UAI
Publicidade

Estado de Minas COLETIVA SOBRE COVID-19

Comércio de BH espera anúncio de mais leitos e diálogo com a prefeitura

Líderes de entidades do comércio e serviços esperam que possam trabalhar com a PBH para encontrar soluções e conscientizar população


26/01/2022 12:42 - atualizado 26/01/2022 13:06

Centro de Belo Horizonte
Entidades se oferecem para ajudar a prefeitura na tomada de decisões e fazer campanhas para que os moradores abandonem o descuido em relação ao coronavírus (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 18/12/2021)

Aumento de leitos e diálogo para encontrar soluções para manter a luta contra a COVID-19 em Belo Horizonte. Essas são as principais expectativas do setor de comércio e serviços em relação à coletiva do prefeito Alexandre Kalil (PSD) e do comitê de combate à doença marcada para a tarde desta quarta-feira (26/1). 

Nessa segunda-feira (24/1), 17 entidades representativas dos setores divulgaram uma carta aberta temendo um novo fechamento da cidade após o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, dizer em uma entrevista que a capital poderia aplicar “medidas de restrição” para conter o avanço da Ômicron, uma vez que a população tem relaxado nos cuidados mesmo com o aumento de casos.

No entanto, na noite passada, Kalil foi ao Twitter para descartar um novo fechamento a partir de hoje. “Mas a pandemia ainda não acabou”, escreveu. 

“A expectativa que temos é de que ele anuncie o restabelecimento de leitos suficientes para atender a população que necessitar. Graças a Deus, os casos estão menos graves e o número de óbitos está muito abaixo do que já esteve, sinal que a vacina funciona. A prefeitura tem que investir em campanhas de vacinação, não pode parar de incentivar”, sugere o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel-MG), Matheus Daniel Pires de Moraes. 

Segundo ele, a presença da Ômicron e o surto de gripe impactaram o funcionamento dos estabelecimentos. “Hoje terei uma outra pesquisa para ver o nível de afastamento. Dez dias atrás, estávamos com 60% (dos estabelecimentos) com alguém afastado por COVID ou influenza. Precisamos continuar acompanhando como está a evolução, mas impacta sim, e o próprio cliente está saindo menos”, comenta.

Ainda segundo ele, nesta época do ano o movimento nos locais já é menor, o que não resulta em grandes aglomerações que possam exigir o fechamento.

“Em janeiro, o movimento tende a ser mais fraco, os bares estão menos cheios. O próprio ambiente, a questão das férias e o número de casos já tira muito o faturamento dos bares. Com menos gente, menos contaminação”, disse. 



O presidente da Câmara dos Dirigentes Logistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Marcelo de Souza e Silva, disse que as entidades não vão aceitar o fechamento das atividades em Belo Horizonte.

“Pedimos uma reunião e não fomos convidados. A prefeitura tem que ser mais criativa e fazer um planejamento melhor. O aumento de leitos era para ser de uma forma mais robusta. O número que está aumentando aos poucos tinha que ser igual à entrevista (que Kalil concedeu) ao Uol, dizendo que poderia passar de 100 para 1 mil leitos rapidamente”, afirma. 

Segundo ele, a fala de Jackson Machado na semana passada “causou pânico” nos comerciantes e clientes. “O comércio e serviços não suportam mais”, disse sobre outro fechamento. 

Tanto Moraes quanto Machado lembraram que a prefeita de Contagem, na Grande BH, Marília Campos (PT), se reuniu com entidades na segunda-feira para discutir o assunto e pedem que Kalil faça o mesmo na capital.

“Estamos pedindo desde o começo é o diálogo, podemos ajudar nisso. Estamos também nos oferecendo para buscar soluções juntos. Isso é muito importante. Já passamos dois anos com a pandemia, aprendemos muito e as entidades podem ajudar a cidade”, enfatiza.

“Primeiro, junto à população, divulgando (as medidas preventivas, como a vacinação) nas redes sociais com a prefeitura. O segundo é voltar a fortalecer junto aos comerciantes que todos têm que usar máscara, deixar álcool em gel para o cliente, não deixar aglomerar. Neste momento, é muito importante para que as pessoas tomem esse cuidado”, destacou o presidente da CDL-BH. 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade