Publicidade

Estado de Minas Pandemia

COVID-19: governo garante que os 87 surtos em asilos de Minas estão sob controle

Segundo Secretaria de Estado da Saúde, realização de testes em residentes e profissionais, entre outras medidas, garantiram que o coronavírus não se espalhasse nas instituições que abrigam idosos em 53 municípios


19/08/2020 14:23 - atualizado 19/08/2020 14:52

Secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, explica que é considerado surto quando mais de três pessoas são acometidas por uma doença em uma comunidade restrita(foto: Gil Leonardi/Imprensa MG)
Secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, explica que é considerado surto quando mais de três pessoas são acometidas por uma doença em uma comunidade restrita (foto: Gil Leonardi/Imprensa MG)
Os surtos de COVID-19 ocorridos em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI), assim como em outros locais fechados que concentram um maior número de pessoas, têm sido monitorados de perto pelo governo de Minas. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, até o momento, foram contabilizados 87 surtos em asilos de 53 municípios mineiros.

Segundo Amaral, todos os locais foram devidamente instruídos e estão sendo acompanhados incluindo os localizados em Alfenas, Ouro Preto, Pirapora e Unaí, onde foi registrado o maior número de casos.  O objetivo é tentar controlar a disseminação do novo coronavírus entre a população assistida e em outras entidades, visto ser comum enfermeiros, técnicos de enfermagem e cuidadores trabalharem em mais de um local.

“É importante entender que quando acompanhamos notificações de surtos, várias regiões e instituiçoes nos chamam mais atenção. Um dos principais (além de presídios e ILPIs) são estabelecimentos hospitalares e de saúde, pois há grupos mais expostos neles. Quando somos notificados, o que fazemos é orientar que a estrutura municipal de saúde faça uma avaliação pormenorizada da situação, quais pessoas estão efetivamente com COVID-19, para isso, temos testes, e tentamos separar os que estão contaminados dos que não estão. E então acompanhamos a evolução dos casos”, explica.

Segundo ele, o pico nas instituições que reúnem pessoas em ambientes fechados ocorreu há pouco mais de um mês. Então, há tendência de queda, o que não retira o alerta das autoridades.

“Claro que pode chegar alguma notificação, mas para nós houve uma queda. No momento está controlado”, diz Amaral. O secretário já havia esclarecido que é considerado surto quando mais de três indivíduos são acometidos numa comunidade restrita, como por exemplo, uma empresa ou um asilo. 

Mais uma vez, Amaral pediu aos cidadãos que fiquem alerta não só em locais fechados, mas também nos abertos. “Cada pessoa, ao sair de casa, precisa lembrar de usar máscara, cuidar da higiene das mãos e manter a distância das outras pessoas. Isso é que vai garantir a baixa transmissão da doença. Assim vamos poder retormar progressivamente as atividades. E lembrando que na presença do vírus temos de manter o novo normal”, afirma.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade