Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Coronavírus: Minas ultrapassou as 5 mil mortes e 205 mil casos

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, foram 3.969 novos casos e 101 mortes nas últimas 24 horas


27/08/2020 08:36 - atualizado 27/08/2020 12:36



Minas chegou a 5.049 mortes pela COVID-19. De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), foram confirmadas 101 mortes nas últimas 24 horas. O número de novos casos em um dia foi 3.969, totalizando 205.942 casos.
 
 
 
O novo coronavírus chegou a 835 cidades no Estado.Foram confirmadas mortes em 497 deles. Apesar do registro de 101 mortes nas últimas 24 horas, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, afirma que o número de mortes estabilizou no platô. Isso quer dizer que o número se mantém em um patamar alto, embora sem grandes elevações. Segundo ele, ao olhar para a data da ocorrência das mortes, essa tendência de estabilização pode ser verificada.
 
Com o descontrole da doença em outros Estados brasileiros, os números de Minas são menores, mas, ao se analisar, a evolução no próprio Estado, os saltos de um mês para o outro  no número de casos e mortes são significativos. 
 
A primeira morte em Minas pela COVID-19 ocorreu em 29 de março, mas foi divulgada, oficialmente, pelo governo estadual no dia 30. A vítima era moradora de Belo Horizonte e morreu aos 82 anos. Um mês depois, em 29 de abril, o número de mortes saltou para 80. Em 29 de maio, já eram 257. Em 29 de junho 940. Em 29 de julho, 2.608 mortes. 
 
O crescimento exponencial no número de casos também demonstra que a doença evoluiu rápido pelo Estado. Em 29 de março, eram 231 casos confirmados. Em um mês, 29 de abril, o número aumentou quase 800%, passando para 1.758 diagnósticos positivos. Em maio, saltou para 9.232, aumento de 525%. Em junho, 43.864, aumento de 475%. Em julho, já eram quase três vezes mais, 119.394 casos confirmados. 
 
A projeção do pico da doença, quando verifica-se a ascensão rápida da curva de casos e mortes ao ápice depois seguida de queda, foi alterada algumas vezes, com a última data estimada para 15 de julho.
 
No entanto, neste dia, não foi confirmada a projeção e a Secretaria de Estado de Saúde informou que o Estado atravessaria um platô, que ainda está. A curva em forma de platô é uma característica da evolução da doença no Brasil e difere de como foi a evolução em outros países, onde o vírus foi controlado, inclusive a China, onde foram registrados os primeiros casos da doença.
 

Mudança na metodologia 

 
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) passou a divulgar, desde quarta-feira (26), gráfico que apresenta o percentual das mortes nas últimas 24 horas em relação ao número total de mortes confirmadas. No entanto, o gráfico divulgado, nesta quinta-feira (27), traz as informações de morte por data de ocorrência até terça-feira (25), quando corresponderam a 18,6% do total. Naquele dia, foram confirmadas 42 mortes. 
 
Desde o início do mês, a SES modificou a metodologia de confirmação das mortes. Desde 3 de agosto, o registro é feito pelas prefeituras diretamente no Sivep Gripe, uma plataforma do Sistema Único de Saúde (SUS). 
 
De acordo com Carlos Amaral, ao se analisar a curva da doença, tendo como referência a data das mortes, há indício de queda.  A SES também leva em consideração a média móvel, que é o cálculo da média das mortes nos últimos sete dias.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade