Publicidade

Estado de Minas POLITIZAÇÃO DA VACINA

Impasse no envio de vacinas atrasa imunização de pessoas de 53 a 55 anos

Secretário de Saúde Jackson Machado afirmou que o governo de Minas deixou de enviar para Belo Horizonte 50 mil doses da vacina contra a COVID-19


16/06/2021 11:28 - atualizado 16/06/2021 13:27


(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
O impasse entre a Prefeitura de Belo Horizonte e o governo de Minas em relação ao envio de doses da vacina contra a COVID-19 atrasa a campanha de imunização da capital. A Secretaria Municipal e Saúde informou que devido à redução na remessa de doses recebidas os locais de vacinação foram reduzidos a partir desta quarta-feira (16/06).
 
O não-envio já apresentou reflexo na vacinação no posto drive-thru da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Quem foi até lá recebeu a informação de que não haverá imunização nesta quarta-feira (16/6)

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que as faixas etárias previstas para serem imunizadas com as 50 mil doses da vacina são as de 55 a 53 anos. A vacinação seria iniciada nesta semana.

O secretário municipal de saúde Jackson Machado afirmou, na terça-feira (15/6), que o estado deixou de enviar 50 mil doses para Belo Horizonte.

"Não resta a menor dúvida de que isso foi por uso político da vacina. Me deixa indignado o fato de usarem a vacina – e a pandemia – como motivo de política. Fazer aglomeração para inaugurar hospital, tudo bem. É um critério político. Uma maneira de fazer política. Inaugurar e asfaltar estradas, tudo bem. Agora, usar a vacina para isso? Fico indignado", reclamou Jackson durante coletiva de imprensa.

No grupo que foi vacinado por idade, foram aplicadas, até 15 de junho, 55.859 doses para pessoas com idades entre 56 e 59 anos. No total, a capital vacinou 48,9% do público-alvo, pessoas com mais de 18 anos. De acordo com a SMS, a meta é vacinar 2.037.913 pessoas. A segunda dose foi aplicada em 20,2%.
  
"Não resta a menor dúvida de que isso foi por uso político da vacina. Me deixa indignado o fato de usarem a vacina – e a pandemia – como motivo de política. Fazer aglomeração para inaugurar hospital, tudo bem. É um critério político. Uma maneira de fazer política. Inaugurar e asfaltar estradas, tudo bem. Agora, usar a vacina para isso? Fico indignado", reclamou Jackson durante coletiva de imprensa.
 
No grupo que foi vacinado por idade, foram aplicadas, até 15 de junho, 55.859 doses para pessoas com idades entre 56 e 59 anos. No tota, a capital vacinou 48,9% do público-alvo, pessoas com mais de 18 anos. De acordo com a SMS, a meta é vacinar 2.037.913 pessoas. A segunda dose foi aplicada em 20,2%

Em nota,  a SMS ressaltou que o município recebeu, na semana passada, apenas 19.336 doses de imunizantes contra a COVID-19, enquanto a expectativa era que o município recebesse em torno de 70 mil. A pasta alega que por essa redução no repasse de doses não foi possível convocar novos grupos para serem vacinados e por isso os locais de vacinação foram reduzidos.
 
A pasta orienta aos usuários ficarem atentos aos postos de vacinação. "Os locais são dinâmicos e passam por alterações por questões de logísticas para evitar aglomeração do público. É importante esclarecer que os usuários devem ficar atentos aos locais de vacinação, já que os pontos são alterados frequentemente", informou a nota.
 
Depois de questionada pelo EM, a Secretaria de Estado da Saúde admitiu que, de fato, houve um envio com um número menor de doses para a capital, mas negou razões políticas. Alegou que se tratou de uma definição técnica para equilibrar o envio de doses para os municípios mineiros. 
  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade