Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Moradores fazem 'blitz da conscientização' para evitar turistas em Lapinha da Serra

Mesmo decretado fechamento de todos os pontos turísticos locais, incluindo hotéis e pousadas, fluxo de turistas se manteve


postado em 31/03/2020 18:09 / atualizado em 31/03/2020 19:08

Em meio a pandemia de coronavírus, voluntários realizam blitz para conscientização de turistas(foto: Divulgação/Thomaz Dayrell)
Em meio a pandemia de coronavírus, voluntários realizam blitz para conscientização de turistas (foto: Divulgação/Thomaz Dayrell)
A preocupação maior com os idosos levou moradores de Lapinha da Serra, distrito turístico a 140 quilômetros de Belo Horizonte, a se organizarem e instituir uma “blitz” na entrada do vilarejo. A ação é feita por voluntários e tenta conscientizar turistas sobre as medidas de isolamento social recomendadas pelo Ministério da Saúde. 

Na última semana, a Prefeitura de Santana do Riacho decretou que fossem fechados todos os pontos turísticos. Hotéis e pousadas foram proibidos de receber hóspedes. Apesar disso, muitos turistas vinham procurando estadia na região como “refúgio” na quarentena. O local, com cerca de 300 habitantes, tem como atrativo lagos, rios, cachoeiras e grutas.

O condutor ambiental Thomaz Dayrell é um dos líderes do movimento. “Quando vimos que, mesmo depois do decreto da prefeitura de fechar todos os locais turísticos, muitas pessoas ainda estavam aproveitando a quarentena para vir aqui, resolvemos tomar uma atitude”, conta. “Nós, da comunidade, nos unimos para fazer a conscientização”, explica.

Na imagem o condutor ambiental Thomaz Dayrell que é um dos líderes do movimento(foto: Divulgação/Thomaz Dayrell)
Na imagem o condutor ambiental Thomaz Dayrell que é um dos líderes do movimento (foto: Divulgação/Thomaz Dayrell)


Pequeno distrito, Lapinha da Serra não dispõe de nenhum hospital. Os moradores dependem de uma enfermeira que vai semanalmente no único posto de saúde do local. O posto de saúde da cidade-sede, Santana do Riacho, fica a aproximadamente 30 minutos da região. 

“A gente não tem uma situação boa de saúde aqui. É difícil. A cidade mais próxima com posto de saúde é Santana do Riacho. Mas lá não tem respirador. Caso venha a ocorrer alguma coisa, acredito que os casos devem ser encaminhados para Lagoa Santa e Belo Horizonte”, prevê Dayrell.

Ele observa que, por lá, a preocupação maior é com os idosos. “Aqui, a maioria dos moradores é mais velho. Mas eu vejo que a comunidade está empenhada. Vejo poucas pessoas na rua. Tem um ou outro idoso, mais cabeça dura. Mas acredito que eles entendem e estão evitando aglomeração. As ruas estão vazias e as pessoas estão preocupadas”.

DIVISAS

Na segunda-feira, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou aos prefeitos dos municípios do Sul de Minas que se abstenham de adotar medidas de restrição excepcional e temporária de locomoção interestadual ou intermunicipal. Em algumas cidades haviam sido adotadas medidas de restrição de entrada e saída de pessoas, até mesmo com relato de uso de força policial. 

Apesar disto, Dyarell confirma que esse não é o caso do distrito de Lapinha da Serra. “Não estamos impedindo a entrada de ninguém. Estamos apenas conscientizando as pessoas. Procurando saber quem são elas, onde estão indo. Até mesmo para manter o controle. A gente não proíbe a passagem de ninguém. Apenas orienta para que fiquem em casa”, explica.
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Murta
 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Especial: Tudo sobre o coronavírus 

Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade