Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Deputados bolsonaristas fazem ofensiva contra uso obrigatório de máscaras

Bia Kicis e Daniel Silveira, ambos do PSL, repudiaram, nas redes sociais, o uso do item de proteção contra o novo coronavírus


21/09/2020 16:25 - atualizado 21/09/2020 17:32

As máscaras se provaram uma das principais ferramentas de proteção contra o novo coronavírus(foto: PixaBay/Reprodução)
As máscaras se provaram uma das principais ferramentas de proteção contra o novo coronavírus (foto: PixaBay/Reprodução)
Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, os deputados bolsonaristas Bia Kicis (PSL-SP) e Daniel Silveira (PSL-SP) usaram as redes sociais para atacar e repudiar o uso de máscaras. Segundo eles, o uso do equipamento, usado para proteção contra a COVID-19, não deve ser obrigatório.

A deputada chegou a protocolar, na sexta-feira (18), um projeto de lei alegando que o uso deve ser flexionado porque “não há comprovação científica suficiente para corroborar a sua eficácia”. 

“Protocolei o PL 4650 que retira o caráter compulsório do uso de máscaras, diante da falta de comprovação científica de seus benefícios no enfrentamento do COVID -19 e os malefícios apontados por médicos e por indivíduos com o seu uso. Sintomas como tontura e mal estar são comuns”, escreveu Bia Kicis na ocasião. 



A obrigatoriedade das máscaras faz parte da Lei nº 14.019/2020, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). De acordo com o documento, as máscaras podem ser artesanais ou industriais.

A obrigatoriedade do uso da proteção facial engloba vias públicas e transportes públicos coletivos, como ônibus e metrô, bem como em táxis e carros de aplicativos, ônibus, aeronaves ou embarcações de uso coletivo fretados.

Além de Bia, o também deputado federal bolsonarista Daniel Silveira repudiou o uso da proteção. De acordo com ele, “as máscaras estão adoecendo pessoas”. Ele chegou a afirmar que só usa o acessório em locais em que "idiotas enchem o saco”.

O parlamentar também defendeu que a população não obedeça à legislação que trata da obrigatoriedade da máscara em locais públicos ou privados de uso público.

“Máscaras adoecem pessoas. Coloco somente em locais onde idiotas enchem o saco e deixo o nariz descoberto. Existe a lei, mas se a sociedade não obedecer, cairá em desuso. O povo, dono da democracia, deve fazer valer sua voz.”


Uso de máscaras salva vidas

De acordo com um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, as máscaras se provaram uma das principais ferramentas de proteção contra o novo coronavírus podendo reduzir o risco de infecção em até 25%.

Além de proteger o usuário da contaminação, a máscara também protege todos aqueles que estão ao redor. Isso porque, a transmissão da COVID-19 se dá por meio de secreções contaminadas, sobretudo a saliva, expelidas pelas vias aéreas. 

O contágio direto entre pessoas exige proximidade física (menos de dois metros) para acontecer, pois, dispersos pelo vento, os aerossóis não ficam suspensos por muito tempo no ar e não conseguem viajar por muitos metros. Apesar disso, as partículas sofrem a força da gravidade e vão caindo nas superfícies, onde permanecem vivas por até três horas.

Diminuição de transmissão


Segundo novo estudo realizado por cientistas das universidades de Cambridge e Greenwich, no Reino Unido, publicado na semana passada, o uso generalizado de máscara pode diminuir a transmissão do coronavírus a níveis controláveis e impedir novas ondas de contaminação.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista científica Proceedings of the Royal Society

De acordo com os pesquisadores, as medidas de confinamento, sozinhas, não são suficientes para evitar novas ondas da COVID-19. No entanto, o estudo garante que mesmo as máscaras feitas em casa podem reduzir consideravelmente as taxas de transmissão.


A lei em Minas

Em Minas Gerais, a Lei N° 23.636 deste ano estabeleceu a obrigação do uso de máscaras. A norma estipula a exigência para trabalhadores que prestam atendimento ao público das atividades que continuaram autorizadas a funcionar.

Entre os segmentos estão órgãos e entidades públicas, serviço de transporte e estabelecimentos comerciais. O fornecimento de máscaras é elencado pela Lei como uma obrigação dos empregadores.

Em cidades onde houve regra específica sobre o tema, a norma municipal é a que prevalece.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade