz para matar os vírus pois dissolve a gordura que fica do lado externo dele. O álcool gel faz a mesma coisa, mas só funciona se as mãos não estiverem visivelmente sujas. Opte pelo álcool gel se não houver água e sabão disponível.

  • Crianças não pegam coronavírus

MENTIRA
Os dados mostram que sim, as crianças pegam a COVID-19. O que acontece é que elas apresentam sintomas muito leves, mas houve até mortes (tudo indica que de jovens e crianças com doenças crônicas segundo divulgado ontem pela OMS). Apesar de a maioria só ter sintomas leves, devem ser monitoradas pois transmitem o vírus para as pessoas mais vulneráveis, que são os idosos e pessoas com doenças crônicas e por isso suspensão de aulas.

  • Animais podem ser contaminados pelo COVID-19 

MENTIRA
No momento não há dados científicos confiáveis que mostrem que os animais podem pegar ou transmitir o coronavírus. A OMS recomenda que se você tem animais de estimação e está com sintomas deve lavar bem as mãos antes e depois de manipulá-los, se você for a única pessoa a cuidar deles.

  • Raio-X não detecta o vírus no pulmão, só tomografia

VERDADE
Verdade, o micróbio não pode ser detectado por raio-x. Nenhum pode, pois são invisíveis aos olhos. Os dados chineses mostram a necessidade de tomografia para detectar os danos causados ao tecido pulmonar.




  • O período de incubação pode ser de até 20 dias antes que os sintomas da COVID-19 se tornem visíveis

MENTIRA
Segundo a OMS o período de incubação é de 5 a 14 dias, variando de pessoa para pessoa, com uma média de cinco dias.

  • Quando uma pessoa tem febre e/ou tosse e vai ao hospital, os pulmões geralmente estão 50% fibrosos e já é tarde

MENTIRA
Várias infecções respiratórias causam febre e/ou tosse. Somente em caso de falta de ar o hospital deve ser procurado. E não significa de forma alguma que haja fibrose. Os dados chineses mostram que em 30% dos pacientes da COVID-19 há perda de capacidade pulmonar, que ainda não sabe se é ou não reversível.

  • Autoavaliação para fazer todas as manhãs: respire fundo e prenda a respiração por mais de 10 segundos. Se você concluir com êxito o exame sem tosse, desconforto, sensação de aperto etc., isso mostrará que não há fibrose nos pulmões, o que basicamente significa que não há infecção

MENTIRA
Esta técnica não tem nenhuma evidência. Não há de forma alguma como detectar fibrose sem exames médicos específicos.

  • Boca e garganta devem estar úmidas e nunca secas. Mesmo que o vírus entre na boca, a água potável ou outros líquidos o liberam através do esôfago para o estômago, onde o ácido estomacal mata o vírus

MENTIRA
Nenhuma destas medidas mata o vírus. O vírus, no nosso corpo, só pode ser morto pelo nosso sistema imunológico. Fora do corpo, lavar as mãos com água e sabão, usar álcool gel (60 a 71%) nas mãos que não estão visivelmente sujas e também em superfícies são as medidas de prevenção eficazes. Além de manter a higiene da casa com água sanitária.

  • Falta de beber água pode fazer com que o vírus entre na traqueia e nos pulmões

MENTIRA
Após a infecção, o vírus se multiplica dentro das células, e ela pode se propagar rapidamente quando há contato direto com secreções (saliva). A traqueia e pulmões estão constantemente úmidos, mesmo que você não beba água, e o vírus que entrou na sua boca com gotículas respiratórias vai se espalhar da mesma forma.

  • Água e sabão são suficientes para eliminar coronavírus

VERDADE
É a forma mais eficaz. O sabão dissolve gordura como a que o vírus tem na sua parte externa. Sendo assim, o sabão dissolve essa camada e mata o vírus, não só o coronavírus, como outros vírus e bactérias. Lavar as mãos salva vidas por impedir infecções.

  • Consumo de vitamina C ajuda a propagar a disseminação do vírus

MENTIRA
Nenhuma vitamina favorece ou diminui a propagação de um vírus, de nenhum deles. Por ora, não há medicamentos, substância ou alimento, chás, homeopatia ou vacinas que possam prevenir a doença.

(foto: Quinho/EM/ D.A Press)
(foto: Quinho/EM/ D.A Press)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade