Publicidade

Estado de Minas MEDIDA POLÊMICA

Ciro chama Bolsonaro de assassino por propor medida que desobriga máscaras

O presidente pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que faça um parecer desobrigando o uso da máscara para pessoas que já foram vacinadas


10/06/2021 21:06 - atualizado 10/06/2021 21:07

Ciro Gomes criticou Bolsonaro por declaração de que fará parecer desobrigando o uso da máscara(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Ciro Gomes criticou Bolsonaro por declaração de que fará parecer desobrigando o uso da máscara (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Em uma postagem nas redes sociais, nesta quinta-feira (10/6), o pré-candidato à Presidência nas eleições de 2022, Ciro Gomes, chamou o presidente Jair Bolsonaro de “assassino” e “criminoso”. O motivo do ataque foi o pedido do presidente ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para fazer um parecer desobrigando o uso da máscara para pessoas que já foram vacinadas

 

"Criminoso! Assassino! Bolsonaro quer levar mais brasileiros à morte com suas atitudes anticientíficas. Quem já teve COVID ou foi vacinado continua sendo um possível vetor de contaminação para outras pessoas. Usar máscaras salva vidas!", escreveu Ciro Gomes no Twitter.

 

 

 

Para Bolsonaro, pessoas que já foram vacinadas ou tiveram COVID-19 não seriam mais obrigadas a usar máscara, contrariando as recomendações de autoridades sanitárias em todo o mundo. 

 

“Acabei de conversar com o Queiroga e ele vai fazer um parecer para desobrigar o uso de máscaras para pessoas vacinadas ou que já contraíram o vírus”, explicou Bolsonaro. “Não quero que isso seja um símbolo”, disse ele com uma máscara na mão.

 

Nas redes sociais, outros políticos também criticaram a fala do presidente.

 

O senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), vice-presidente da CPI da COVID, disse que “diferente do que Pazuello e Queiroga insistiram à CPI, o Presidente interfere no ministério da Saúde” e que a medida é "uma demonstração clara de como o negacionismo está matando o nosso povo."

 

 

 

Outro que se manifestou foi o deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP). Ele afirmou que está preparando um requerimento de convocação para que o ministro Marcelo Queiroga preste contas sobre a medida na Comissão de Fiscalização.

 

"Não é preciso decreto ou lei para ter bom senso. Não é a multa que nos faz usar máscara, mas a preocupação com a saúde dos amigos e familiares. Por isso, sugiro que sigamos seguindo a ciência. Ignorem o presidente", escreveu no Twitter.

 

O parlamentar defendeu ainda que o uso de máscara se torne "símbolo de oposição" ao presidente. "Quando o Congresso perceber que o país ignora as ordens de Bolsonaro e reage em protesto, começará a se mover para derrubar o assassino.”

 

 

 

*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira 

 


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade