Publicidade

Estado de Minas POLITIZAÇÃO DA VACINA

Secretaria de Saúde de Minas admite envio menor de doses de vacina para BH

Depois do impasse entre o governo de Minas e a PBH, a pasta informou que a decisão de enviar remessa menor à capital foi da Comissão Intergestores Bipartite


16/06/2021 12:51 - atualizado 16/06/2021 19:25

Protesto cobra vacinas e aceleração na imunização em Belo Horizonte(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Protesto cobra vacinas e aceleração na imunização em Belo Horizonte (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
A vacinação contra a COVID-19 em Belo Horizonte desacelerou depois que a capital deixou de receber 50 mil doses de imunizantes do governo de Minas. A situação reforçou uma celeuma entre a prefeitura e o governo do estado após a acusação, feita nessa terça-feira (15/6), pelo secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, de que está ocorrendo uma 'politização' da vacina.
 
Depois de questionada pelo EM, a Secretaria de Estado da Saúde de Minas (SES-MG) admitiu que, de fato, houve um envio com um número menor de doses para a capital, mas negou razões políticas. Alegou que se tratou de uma definição técnica para equilibrar o envio de doses para os municípios mineiros. 

"Para equilibrar essa distribuição, a última remessa enviada à capital foi com uma quantidade menor de vacinas, conforme decisão em CIB", escreveu em nota.

A pasta atribuiu a decisão  à Comissão Intergestores Bipartite (CIB SES-MG) e  ressaltou que a CIB tem representantes da SES-MG, do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e do Ministério Público (MP). 
 
A SES-MG explicou ainda que, entre os critérios do Ministério da Saúde para definir o quantitativo de doses para cada município, um deles é dimensionar os públicos-alvo com base em campanhas de vacinação anteriores.

Para o cálculo do grupo para receber a vacina contra a COVID-19, segundo a SES-MG, o ministério utilizou a base da vacinação contra a gripe de 2018, 2019 e 2020.
 
"Esse cálculo causou uma diferença na distribuição de doses entre os municípios, fazendo com que as cidades que, nas campanhas de vacinação contra a influenza vacinaram mais pessoas, provavelmente, tenham recebido mais vacinas contra a COVID-19." 

Ainda segundo a SES-MG, para equilibrar essa diferença, foi apresentada nova metodologia de cálculo associada à base de projeção populacional de 18 a 59 anos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Fundação João Pinheiro (FJP) de 2020.

"Nesse cenário, a proporção de pessoas com comorbidades passa a ser contabilizada em relação ao total de habitantes de 18 a 59 anos, para que não exista a diferença encontrada na base da vacinação contra a influenza."

A pasta afirmou ainda que aproximadamente 14% da população de 18 a 59 anos de cada município correspondem à parcela de pessoas  com comorbidade. No entanto, afirma que BH recebeu doses correspondentes a 12% da população com comorbidade. Alega ainda que esse percentual foi menor em outros municípios, entre 7% e 8%.
 
A SES-MG ressaltou que a capital mineira recebeu as duas primeiras remessas de Pfizer integralmente para o grupo de comorbidades, totalizando 162.630 mil doses a mais do que os outros municípios mineiros.
 
"Segundo o Vacinômetro dessa terça-feira (15/6), já foram enviadas ao município 1.675.522 doses de imunizantes contra a COVID-19, o suficiente para vacinar mais de 837 mil pessoas, o que corresponde a 33% da população geral de Belo Horizonte que tem 2,5 milhões de habitantes segundo estimativa populacional do IBGE de 2020", diz a SES-MG em nota.
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação

Quais os sintomas do coronavírus?

Desde a identificação do vírus Sars-CoV2, no começo de 2020, a lista de sintomas da COVID-19 sofreu várias alterações. Como o vírus se comporta de forma diferente de outros tipos de coronavírus, pessoas infectadas apresentam sintomas diferentes. E, durante o avanço da pesquisa da doença, muitas manifestações foram identificadas pelos cientistas. Confira a relação de sintomas de COVID-19 atualizada.

O que é a COVID-19?

A COVID-19 é uma doença provocada pelo vírus Sars-CoV2, com os primeiros casos registrados na China no fim de 2019, mas identificada como um novo tipo de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro de 2020. Em 11 de março de 2020, a OMS declarou a COVID-19 como pandemia.


Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal








receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade