Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Kalil anuncia que volta das aulas presenciais em BH continua sem data

Prefeito de BH ressaltou que vários países tiveram de recuar na abertura das escolas após aumento de casos de COVID-19


28/09/2020 14:10 - atualizado 28/09/2020 17:36

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Continua sem data o retorno das aulas nas escolas públicas e particulares de Belo Horizonte. A informação foi divulgada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), na tarde desta segunda-feira (28), em coletiva de imprensa na sede da prefeitura. “Ninguém está falando quando vai abrir. Não vamos inventar data. Estamos preparados para abrir amanhã. Mas agora é uma questão sanitária”, destacou.

Depois de ler diversas manchetes de jornais internacionais, que indicam o fechamento das escolas em diversos países depois do aumento do número de casos, Kalil disse: "Quando se fala que abre bares e não abre escola, uma pessoa meramente inteligente entende que estamos falando em crise endêmica e não educacional."

"Mas não vamos ocorrer novamente no erro de 'politizar' uma tragédia. Quem tem opinião diferente eu respeito, mas é fundamental que o uso de máscara, distanciamento social e a reabertura gradual vão nos levar até o Natal", acrescentou o prefeito.

O prefeito afirma ainda que a cidade não está com os números adequados para a reabertura das escolas. "Investi R$ 14 milhões em toda a estrutura para adequar as escolas às normas de segurança quando as aulas forem novamente presenciais. Estamos fazendo trabalho remoto, levando material aos alunos", afirmou.

"Não sabemos se volta este ano, vai depender da curva", informou o secretário municipal de Saúde Jackson Machado.

O prefeito mencionou uma pesquisa feita pela PBH que diz que 74% da população é contra o retorno das aulas. “Os professores, atendentes, ninguém quer voltar. A manifestação foi a prova cabal de que ninguém quer. Enquanto meia dúzia de donos de escolas querem, uma carreata de professores é contra”, afirmou Kalil.

De acordo com a secretária de Educação, Ângela Dalben, as escolas já estão preparadas para reabrir, mas ainda depende de autorização da secretaria de Saúde. Algumas adaptações precisaram ser feitas nas unidades para enfrentar o contexto da pandemia, como troca de bebedouros e instalação de pias. Tudo foi feito com o recurso de R$ 14 milhões informado pelo Kalil. O dinheiro também é responsável pela compra de termômetros e equipamentos de proteção individual (EPI).

Volta das universidades

Questionado sobre a reabertura das universidades, Kalil também não estipulou uma data, mas sinalizou que o retorno deve ser antes da reabertura das escolas de ensino básico. 

“Você manter uma faculdade aberta onde a pessoa tem responsabilidade de estar um distanciamento, máscara, mão limpa e de uma criança de 2 a 4 anos é uma diferença muito grande”, disse o prefeito. “Quando se falar em abertura, nós falaremos em abertura de graus diferentes. Não pode comparar alunos de uma universidade com de ensino fundamental, infantil”, ressaltou.

Etapas de reabertura

No último dia 18, a PBH deu sinal verde para a nova etapa de retomada das atividades em meio à pandemia do novo coronavírus em Belo Horizonte: os clubes de lazer e a Feira de Artesanato da Afonso Pena (Feira Hippie) puderam voltar a funcionar no último fim de semana.

Na ocasião, a prefeitura também anunciou a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes, que podem funcionar todos os dias, inclusive com shows autorizados, mas com proteção de acrílico.

A PBH afirma que a reabertura das atividades é feita em fases subsequentes e cumulativas, conforme a segurança do quadro geral da cidade. A mudança das fases depende da análise dos indicadores epidemiológicos e dos resultados publicados no Boletim de Monitoramento. Resultados positivos criam condições para a evolução do processo. Da mesma forma, existe a possibilidade de retorno às fases anteriores, em caso de indicadores negativos.

COVID-19 em BH

Belo Horizonte chegou na última sexta-feira a 1.220 mortes por COVID-19. O boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura informa que 20 óbitos pela doença aconteceram nas últimas 24 horas. Quanto ao número de casos, a cidade chegou a 41.334 – uma diferença de 243 diagnósticos para o levantamento anterior, divulgado nessa quinta (24).

Depois de chegar ao quadro alarmante durante a semana, o número médio de transmissão do novo coronavírus por infectado se manteve na fase de controle pelo segundo dia consecutivo. E com boa notícia na sexta (25), já que o indicador caiu de 0,99 para 0,97.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade