Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Que esportes oferecem maior ou menor risco de contágio na pandemia?

Especialistas recomendam evitar práticas em grupo e reforçam a importância dos hábitos de higiene


02/09/2020 08:20

(foto: Franck Fife/AFP)
(foto: Franck Fife/AFP)

 

* por Bruna Yamaguti
 

Com a pandemia do novo coronavírus, mesmo aqueles que não passavam um dia sem fazer atividade física, precisaram adaptar suas rotinas.

Muitos atletas, amadores e profissionais, ou simplesmente adeptos à prática por questões de saúde e bem-estar ainda têm dúvidas sobre o que é seguro ou não em meio ao cenário de isolamento social.

Para responder a essa pergunta, o Correio conversou com especialistas e, com a média das avaliações deles, elaborou o quadro a seguir, que mostra, em uma escala de 1 a 5, o risco de contágio em cada uma das modalidades:



Os médicos alertam para um maior risco em modalidades que envolvem grupos, devendo ser evitado qualquer tipo de contato. Além disso, deve-se prestar atenção ao local em que a atividade será realizada. Lugares cheios apresentam alto risco, e o uso de máscara é imprescindível, seja qual for a situação.

“Sugiro atividades físicas que possam ser realizadas sozinho, evitando contato direto ou indireto com outros. Além disso, os bons hábitos de higiene devem ser levados muito a sério, incluindo lavagem das mãos antes e depois do início das atividades físicas, uso de outras soluções antissépticas, máscara de pano ou cirúrgica sempre que possível, e evitar aglomerações”, recomenda o professor de epidemiologia da Universidade de Brasília (UnB) Wildo Navegantes de Araújo.

Academias

Para evitar a propagação da COVID-19, os serviços não-essenciais foram fechados em Belo Horizonte. Agora, após a reabertura, é necessário que tanto o estabelecimento quanto os usuários cumpram à risca as medidas de higiene e distanciamento. “O serviço deve não apenas obedecer às recomendações, mas cobrar de seus clientes para que também obedeçam. É importante que as pessoas pesem também o ônus e o benefício de se deslocarem para qualquer atividade não-essencial”, pontua a infectologista Ana Helena Germoglio.

*Estagiária sob supervisão de Fernando Jordão

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade