Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Minas deve ter mais três dias de feriado depois da Semana Santa

Projeto de Lei tem como objetivo emendar o recesso, que começa nesta sexta-feira, até a quarta (7/4). Votação na Assembleia Legislativa será nesta terça (30/3)


29/03/2021 19:39 - atualizado 29/03/2021 21:11

Projeto de Lei que visa permitir 'superferiado' em MG é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa, Agostinho Patrus(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Projeto de Lei que visa permitir 'superferiado' em MG é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa, Agostinho Patrus (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Um Projeto de Lei (PL) que autoriza Minas Gerais a ter um “superferiado” após a Semana Santa será votado na Assembleia Legislativa (ALMG) nesta terça-feira (30/3). A ideia é estender o recesso, que terá início na sexta-feira (2/4), até quarta-feira (7/4), para aumentar o isolamento social no estado, na tentativa de conter o avanço da COVID-19.

Para estender o feriado, o projeto, de autoria do presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), prevê que os feriados estaduais de 21 de abril de 2021, 2022 e 2023, referentes a Tiradentes, sejam antecipados para 5, 6 e 7 de abril deste ano.

Como justificativa para o PL, Patrus destacou a pressão na rede hospitalar mineira e a aposta no isolamento social para reduzir a velocidade de contágio do novo coronavírus.

“Pretende, ainda, com a permissão de alteração das datas dos feriados, colaborar nas medidas de distanciamento social, que, além da vacinação e associadas às demais medidas não farmacológicas, são, até o momento, as estratégias mais efetivas para a redução da velocidade de contágio e de óbitos pela COVID-19”, argumentou o parlamentar.

O projeto não deve ter obstrução na Assembleia, uma vez que foi encaminhado aos deputados ainda nesta segunda-feira e a intenção da Casa é aprovar a medida rapidamente. Três reuniões foram agendadas na ALMG: uma de manhã, outra de tarde e uma última na parte da noite, esta última, se preciso for, para acelerar a votação, que será em turno único. A construção do texto teve participação do governador de Minas, Romeu Zema (Novo), o que sugere que, em caso de aprovação, o PL será sancionado.

Em nota conjunta à imprensa, o governo de Minas e a Assembleia Legislativa destacaram que o estado passa por um “cenário de guerra”, o que exige a adoção de medidas ainda mais enérgicas para tentar frear os números alarmantes.

“Minas Gerais passa hoje por um cenário de guerra, com um alarmante índice diário de mortes, o que exige dos Poderes Estaduais a adoção de medidas ainda mais enérgicas de combate à pandemia.”

O projeto também facilita o ingresso de trabalhadores do sistema de saúde na linha de frente. A medida prevê a ampliação dos serviços de saúde por meio da convocação de profissionais voluntários; contratação de estudantes da área de saúde; contratação de serviços de saúde por meio de credenciamento de pessoa física ou jurídica; e a contratação temporária de profissionais da área de saúde aposentados.

Descontrole


Minas confirmou 1.733 mortes pela COVID-19 em uma semana, entre 23 e 29 de março. Números que fazem com que o estado tenha registrado recorde na média móvel, com 247 óbitos.

Essa marca representa aumento de 22,9% em relação à semana anterior (no dia 23), quando foram contabilizadas 201 mortes.

De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado pela SES-MG nesta segunda-feira, o estado totaliza 1.103.687 casos. Minas ultrapassou a marca de 1 milhão de casos em 18 de março, portanto em 11 dias foram diagnosticadas mais 103 mil pessoas com a doença.

Os números indicam que a transmissão no estado segue curva ascendente.

Mesmo com dados represados no fim de semana, o número de mortes em um dia por COVID-19 foi bastante alto: 101 pessoas perderam a vida para o novo coronavírus.

As mortes ocorreram em 796 dos 853 municípios mineiros. Ao todo, 23.788 pessoas já morreram por complicações causadas pela doença.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade