Publicidade

Estado de Minas FLEXIBILIZAÇÃO

Quatro museus de BH vão reabrir na próxima semana; saiba como visitar

Será necessário agendamento prévio para rever os museus Histórico Abílio Barreto, Casa Kubitschek, da Moda e da Imagem e do Som


20/10/2020 16:25 - atualizado 20/10/2020 18:31

O museu histórico Abílio Barreto, inaugurado em 1943, está na lista de reabertura(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O museu histórico Abílio Barreto, inaugurado em 1943, está na lista de reabertura (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Belo Horizonte avança em mais uma etapa da flexibilização a partir da próxima semana. Nesta terça-feira (20), a Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura anunciaram a reabertura para visitação de quatro dos museus públicos municipais, a partir de quarta-feira (28).

O Museu Histórico Abílio Barreto e o Museu Casa Kubitschek terão visitação de quarta a domingo, das 11h às 18h. O Museu da Moda e o Museu da Imagem e do Som terão visitação de quarta a sábado, das 11h às 18h. Para visitar, será necessário agendamento prévio, com horário marcado, respeitando a lotação de cada museu.

O acesso aos museus é gratuito. Para a visita, será necessário fazer a retirada de ingressos antecipada, a partir desta sexta-feira (23) pelo site da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Também será possível agendar a visita por telefone ou presencialmente, nos próprios museus.

As informações para a retirada de ingressos poderão ser acessadas na página de reabertura. Todo agendamento deverá ser feito previamente ao dia da visita, com entrada de hora em hora, estando sujeito à disponibilidade de ingressos.

De acordo com a PBH, o retorno às atividades vai cumprir as medidas previstas no protocolo sanitário para reabertura de museus e espaços expositivos elaborado pelo Comitê de Enfrentamento à COVID-19.

Confira algumas das medidas de prevenção ao contágio do novo coronavírus adotadas:
  • capacidade máxima de uma pessoa a cada cinco metros quadrados nos espaços visitáveis e de circulação;
  • o controle do fluxo de visitação, de forma a evitar aglomerações;
  • a disponibilização de dispensadores com álcool 70% no acesso aos espaços expositivos;
  • o aumento de intervalo entre visitas para higienização dos ambientes;
  • restrição de acesso a obras de arte ou itens de exposição manipuláveis
  • proibição de uso de telas sensíveis ao toque nas exposições.

As regras de visitação estão sinalizadas nos museus e as equipes fazem a orientação dos visitantes. Segundo a PBH, gradualmente, os outros museus públicos municipais serão reabertos, com novas exposições.

Saudade e novidade

A diretora de museus da Fundação Municipal de Cultura, Sara Moreno, conta que o tempo de saudade do público foi proveitoso, de certa forma, para os espaços. “Os museus fazem falta pra população mas ao mesmo tempo foi um momento muito importante de fazer trabalhos técnicos importantes dentro dos ambientes”, conta.

A direção dos museus também deve renovar as exposições a partir de novembro. “A gente resolveu abrir agora, mesmo antes das novas exposições, por saber do desejo do público de voltar a frequentar esses locais”, afirma Sara.

O Museu da Moda de BH é o primeiro museu público destinado ao setor no Brasil(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O Museu da Moda de BH é o primeiro museu público destinado ao setor no Brasil (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)


Segundo a diretora, os funcionários estão animados com essa retomada. “Gera uma certa ansiedade com os protocolos, mas todos estão treinados e preparados. Todos dispostos a voltar a receber o público. Queremos voltar a ver as pessoas”, disse. “Com segurança, cumprindo todos os protocolos que nós mesmos ajudamos a formular”, acrescenta.

Ainda não há data estipulada para a reabertura dos próximos espaços culturais, mas Sara Moreno acredita que deve ocorrer entre novembro e o primeiro semestre de 2021.

Por enquanto, essa primeira reabertura vai servir também de teste inclusive do sistema de agendamento. “Esperamos que vão ser visitas tranquilas e prazerosas”, conclui.


O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade