Publicidade

Estado de Minas

Em plena quarentena pelo coronavírus, movimento na Praça Sete aumenta

Ambulantes, artesãos, filas nos bancos em época de pandemia


postado em 07/04/2020 11:13 / atualizado em 07/04/2020 12:20

(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)

A aglomeração e circulação de pessoas na Praça Sete, um dos pontos mais movimentados do Centro de Belo Horizonte, não demonstra, de jeito nenhum, que a população está mantendo as medidas de isolamento por causa da pandemia da COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus



Menos de 24 após o prefeito Alexandre Kalil anunciar medidas mais duras, como o fechamento da orla da Lagoa da Pampulha, flagrada com enorme movimento no último domingo pela reportagem do jornal Estado de Minas, na manhã desta terça, 7, era intenso, além do grande número de pessoas, o comércio de artesãos, vendedores ambu-lantes, filas grandes de bancos no local. 

(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)

 
Na Avenida Afonso Pena, o passeio lotado faz com que pedestres tenham que desviar uns dos outros. "Só saí de casa para receber minha aposentadoria", conta Lia Ferreira, 65, que vestia uma máscara de pano. 

(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
 

Faixas com cruzes desenhadas simbolizam "vidas que podem ser perdidas" no caso da população sair do isolamen-to, um protesto para que as pessoas fiquem em casa organizado pela CTB, Central dos Trabalhadores, que ainda cobram do governador Romeu Zema, Partido Novo, que "proteja a saúde e a vida dos mineiros". Em outra faixa a mensagem, "defender o SUS é defender a vida".

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)


O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Especial: Tudo sobre o coronavírus 

Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade